Falando de amor – Philos

Philos é o amor entre irmãos, amor relacional. Lida com a personalidade humana – o intelecto, as emoções e a vontade. Envolve compartilhamento mútuo. Em português, a palavra mais próxima é amizade. A forma nominal é usada apenas uma vez no Novo Testamento (Tg 4.4), mas o verbo “amar”, no sentido de “gostar”, e o adjetivo “amável” são usados muitas vezes. Este é o grau de afeição que Pedro disse ter por Jesus quando este lhe perguntou, “Simão, filho de João, tu me amas?”. O pescador respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. No original grego, o sentido é: “Sim, Senhor, tu sabes que gosto de ti, que sou teu amigo” (Jo 21. 15,16).

Quando o Senhor revelou os mandamentos a Moisés, em Êxodo 20 a partir do versículo 1, os quatro primeiros estão totalmente ligados à Deus. Os mandamentos seguintes estão intrisecamente ligados ao relacionamento “uns aos outros”: Êxodo 20:12-17

12 Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.13 Não matarás.14 Não adulterarás.15 Não furtarás.16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.17 Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.

Então, quando Jesus diz em Mateus 22.37-39, que devemos amar a Deus acima de todas as coisas e que o próximo seja amado conforme nos amamos Ele está “resumindo” mesmo os mandamentos.

Durante a ceia, após a retirada de Judas Iscariotes, Jesus continua ensinando os 11 discípulos e em João 15.10-13, está escrito:

10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço.11 Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo.12 O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.13 Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.

Guardar os mandamentos é viver em amor que se reflete em nossas amizades!

  1. Amar é viver completo (10 e 11)

Conforme o versículo 10, para estar ligados ao amor de Cristo é preciso viver conforme Sua vontade vivendo como Ele viveu.

No verso 11 Jesus completa dizendo que somente assim nossa vida teria completude, ou seja, somente amando é que nossa vida tem sentido!

  1. Amizades verdadeiras são revelação do amor de Jesus (12 e 13)

No versículo 12 Jesus pede uma coisa muito difícil, que é amar como Ele amou! (Não seria mais fácil cumprir com os dez mandamentos?) Pois até este momento Jesus estava revelando aos seus discípulos um amor Philos. Só que a consequência desse a amor é tornar-se Ágape na cruz.

Conforme o versículo 13 diz: que o maior amor é dar a vida em favor do amigo.

Resumindo: toda forma de amor, se é o verdadeiro amor de Deus, resultará no amor de entrega, o amor ágape.

Soli Amori Christi

Falando de amor – Ágape

Falar de amor com os olhos na Palavra de Deus é um desafio extremamente prazeroso. A Bíblia fala de diversas manifestações de amor. É claro, que entre todas essas maneiras de amar, o amor de Deus por nós prevalece, não é por acaso que o conhecido João 3.16 fala que Deus enviou seu Filho por amor.

Mas que amor é esse, capaz de entregar-se à morte de cruz? É isso que vamos tentar entender nesta série a respeito das maneiras de Deus nos amar…

Romanos 8:31-39

31 Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?33 Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica.34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós.35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?36 Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro.37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.38 Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes,39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Paulo, ao falar do amor de Deus, recorre às perguntas retóricas para explicar a inviabilidade da separação deste amor.

  1. Perguntas e os “três quem”

Em todo o capítulo 8, Paulo discorre sobre questões da vida. E quem nunca questionou pelo menos uma vez a vida? Quem nunca parou pra pensar sobre coisas que ficaram para trás ou sobre situações que deveria ter agido de modo diferente, pois é, quando Paulo fala no versículo 31: “que diremos pois a vista destas coisas?” Ele está falando exatamente das questões da vida.

A segunda pergunta no mesmo versículo aponta a onipotência de Deus: “…quem será contra nós?” É o texto segue falando que ao entregar Jesus Cristo, Deus deixa claro que tem o melhor para nós.

Logo, o texto segue com o tríplice QUEM:

  • Quem nos acusará? (Deus justifica)
  • Quem nos condenará? (Cristo intercede)
  • Quem nos separará do amor de Cristo? (Nenhum percalço desta vida)
  1. Obstáculos são parte do caminho

O versículo 36 responde a esta terceira pergunta, pois estamos todos sujeitos à morte, como ovelhas em direção ao matadouro. Ou seja, viver é correr riscos, mas precisamos ficar atentos que isto é  parte do processo, que apesar dos obstáculos à qual estamos sujeitos, são rouba de nós o fato de que não vamos perder, pois o amor Dele nos faz vencedores (37).

Gosto do Salmo 119.165 que diz: “Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.” O salmista aqui fala que aqueles que amam a Lei de Deus, ou seja, Sua Palavra, não tropeçariam. Ele não fala sobre inexistência de obstáculos, mas sobre o não cair neles!

