A copa dos imigrantes

A poucos dias o mundo inteiro (na verdade apenas alguns torcedores) parou para acompanhar o Mundial de Futebol masculino, conhecido como Copa do Mundo.

Apesar das diversas opiniões sobre as novas regras (VAR), as polêmicas envolvendo jogadores e técnicos e as seleções “menores” avançando. Essa Copa foi realmente diferente de tudo que já vimos.

O Brasil, única seleção que carrega cinco títulos também pode ser considerada ironicamente como uma das maiores perdedoras de mundiais, considerando o número de participações sem sucesso!

Partindo para a final, tivemos uma interessante partida entre Croácia e França. Disputa de um título que seria inédito para os croatas ou uma segunda vez em que a seleção francesa ergueria a taça. E assim temos uma bicampeã seleção francesa de maioria imigrantes. Isto tem me chamado atenção: uma seleção composta, na maior parte de jogadores filhos de pais vindos de outras pátrias, justamente numa época que esse assunto tem dividido países até com a criação de muros.

Ao estudar a Palavra de Deus. É fácil perceber que desde o Antigo Testamento o povo de Deus é composto por imigrantes, um povo em busca de sua terra que vive em peregrinação do “jardim para as tribos; das tribos para as cidades; e das cidades para o céu”.

Um dos autores do Novo Testamento ao citar alguns grandes nomes do Antigo Testamento disse: Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. {Hebreus 11.13}

Numa compreensão maior TODOS os cristãos são peregrinos nesta terra, porém somos parte de um mesmo povo, pois assim está escrito:

Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus. {Efésios 2:19}

Já parou para imaginar como será lindo, um céu repleto de imigrantes? Povos de línguas, raças e nações diferentes todos juntos adorando ao único Deus?

ENTÃO CREIA EM JESUS E SEJA MAIS UM IMIGRANTE NESTA TERRA!

Soli Amori Christi

Figurinhas e Copa do Mundo

Não sou um grande fã de futebol. Normalmente são as pessoas que me atualizam sobre os resultados e colocações do meu time favorito, pois não tenho muita paciência de ficar assistindo aos jogos. Porém no período da copa do mundo de futebol, as coisas mudam e a maioria dos brasileiros tornam-se torcedores.

O que me chamou atenção nesta edição do mundial foram os colecionadores de figurinhas do álbum da copa. Já vi vários comentários negativos a respeito da relação de pais e filhos com essa moda, só que também tenho percebido algo positivo em tudo isso.

Conheço alguns pais que estão ajudando seus filhos e acompanhando suas coleções. Ao vê-los em uma área do shopping dedicado a trocas de figurinhas, fiquei muito feliz. O shopping é um local onde muitos pais só levam os filhos para comprar roupas, brinquedos e cinema. Normalmente o foco não é passear, nem estreitar a relação pai/mãe e filho, mas simplesmente pelo consumo de algo e logo após vão para casa.

Agora vejo pais e filhos indo aos locais para encontrar outros pais e filhos, e lá passar um tempo aprendendo que se deve criar relacionamentos para atingir metas, e que não é apenas uma troca de adesivos com fotos de homens e seus nomes estranhos. É uma troca de experiências familiares.

Outra coisa que me chama atenção é o fato de vivemos num mundo virtualizado onde se consegue fazer quase tudo pelas telas de nossos aparelhos. E justamente algo tão antigo, fazer coleção de figuras de papel, traz de volta as relações de pessoas com pessoas reais e pessoas com objetos reais (álbuns e figurinhas).

No fim, creio que tudo isso é um grito silencioso de famílias que precisam de motivação para viver momentos simples de relacionamento. E que precisamos ter algo real em nossas mãos, ainda que seja algo perecível como o papel.

Jesus sempre insistiu com seus seguidores de que o mundo virtual (religião) não é mais importante que o mundo real (pessoas/relacionamentos). Então vivamos no mundo real o que realmente importa!

Vingadores: Guerra de Liderança

Esse filme Vingadores: guerra infinita realmente mexeu comigo. Seja em produção cinematográfica, seja numa história corajosa, a Marvel está acertando muito em seus filmes.

