Comunhão organizada

Somos igreja ou fazemos parte de uma igreja?

Estamos vivendo um momento de confusão no meio evangélico brasileiro. Por um lado há uma igreja institucionalizada voltando aos costumes judaizantes e até ressuscitando o apostolado, por outro lado temos pessoas decepcionadas com instituições vivendo um tipo de igreja fora da igreja. Chamamos igrejas de templo e templos de igrejas.

Muito do discurso daqueles que são avessos à igreja institucional, mas ainda são de Jesus, é dizer que a igreja contemporânea não reproduz o que chamamos de igreja primitiva. Então vamos ao início com os verdadeiros apóstolos para identificar onde erramos.

Atos 2:40-47

40 Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. 41 Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas. 42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. 44 Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. 45 Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. 46 Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, 47 louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

Pedro e os outros apóstolos obedientes a Deus começaram uma comunidade organizada de fiéis, e Deus os abençoava trazendo novos à salvação!

Este texto escrito por Lucas narra uma das primeiras organizações institucionais após a assenção de Jesus. Numa leitura rápida podemos perceber alguns elementos comuns àqueles dias:

  1. Batismo;
  2. Doutrina;
  3. Comunhão;
  4. Oração;
  5. Temor;
  6. Sinais;
  7. Templo;
  8. Casa;

Até aqui já temos assuntos suficientes para vários debates daquilo que somos e fazemos em nossas comunidades de fé chamadas igrejas. Mas por enquanto vamos focar no texto base.

  1. A pregação de Pedro e os sinais dos apóstolos (40-43)

O conteúdo da pregação de Pedro era simples e direta: Salvação e consciência do mundo que nos rodeia. Com um número expressivo de convertidos, naquele tempo já era necessário um modelo formal de igreja que, segundo o versículo 42 já tinham um modelo de funcionamento – doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Os apóstolos realizavam sinais e nem prodígios (!), o texto narra que esses sinais eram feitos POR INTERMÉDIO DELES! E que havia temor nas pessoas que alí se encontravam.

  1. A atitude comunitária dos crentes (44-45)

A proposta inicial de comunidade ganha adeptos entre os cristãos. Vida comunitária com divisão de bens não era uma novidade no oriente, muitos povos tribais a milênios atrás já optavam em viver assim. Acontece que um dos diferenciais dessa igreja chamada de primitiva era o desapego aos bens materiais. O interessante é que muitos críticos da igreja instituição dizem que preferem viver nos moldes da igreja primitiva, mas não querem viver esse desapego material…

  1. A igreja no templo e nas casas (46-47)

Outra crítica dos desigrejados e desinstitucionalizados é que a igreja primitiva não se reunia em templos. O versículo 46 diz que Diariamente perseveravam unânimes no templo. E logo diz que TAMBÉM estavam de casa em casa buscando uma vida simples.

No versículo 47 diz que eram pessoas que tinham uma prática de louvar a Deus e eram simpáticos às pessoas (!?).

Por fim, era Deus quem acrescentava as pessoas, ou seja, ISSO NÃO É TAREFA HUMANA! Então não devemos nos preocupar em criar novos modelos de atrações às pessoas. Devemos sim cumprir com nosso papel como igreja, acreditando nela e vivendo de forma que louvamos a Deus, assim as pessoas serão acrescentadas por Deus!

Não importa se você diz que é templo e vai à igreja ou se é igreja e vai ao templo… Importa ser cristão e cumprir com nosso papel comunitário de doutrina, oração, comunhão, repartir o pão e proclamar a salvação. Se Deus escolheu a igreja para que tudo isso fosse desenvolvido, porque muitos dizem que a igreja não é o melhor lugar? Estaria Deus errado?

Em Tiago 1.16-18, está escrito: Não vos enganeis, meus amados irmãos. Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança. Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias de suas criaturas.

Soli Amori Christi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s