  1. O amor inseparável

Por fim, Paulo anuncia suas convicções quanto ao amor de Deus! No versículo 38 ele fala de coisas a qual não temos condições de controlar (até então estavam relacionados questões físicas da vida). Nós somos incapazes de controlar a vida ou à morte, ou o mundo espiritual, ou o tempo, ou forças ocultas, ou leis da física, ou até mesmo qualquer que seja a criatura poderá nos separar deste amor.

Este é o amor de Deus. Um inextinguível amor ágape – que se doa, se entrega e vem até nós tão só e simplesmente por graça!

Receba de graça este amor!!!

 Soli Amori Christi

“Por inteiro”

Como seria sentir-se pela metade? Ou como nos sentimos quando algo muito importante nos falta? “Por inteiro” é uma expressão que traz uma proposta de completude, totalidade e viver assim, para muitas pessoas é algo inalcançável! Vivemos em tempos onde é nos apresentado uma ideia de que para ser feliz é preciso ter tudo aquilo que o dinheiro pode comprar e neste constante crescimento de redes sociais, as pessoas se vêem quase que obrigadas a transmitir quem elas exatamente não são. O que se vê, então, são publicações da caricatura de si onde tenta-se transmitir a informação de que a vida é perfeita.

Na Palavra de Deus e especialmente nos tempos em que Jesus caminhou sobre a terra nao haviam redes sociais virtuais, mas sim gente que convivia com gente! E no meio das camadas sociais haviam pessoas insatisfeitas, incompletas e com certeza uma rede social que sentia-se assim eram os religiosos. Vejamos este dialogo em Lucas 10.25-29:

25 E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? 26 Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? 27 A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 28 Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás. 29 Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo?

A busca pela vida eterna leva um homem religioso a receber de Jesus o guia para viver por inteiro.

  1. A busca pela eternidade

Este homem do versículo 25 não tem nome. O que nos cabe saber dele é que conhecia a Lei, era um religioso, e como qualquer religioso dos nossos dias, é o tipo de pessoa mais preparado para burlar a fé. A narrativa diz que o intuito deste homem era colocar Jesus à prova e desta maneira ele interroga o Mestre.

A resposta interrogativa de Jesus leva o religioso a experimentar em palavras o cerne da Lei, pois era comum que um interprete da Lei fosse alguém bom com as palavras e ruim com a pratica e ninguém é feliz assim, ninguém é completo assim…

  1. A lei do amor (por inteiro)

A resposta do religioso no versículo 27 está cheia de conhecimento, só que provavelmente vazia de sentido. Aquele homem conhecia a vontade de Deus, mas infelizmente a Verdade Eterna não “saltava” do texto para seu interior. Há um cenário parecido em que Jesus é interrogado a respeito dos mandamentos, vejamos:

28 Chegando um dos escribas, tendo ouvido a discussão entre eles, vendo como Jesus lhes houvera respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o principal de todos os mandamentos? 29 Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! 30 Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. 31 O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. (Marcos 12.28-31)

Estar, ou melhor, viver por inteiro é compreender e praticar todo o real sentido deste amor, um amor sem fronteiras, sem amarras. Um amor único e supremo ao nosso Deus e um amor multidirecionado que parte de nós para nós e de nós para todos à nossa volta!

  1. A falta desse amor (pela metade)

Uma das maravilhas da Revelação é nela conter bons e maus exemplos. Aqui chegamos ao versículo 28, onde Jesus diz que a prática destes dois mandamentos traz vida. Logo o versículo que segue apresenta a incapacidade que o religioso tem em enxergar o próximo.

Neste capitulo do Evangelho de Lucas, após este texto, Jesus traz a conhecida parábola do samaritano que fora assaltado e largado pela estrada. Esta parábola representa um mundo em que as redes sociais nos afasta do “próximo”. Não nos sentimos completos por que não amamos ao nosso Deus com toda nossa força e nem com todo o nosso entendimento e consequentemente nos sentimos incompletos por que sequer conhecemos o próximo, como então amá-lo?

Ame Deus por inteiro e distribua este amor em sua rede social real! Assim, a vida será completa!

Soli Deo Gloria

Todos os caminhos levam a Deus!

Você deve conhecer esta expressão – todos os caminhos levam a Deus. Seja em tom de confronto, questionamento e até desculpa esfarrapada, esta frase está presente nas conversas religiosas por todo o planeta. Durante muitos anos na minha vida acreditei que sim, todos os caminhos levam a Deus. Depois da minha conversão, mudei radicalmente de opinião. Só que hoje quero refletir que SIM – todos os caminhos (com “c” minúsculo) levam a Deus.