Já escrevi um texto falando sobre a ideia de sacrifício tão presente neste filme, porém algo me chamou atenção na dinâmica de relacionamentos dos heróis. Juntar tantos heróis de diferentes culturas foi um grande desafio, porém toda boa equipe precisa de um líder, imagina então, juntar uma equipe onde há vários líderes. Agora imagina que alguns desses líderes não são verdadeiramente líderes, principalmente numa perspectiva bíblica.

Você já ouviu a expressão: é muito cacique para pouco índio?

Foi exatamente isso que aconteceu no filme. Que além dos caciques ainda tinham alguns índios que decidiram agir por conta própria, o que nos traz lições de como NÃO devemos agir! Foram pelo 7 personagens que tiveram atitudes que denominarei de síndrome de cacique. São eles: Homem de ferro, Dr. Estranho, Thor, Sr. Das Estrelas, Rocket, Gamorra e Homem-aranha.

Agora vejamos o que a bíblia diz sobre o verdadeiro sentido de liderança…

E chegaram a Cafarnaum. Em casa, perguntou-lhes: O que discutíeis no caminho? Mas eles se calaram, pois haviam discutido pelo caminho qual deles era o maior. Então, sentando-se, chamou os Doze e lhes disse: Se alguém quiser ser o primeiro, será o último e o servo de todos.

Este texto em Marcos 9.33-35, narra que alguns discípulos de Jesus estavam desenvolvendo essa síndrome de cacique. Interessante é que esses homens já estavam convivendo com Jesus e desfrutando do maior exemplo de liderança que pisou nesta terra.

Tanto no filme quanto na Bíblia, as atitudes que nos faz deixar uma natureza de servo para ser um chefe, vêm recheada de arrogância, egoísmo e prepotência. Tudo isso é contrário à proposta exemplar de Jesus Cristo, Ele disse que aqueles que querem ser seus seguidores devem negar a si mesmo, tomar a cruz, para assim, segui-lo.

O verdadeiro líder servo, tal como Jesus, é aquele que considera-se último, ou seja, é o “não-privilégios”, é pensar nos outros antes de mim, é correr para ficar no último lugar da fila.

Nesses três anos como pastor em tempo integral, tenho aprendido muito, principalmente com a equipe de liderança ministerial que Deus nos têm presenteado. Nela temos desenvolvido a máxima: transforme suas preocupações em cuidado. Onde cada jovem, ao identificar uma área carente ou débil, ele se torna a pessoa mais indicada para orar, se levantar e cuidar daquela área. Assim, temos desenvolvido um modelo estrutural de equipe resolutiva com mais disposição a ajudar.

O contrário do líder servo são pessoas que apenas reclamam e dão ideias para que os outros resolvam. Pessoas assim vivem frustradas, por não verem suas solicitações atendidas e procuram sempre estar numa posição confortável distante de problemas e sempre culpam os outros quando as coisas não dão certo.

Fico sempre pensando o quanto ser um líder servo é desafiador, pois somos “treinados” a ser mais, a mandar em alguém. Fico imaginando como aqueles discípulos vacilaram ao discutir sobre a forma errada de ser o maior, quando tinham diante deles o maior líder do universo. Mas também me preocupo quando tenho o exemplo em mãos e ainda vacilo quando tenho atitudes não servis.

Minha oração é por pessoas sempre dispostas a serem os últimos e gente que é resposta de Deus para resolver os problemas à sua volta.

Soli Amori Crhristi

Fim de festa

Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito; quem é injusto no pouco, também é injusto no muito. [Lucas 16.10]

Num desses feriados, estava eu despertando a caminho da varanda do apartamento, quando visualizo uma cena que me trouxe vergonha alheia: Um homem que aparentava mais de 50 anos abre a garagem de sua casa e começa a despejar dezenas de balões amarrados e outros soltos pela rua e ficava observando o vento levar…

Comecei a me perguntar, será que um homem dessa idade nunca aprendeu sobre o que devemos fazer com o lixo? Seria tão difícil estourar os balões e coloca-los no lixo?

