Movimento desagradável

“… A rejeição será parte de nossa vida como cristãos. Nem todo mundo vai gostar de nós ou de nossa mensagem. Essa declaração é um tapa na cara da maioria dos modelos pragmáticos de igreja que estão por aí desde a década de 1980, segundo os quais ser querido (e, portanto, ser frequentado) é o valor mais elevado.”

Extraído de: Por Que Amamos a Igreja (Kevin DeYoung e Ted Kluck)

Você consegue imaginar a igreja evangélica como um movimento desagradável?

Pois esta era a posição de muitos cristãos da igreja primitiva! Vejamos o texto bíblico em Atos 6:

1 Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária.2 Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas.3 Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço;4 e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.5 O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia.6 Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos.7 Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé.

8 Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.9 Levantaram-se, porém, alguns dos que eram da sinagoga chamada dos Libertos, dos cireneus, dos alexandrinos e dos da Cilícia e Ásia, e discutiam com Estêvão;10 e não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava.11 Então, subornaram homens que dissessem: Temos ouvido este homem proferir blasfêmias contra Moisés e contra Deus.12 Sublevaram o povo, os anciãos e os escribas e, investindo, o arrebataram, levando-o ao Sinédrio.13 Apresentaram testemunhas falsas, que depuseram: Este homem não cessa de falar contra o lugar santo e contra a lei;14 porque o temos ouvido dizer que esse Jesus, o Nazareno, destruirá este lugar e mudará os costumes que Moisés nos deu.15 Todos os que estavam assentados no Sinédrio, fitando os olhos em Estêvão, viram o seu rosto como se fosse rosto de anjo.

O desagrado do povo leva à necessidade de novos líderes e aquele que é usado por Deus causa incômodo social.

  1. Desagrado na igreja (1-7)

Como vimos anteriormente em Atos, Deus deu crescimento para os primeiros cristãos, ainda que o foco dos discípulos era a pregação da Palavra e não o número de convertidos. Só que junto ao crescimento, surge uma necessidade justificável de organização entre os líderes na igreja.

O versiculo 1 fala de dois grupos étnicos: Helenistas e hebreus. O primeiro reclamava que as viúvas não eram atendidas conforme o segundo grupo. Vale salientar que os Helenistas eram judeus de língua grega e o segundo eram judeus que falavam aramaico. Por conta disso é possível que o problema aqui não seja um descaso com as viúvas, e sim falta de comunicação.

Os versículos 2 a 4 é o discurso dos apóstolos acerca de suas responsabilidades e que era preciso eleger mais líderes com diferentes funções para atender a demanda da igreja.  Vale frisar o “curriculum” desses homens: “de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria.” (Cf. Vs. 3)

O versículo 4 eles determinam suas funções que é basicamente orar e pregar!!!

Apesar do desagrado anterior, conforme o versículo 5 a comunidade se agradou dessa decisão e escolhendo os 7 homens o qual foram consagrados  a consequências disso está no versículo 7, que diz: “Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé.”

Aqui vimos que uma igreja desorganizada gera murmuração e o caminho para resolver esse problema é envolver-me na organização da igreja, ou seja, servir! Não é incomum ver que os murmuradores de igreja são, na maioria das vezes, telespectadores da igreja e pouco se envolvem na organização.

  1. Desagrado social (8-15)

Aqui a narrativa muda de foco. Pois entre os escolhidos para assumir novas responsabilidades na igreja, um homem cheio de graça e poder, realizava grandes feitos entre o povo. Este homem era Estevão, e assim como Cristo Jesus, Estevão incomodou os religiosos de plantão!

Conforme o versículo 9 e 10, temos aqui pelo menos judeus de 4 sinagogas e culturas diferentes e TODOS ELES estavam incomodados com Estevão. Detalhe é que esses religiosos “perdiam” na argumentação de Estevão pois sua fala tinha sabedoria e o Espírito.

O texto segue narrando que esses líderes judeus (na minha opinião – eles não tinham argumentos) financiaram um plano para levantar caluniadores e, somente assim, acusar Estevão ao ponto de levá-lo a julgamento diante do sinédrio. O foco da acusação era o conteúdo da pregação, pois ele pregava a respeito das Boas Novas, ou seja, o Reino de Deus revelado em Jesus Cristo.

O melhor desta narrativa é “a cara” de Estevão diante do desagrado social gerado por estes religiosos. Há quem diga que esta foi uma maneira de descrever que Estevão se encontrava: puro, calmo, de postura serena e que irradiava a presença de Deus!

Neste segundo bloco, um homem cheio do Espírito Santo, escolhido pela igreja primitiva é perseguido por falar com autoridade a respeito de Jesus. Infelizmente nas cenas do próximo capítulo, a história desse missionário termina (alerta spoiler) com um final trágico e a entrada de Saulo ainda jovem nas narrativas de Atos.

Seja igreja ainda que não agrade a todos!!!

Soli Amori Christi

Um comentário sobre “Movimento desagradável

  1. Marlus de Barros Moreira disse:

    Realmente ser igreja, seja na época da igreja primitiva, seja na idade média ou nestes dias contemporâneos não foi e nunca será fácil. Trazer um mensagem e levá-la as pessoas que soa “andar” na contra partida não só do mundo, mas também de muitos “cristãos” tem sido um desafio. Ter um olhar mais crítico e profundo sobre si mesmo, seus valores e vida, comportamento e pensamentos à luz da Palavra de Deus, primeiro nos incomoda para que possamos incomodar o mundo social e caótico em que vivemos! Porém, não podemos desanimar na fé do Cristo que nos salvou e a cada dia nos moldar para ser de acordo com Sua soberana vontade e assim com nossa vida e pregação, ganharmos outros para a glória de Deus e multiplicarmos a igreja de Cristo. Interessante, pastor Leo, é que este texto, na íntegra, foi minha leitura devocional de ontem. E com suas “Palavras do Leo” complementa o que havia entendido: “Ser uma igreja relevante no meio onde vivo, ganhar almas para Cristo pelo poder do Espírito e permanecer com a fé inabalável de Estevão, mesmo em situações adversas.”

    Marlus Moreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s