O Pai das luzes

A carta de Tiago, conforme o versículo 1 do capítulo 1, foi escrita para “as doze tribos que se encontram na dispersão”. Estas doze tribos simbolizam os judeus espalhados pelo mundo, assim, é ao mesmo tempo uma carta aberta e também uma carta dirigida a um grupo especifico de crentes convertidos.

Todo aquele que vive novidade de vida em Cristo Jesus tem que crescer no aprendizado e a Palavra de Deus é imprescindível neste processo. Nosso Deus é um bom pai e como todo bom pai, Ele tem muito a ensinar aos seus filhos. Para ser luz neste mundo é preciso aprender com o Pai das luzes. Somente Deus, que criou todas as coisas sabe o que é melhor pra nós e o necessário para viver – “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mateus 5.48).

Vejamos o que se encontra em Tiago 1.17-22:

17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.18 Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas.19 Sabei isto, meus amados irmãos: Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar.20 Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.21 Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas.22 E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

  1. Presente de Deus

O versículo 17 deixa claro que se há alguma bondade ou dons perfeitos em nós, é proveniente de Deus que de maneira íntegra concede benefícios aos seus. Já o versículo 18, Tiago fala de que nós somos gerados por Deus, pela Palavra e para que sejamos como primícias das criaturas. Lá em Jeremias 2.2,3 podemos entender melhor essa ideia de ser primícias da criação de Deus,veja: “Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém: assim diz o Senhor: Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra em que não se semeia. Então Israel era consagrado ao Senhor, e era as primícias da sua colheita; todos os que o devoraram e faziam culpados; o mal vinha sobre eles, diz o Senhor.”

  1. A justiça de Deus

Retornando à carta de Tiago, no versículo 19 e 20, vemos que somos desafiados a ouvir mais e falar menos e ainda tardar em relação à ira. Um grande desafio na atualidade é ouvir mais e falar menos. Todo mundo quer ser ouvido de algum modo. Se você tem alguma opinião em relação a algum assunto, o outro não fica satisfeito em apenas ter conhecimento de sua opinião, mas ele quer deixar a opinião dele e ainda te convencer daquilo que ele acredita!

É interessante esta orientação de Tiago, pois muitos crentes, no ímpeto de levar o Evangelho está mais para falar do que para ouvir, quando na realidade deveríamos ouvir os anseios das pessoas para aí apresentar as Boas Novas como solução para suas vidas. Só que normalmente queremos apresentar o Evangelho como respostas para perguntas que as pessoas nem sequer fizeram.

“A ira do homem não opera a justiça de Deus”. Uma vez uma mae me pediu para orar para que sua filha terminasse um namoro, pois essa mae não gostava do rapaz. Será mesmo que Deus move nossas intenções alimentadas por sentimentos ruins? Muitas vezes esquecemos coisas simples do Evangelho, como a que Deus tem sempre o melhor para nós e que TODOS serão recompensados pelos seus atos, sejam bons ou ruins.

  1. A revelação de Deus

Nos dois últimos versículos que vemos aqui, Tiago exorta as tribos da dispersão a viver uma vida de autenticidade no Evangelho. Ao dizer que se deve abandonar toda imundícia e vestígio do mal, ele pegou pesado com os crentes? Acho que não, pois é exatamente assim que devemos agir, que ele complementa que se deve receber com mansidão a Palavra que é poderosa para salvar vidas. Todos nós devemos carregar tal disposição!

Por último e de igual modo importante há outra exortação: SER CUMPRIDORES DA PALAVRA! Ele diz que o ouvinte que não pratica o Evangelho, apenas engana a si mesmo. Jesus chamou gente assim de cobras venenosas – “Vendo ele, porem, que muitos fariseus e saduceus vinham ao batismo, disse-lhes: raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura?” (Mateus 3.7) Será que Jesus também está pegando pesado com estes? Então eu pergunto… a quem você tem enganado? Será que não está na hora de viver tudo isso que costumamos cantar, pregar, orar e ouvir?

Soli Amori Christi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s