Não falo apenas da qualidade de cuidado com a propriedade pública é também uma questão ecológica e, ainda mais, já imaginou uma criança, que ama balões correr atrás de um balão pela rua e acabar sendo mais uma vítima de um acidente? Aí você pensa que exagerei, mas quem conhece o comportamento de certas crianças pode imaginar o perigo que há.

Daí volto a pensar neste texto inicialmente citado. Jesus, por meio de parábola, ensina sobre dinheiro e neste versículo 10 traz essa belíssima constatação. Daí começo a pensar, qual a diferença de um homem que joga balões pela rua a um político envolvido no desvio de milhões? O que comete “errões” também comete “errinhos”, vice-versa!

O Brasil vive em fim de festa, jogando sua sujeira ou colocando embaixo do tapete. Gente que não cuida da própria rua ou da segurança dos pedestres não deveria reclamar daqueles que roubam nossos impostos.

Fazem textão nas redes virtuais e filosofam sobre qualquer coisa deitados em suas redes, mas faltam atitudes que geram reais mudanças.

O que esperar de um amanhã? Pessoas honestas, crianças educadas, jovens que mudam efetivamente o mundo à sua volta? Eu espero em Deus, que por graça e misericórdia usa pessoas para aliviar o peso de um mundo corrompido.

Bom seria se as pessoas fossem educadas com a Bíblia, antes mesmo de aprender a matemática do roubo, o português do engano, a biologia de machucar e a geografia de dominar.

Biblifique-se!

Soli Amori Christi

Obediência é um bom remédio

Leia o capítulo 28 de Gênesis…

O enganador Jacó assume o compromisso de obedecer seu pai e recebe a confirmação e Deus com respeito à sua missão.

  1. Fugir em obediência

Mais uma vez Rebeca, a mãe de Jacó e Esaú, arquiteta um plano de manipulação ao seu marido Isaque, só que desta vez não trata-se de apenas por predileção ao seu filho Jacó, mas por segurança mesmo. Depois de tudo que ele havia feito à seu irmão, Esaú pretendia tirar sua vida.

Então no capítulo anterior (27), Rebeca diz que seu filho precisava fugir e dá a localização para onde deveria ir. Ao passo que posteriormente convence seu marido a enviar seu filho para essas terras a fim de formar uma família.

Aqui também vemos Esaú ouvindo as dicas do pai e agindo em seguida, porém aqui está a diferença: NINGUÉM DEU ESSA ORDEM A ESAÚ! Dessa forma o que aparentemente seria uma maneira de agradar seu pai ao casar com alguém da linhagem de Abraão. Só que Esaú fez tudo errado ao juntar à sua casa uma esposa de uma família rejeitada por Deus, além das esposas pagãs que já havia causado sofrimento aos seus pais (Cf. Gn 26:34-35)

34 Tendo Esaú quarenta anos de idade, tomou por esposa a Judite, filha de Beeri, heteu, e a Basemate, filha de Elom, heteu. 35 Ambas se tornaram amargura de espírito para Isaque e para Rebeca.

  1. Manda quem pode…

A partir do versiculo 10 vamos acompanhando o diário de viagem de Jacó, onde em certo momento, ao anoitecer, ele precisa descansar e prepara uma “confortável” cama com direito a travesseiro de pedra.

É nesta noite que Jacó tem um sonho maravilhoso que revela  vontade de Deus para sua vida. Interessante é que num contexto de mentiras, manipulação e risco de morte, os planos de Deus são desenhados. Isso tudo é prova de amor e graça desse Deus soberano. Ainda há quem diga que não vê um Deus gracioso e amoroso no Antigo Testamento.

Na visão, Jacó vê essa escada com anjos descendo e subindo que simboliza o contato direto e permanente de Deus para com os “da terra”. Logo ele vê Deus que revela sua promessa a Jacó. O interessante é como Deus se apresenta como o Senhor da família (Abraão e Isaque).

Após acordar, Jacó reconhece a promessa e principalmente quem prometeu e sabe que Deus está com ele.

