Cultura bíblica ou religião?

A expressão religião dentre suas origens, a mais aceita é do latim religare – que significa ligar novamente no sentido de retornar às origens, ou seja, ao criador. Prestar culto a Deus, ou a um poder superior de certo modo; doutrina; princípios.

A religião cristã tem como principal base de estudos a Bíblia Sagrada, nela temos acesso às orientações dadas por Deus a homens e mulheres, profecias, promessas, narrativas históricas, palavras do próprio Deus e A Palavra em vida – Jesus Cristo!

A Bíblia Sagrada nos apresenta práticas religiosas acompanhadas de forte influência da religiosidade de Israel, chamo tudo isto de cultura bíblica, que ainda propõe diversas influências de antigas religiões, principalmente a prática de vários rituais.

Só que em Cristo somos apresentados a uma nova cultura, a cultura de um Deus relacional e sacrificial, isto rompe com todas as barreiras das antigas religiões. Isto é o novo, a Boa Nova que se estabelece no Verbo que veio ao mundo para nos salvar! Em meio a esta novidade temos uma nova (e antiga) cultura – o que chamo aqui de Cultura de Deus!

A cultura de Deus nos traz princípios supraculturais que estão muito acima da linha do tempo, ou seja, não pode ser amarrada aos valores (se é que ainda temos) dos nossos dias. A cultura de Deus é inegociável, inerrante e através de Sua Palavra torna-se inteligível, desde que revelada com integridade.

Hoje somos acometidos de diversas influências religiosas e culturas não bíblicas que vez por outra são confundidas ao cristianismo. Então como saber distinguir o que é religião, cultura bíblica ou a “cultura de Deus”?

É indubitável que a resposta encontra-se na Palavra de Deus! Mas não deve ser estudada como um livro qualquer. É preciso ter temor a Deus, fé e capacitação. Elementos estes que faltam nos religiosos dos nossos dias, de forma que se podem fazer afirmações errôneas e heréticas mesmo que extraída da Bíblia Sagrada.

Vou trazer um exemplo: desde a criação Deus deixou muito claro o papel institucional do homem e da mulher, seja na família, seja na instituição neotestamentária chamada igreja. Ao homem a responsabilidade de cuidar e manter tanto as necessidades físicas, como espirituais. À mulher o auxílio, que é de suma importância ao cumprimento do papel do homem.

Então, tanto na família, como na igreja existem papéis claros que foram dados a cada um. Muitos chamam isto de religiosidade ou até cultura ultrapassada. Eu chamo de cultura de Deus. É claro que existem divergências acerca deste assunto e alguns outros e é muito comum que as pessoas aceitem a direção mais cômoda. Só que é importante alertar que a cultura de Deus é “incômoda” a todos nós!

Pretendo escrever mais sobre assuntos conflitantes em nossos dias e aceito sugestões de temas, críticas e correções para melhoria e fidelidade aos pensamentos desenvolvidos.

#Repense #Reflita & #RevoluciAME

Soli Deo Gloria

Um comentário sobre “Cultura bíblica ou religião?

  1. Selma disse:

    Como mulher, esposa, mãe, advogada e principalmente como cooperadora do Reino creio que posso falar com propriedade…Eu concordo plenamente que fomos criadas como auxiliadoras de nossos esposos e nunca como cabeça do lar! Cabendo a ele a responsabilidade de liderar e conduzir nossa casa! Amei o texto! Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s