  1. … Obedece quem tem juízo

Agora confiante na promessa de Deus, Jacó faz é seu travesseiro uma coluna, marcando alí um local de adoração, pois foi neste lugar que Deus falou com ele. Mudou até o nome do local, que antes cidade chamada Luz foi renomeada por Betel, ou seja, Casa de Deus.

Solenemente Jacó afirma seu compromisso com Deus vai além do voto e do altar, pois atinge até as bênçãos materiais que o Senhor lhe concederá.

A vontade do Senhor é nos abençoar e para isso Ele é o único que pode transformar maldições e bênçãos na vida daqueles que o obedecem… (história da menina de Goiânia que ajuda crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual).

Deus é o Senhor da família!

Coloque todos os seus familiares em oração na presença de Deus e seja obediente a Sua soberana vontade, pois mesmo que nossa família esteja desajustada, o nosso Deus tem uma promessa específica para ela.

Sei que muitas vezes é difícil enxergar a promessa, mas é tudo um exercício de fé…

Hebreus 11:20-22

20 Pela fé, igualmente Isaque abençoou a Jacó e a Esaú, acerca de coisas que ainda estavam para vir. 21 Pela fé, Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José e, apoiado sobre a extremidade do seu bordão, adorou. 22 Pela fé, José, próximo do seu fim, fez menção do êxodo dos filhos de Israel, bem como deu ordens quanto aos seus próprios ossos.

Curiosamente um conhecido menino tem como avô um Jacó e como Pai um José, seu nome é Jesus! (Cf. Mt 1:16)

Soli Amori Christi

Relativismo Gospel (o fim justifica os meios?)

Em síntese: O relativismo é uma corrente que nega toda verdade absoluta e perene assim como toda ética absoluta, ficando a critério de cada indivíduo definir a sua verdade e o seu bem. Opõe-se ao fundamentalismo.

Recentemente publiquei um vídeo alertando e criticando certas linhas eclesiológicas e sujeitos pregadores que mesmo pregando de maneira errada, ou até utilizando meios ilícitos, têm como resultado de seu trabalho vidas transformadas. Cheguei a usar o exemplo de políticos que “roubam mas fazem”. Será que o fim justifica os meios?

Olhando para a Palavra, eu creio que a resposta é não!

É certo que Deus usou vidas de sujeitos pagãos para cumprir propósitos divinos, mas isso não tornam esses sujeitos “abençoados”. Por exemplo, numa história muito conhecida da Bíblia, o faraó foi usado por Deus, veja:

Êxodo 7:3-5

Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas. Mas Faraó não vos ouvirá; e eu porei minha mão sobre o Egito, e tirarei os meus exércitos, o meu povo, os filhos de Israel, da terra do Egito, com grandes juízos. E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando estender a minha mão sobre o Egito, e tirar os filhos de Israel do meio deles.

Faraó foi usado por Deus? Se sua resposta, como a minha é sim, então esse faraó seria um exemplo a ser seguido? É CLARO QUE NÃO!

Na Bíblia ainda tem relatos de reis, soldados e até nações inteiras que mesmo “não adoradores de Deus”, foram usados por Deus para cumprir sua vontade. Tudo isso não significa que o fim justifica os meios, mas sim que Deus é soberano e usa quem quer na hora que quer para satisfazer sua vontade plena.

Retornando aos nossos dias… se um pregador, uma igreja ou até uma religião prega heresias e usa artifícios não-bíblicos para, no fim, converter vidas a Cristo Jesus, faz-se destes bênçãos de Deus por conta dos resultados? Creio que não! Se há resultados de vidas consagradas ao Senhor é pela graça e misericórdia de Deus que se quiser usa até um ateu para cumprir seu propósito.

Contudo, seguindo a teologia paulina e outros autores de epístolas, chego à conclusão de que, mesmo mostrando resultados positivos (em meio aos negativos), pregadores, igrejas e religiões que usam meios incoerentes à luz das Escrituras DEVEM ser esclarecidas ao povo de Deus, de maneira que nós líderes carregamos a responsabilidade de denunciar seus erros!

Não se sinta incomodado a concordar ou discordar de mim, apenas leia alguns dos diversos exemplos nas Escrituras e tire sua própria conclusão!

Digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas. [Colossenses 2:4]

Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; [Colossenses 2:8]

Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus. [2 Tessalonicenses 2:3,4]

Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas dissoluções, e por causa deles será blasfemado o caminho da verdade; também, movidos pela ganância, e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita. [2 Pedro 2:1-3]

[…] e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição. [2 Pedro 3:15,16]

Todo aquele que vai além do ensino de Cristo e não permanece nele, não tem a Deus; quem permanece neste ensino, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz este ensino, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. [2 João 1:9,10]

Mas os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela que há em Cristo Jesus. Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; [2 Timóteo 3:13-16]

{Biblifique-se}

Soli Amori Christi

Santa Ceia ou Ceia dos santos?

Ser santo é simplesmente procurar viver como um cristão, ou seja, é ser Imitador de Cristo!

Disse Deus: Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus. [Levítico 20.26]

Tudo bem que o nosso Deus é Santo. Agora, quando Deus nos orienta a ser santo como Ele é o negócio complica! Como eu, um mortal pecador posso ser santo como Deus? Seria uma ilustração ou metáfora?

A resposta encontra-se na Palavra de Deus: Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. [1 Pedro 1.14-16] Pedro deixa claro que não se trata de uma simples ilustração ou metáfora é sim a maneira que TODO cristão deve viver!

Deste modo quando Paulo diz em 1 Coríntios 11.1 “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” Não se trata de uma atitude arrogante ou uma “ostentação gospel”, mas sim a imagem que Paulo preocupava-se em refletir. Assim também nós devemos refletir santidade a começar nos enxergando santos.

Mesmo Paulo que se enxerga imitador de Cristo foi um terrível pecador… E depois ele tornou-se perfeito? Veja o que diz a seguinte narrativa…

Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar- se. Então, Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas. [Atos 15.36-41]

Pois é, a discussão de Paulo com Barnabé leva-os a seguirem caminhos diferentes até segunda hora. Isto nos leva a entender que Paulo não tornou-se um extraterrestre ao dizer ser imitador de Cristo. Ele apenas entendeu a responsabilidade de carregar o nome de cristão.

Todos os dias somos “testados” para ver se realmente podemos carregar o nome de cristão! Apesar de nós, Cristo se entregou na cruz em nosso favor, então nossas atitudes devem refletir gratidão por Ele!

Vejamos o cenário original da ceia que Jesus realizou junto aos seus discípulos e extrair as devidas lições para nossas vidas…

Marcos 14:12-31

12 E, no primeiro dia da Festa dos Pães Asmos, quando se fazia o sacrifício do cordeiro pascal, disseram-lhe seus discípulos: Onde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a Páscoa? 13 Então, enviou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: Ide à cidade, e vos sairá ao encontro um homem trazendo um cântaro de água; 14 segui-o e dizei ao dono da casa onde ele entrar que o Mestre pergunta: Onde é o meu aposento no qual hei de comer a Páscoa com os meus discípulos? 15 E ele vos mostrará um espaçoso cenáculo mobilado e pronto; ali fazei os preparativos. 16 Saíram, pois, os discípulos, foram à cidade e, achando tudo como Jesus lhes tinha dito, prepararam a Páscoa.

17 Ao cair da tarde, foi com os doze. 18 Quando estavam à mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um dentre vós, o que come comigo, me trairá. 19 E eles começaram a entristecer-se e a dizer-lhe, um após outro: Porventura, sou eu? 20 Respondeu-lhes: É um dos doze, o que mete comigo a mão no prato. 21 Pois o Filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito; mas ai daquele por intermédio de quem o Filho do Homem está sendo traído! Melhor lhe fora não haver nascido!

22 E, enquanto comiam, tomou Jesus um pão e, abençoando-o, o partiu e lhes deu, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo. 23 A seguir, tomou Jesus um cálice e, tendo dado graças, o deu aos seus discípulos; e todos beberam dele. 24 Então, lhes disse: Isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos. 25 Em verdade vos digo que jamais beberei do fruto da videira, até àquele dia em que o hei de beber, novo, no reino de Deus.

26 Tendo cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras. 27 Então, lhes disse Jesus: Todos vós vos escandalizareis, porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas ficarão dispersas. 28 Mas, depois da minha ressurreição, irei adiante de vós para a Galiléia. 29 Disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, eu, jamais! 30 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que duas vezes cante o galo, tu me negarás três vezes. 31 Mas ele insistia com mais veemência: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei. Assim disseram todos.

A Ceia dos Santos é uma cerimônia de ações de graças realizada por homens pecadores, assim como os que estiveram com Jesus na ceia original.

  1. Cerimônia de gratidão pela “passagem”

Páscoa significa passagem e já era comemorada antes do surgimento do Cristianismo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito. Segundo a Bíblia, supostamente Jesus teria participado de várias celebrações pascais. Quando tinha doze anos de idade foi levado pela primeira vez pelos seus pais, José e Maria, para comemorar a Páscoa, conforme Lucas 2.41: Ora, anualmente iam seus pais a Jerusalém, para a Festa da Páscoa.

Retornando ao nosso texto, temos em Marcos 14.12-16, a preocupação dos discípulos em preparar a festa de páscoa para Jesus e seu grupo. Ainda que seja uma festa judaica, Jesus está de acordo com sua realização e ainda envia seus discípulos a procurar o local, que conforme o Mestre diz já está pronto!

  1. Na festa é anunciada a traição

Já viu videos na internet de acidentes em festas? Pois é, tem situações que quebram todo o brilho de um evento. Aqui, nos versículos 17 a 21, naquela que seria a ultima ceia pascal de Jesus com seus discípulos, viu o Senhor ser um momento oportuno de revelar que seria traído.

Será que o Mestre “errou” ao escolher um momento festivo para tratar de um assunto tão incômodo? Veja que no versículo 19 o texto diz que foi gerado um ambiente de tristeza, porém se Jesus o fez, significa que era o momento mais que adequado.

  1. A Ceia dos Santos

Dos versículos 22 a 25 é a realização cerimonial que nós cristãos fazemos repetidas vezes neste memorial. Aqui fica claro que esta ceia é diferente da festa de páscoa judaica em que costuma-se sacrificar um cordeiro. Aqui Jesus é o Cordeiro de Deus, que antes de seu sacrifício, celebra um pacto com seus discípulos. A Ceia dos Santos, é, portanto um memorial do pacto feito Jesus em que somos juntos o corpo dEle, e pelo Seu sangue somos libertos da condenação do pecado, que é o inferno.

Participar da Ceia é simbolicamente renovar essa aliança ou simplesmente rememorar a razão pela qual nos consideramos cristãos!

  1. O desafio de ser cristão

Após a ceia, Jesus saiu com seus discípulos para o monte das oliveiras. É a partir do versículo 26 que o texto narra essa caminhada de Jesus em que Ele previne seus mais próximos seguidores de que não seria fácil manterem-se firmes na fé. Imagina o Messias dizendo em sua cara que você o abandonaria… Daí vem as célebres palavras de Pedro: Ainda que todos se escandalizem, eu, jamais!

Veja que Pedro pronuncia belas palavras e traz veemência em seu discurso, porém após a Ceia dos Santos, em que Jesus realiza um pacto de fé com Pedro e seus companheiros, que este homem ouve a revelação de nosso Senhor de que ele o trairia três vezes. Seriam essas as melhores palavras de incentivo? Em tempos que certas religiões pregam a confissão positiva, em que a palavra do homem tem poder! Eu vejo Jesus falando uma verdade de dói… Pedro descobrirá que não é esse super-crente que imaginara.

Assim é a ceia dos santos, um memorial que reúne o povo de Deus, cheios de defeitos e pecados, em busca de renovar seu pacto com Cristo. Uma celebração que inclui entre os convidados, TRAIDORES e que mesmo assim, assim como Pedro, podemos ser usados por Deus e para a glória de Deus!

Minha oração é que possamos nos enxergar como Deus nos vê.

Soli Deo Gloria