É exatamente o que você leu. Hoje eu creio novamente que TODOS os caminhos levam a Deus, só que agora creio de uma outra perspectiva e não apenas uso esta expressão como desculpa para desencargo de consciência como fizera no passado.

Olhando para a Palavra de Deus tudo fica claro. E em se tratando de caminho deve ser de pleno entendimento a todo cristão de que só há um caminho para a salvação! Cristo Jesus, o nosso Senhor é o Caminho (com “C” maiúsculo). Só que na atual conjuntura da humanidade com sua população de míseros 7 bilhões e quase 300 milhões de habitantes, será que outras manifestações de fé também não trazem outros caminhos para Deus? Claro que sim, porém a salvação só há O Caminho!

E os outros caminhos? Eles levarão ao julgamento de Deus e TODOS passarão por este evento. Veja o que diz a Revelação a respeito do Julgamento:

de Israel

E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu proceder para convosco por amor do meu nome, não conforme os vossos maus caminhos, nem conforme os vossos atos corruptos, ó casa de Israel, diz o senhor Deus. (Ezequiel 20.44)

dos anjos

Aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia. (Judas 6)

dos crentes

E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele. Nisto é aperfeiçoado em nós o amor, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos também nós neste mundo. (1 João 4.16,17)

dos gentios

Quando, pois vier o Filho do homem na sua glória, e todos os anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e diante dele serão reunidas todas as nações; e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. (Mateus 25.31,32)

dos não-crentes

Não vos admireis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo. (João 5.28,29)

Em João 14. 4-6 está escrito: E para onde eu vou vós conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

{Biblifique-se}

Soli Deo Gloria

Vem me socorrer

{Palavrantiga}

Não tenho um tom
Não tenho palavras
Não tenho acorde que
Me socorra agora
Tudo foi embora
Só tenho você

Havia um silêncio
Que mostrou os meus vícios
Me agarro contigo
Vem me socorra agora
Tudo foi embora
Só tenho você amor
Agora

E essa não é mais uma canção de amor
Não, não, não

Eu canto pra ti
Sei onde estou
Olhando pra mim posso saber
Que nada sou

Eu grito pra ti oh Deus
Vem me socorrer
Olhando pra mim posso saber
Que nada posso fazer

Uma nova vida

Nascido em berço católico cresci participando de várias atividades desta igreja. Foi no ano de 1998 que decidi conhecer o seminário católico, e assim, fui encaminhado ao seminário. No Seminário Diocesano Católico comecei a ver a igreja católica com outras perspectivas e isso me afastou de lá. Os três anos que seguem passei a não querer ouvir falar de Deus e a procurar respostas para a vida na filosofia, psicologia, astrologia, entre outras fontes de conhecimento que não me levaram a lugar algum senão a uma “fase das trevas”. Iniciei e uma banda de rock com amigos participando e realizando eventos.

Tive uma ideia de pesquisar igrejas e relatar suas dificuldades. A primeira igreja de minha pesquisa foi a igreja Batista da Boa Vista e lá me senti contagiado por um projeto de um teatro evangelístico chamado Casa do Julgamento. Por curiosidade me envolvi e participei de todos os ensaios. Foi lá que senti o amor de Deus pela primeira vez em minha vida através da juventude da igreja que ensinaram o verdadeiro sentido do amor. Ao participar de um discipulado comecei a sentir amor pelos perdidos, principalmente por aqueles da “fase das trevas”.

Desde o início na igreja me senti cada vez mais chamado por Deus para um ministério específico, mas não queria assumir por medo e por considerar que a vida de pastor ou missionário nada fácil. Deus sempre mostrou que queria mais de mim! Continuei fugindo até que homens enviados por Deus perceberam este chamado, me ensinaram a vencer o medo e aceitar o chamado como propósito maior de Deus para minha vida.

Hoje cumprindo mais uma etapa desta nova vida, agora consagrado ao Senhor ganho um Pr. antes do nome. Por tudo Obrigado Deus!!!

Soli Deo Gloria

Leonardo Cristovão Gomes da Silva

Atitude!!!

Falar de atitude olhando para a Palavra de Deus é algo desafiador. O em toda a Bíblia somos chamados a uma postura, uma posição e sair de onde estamos nem sempre é fácil. A carta de Paulo aos romanos foi uma forma de preparar o povo da igreja de Roma para sua chegada. Está claro na carta o foco no ensino doutrinário de Paulo e, assim, a necessidade que este povo tinha de assimilar o cristianismo às suas vidas. Seria diferente hoje? Ainda precisamos assimilar muito do que a Palavra de Deus nos ensina, por isso a Palavra nunca se desgasta com o tempo. A exemplo do romanos somos desafiados a tomar atitudes que fazem toda a diferença na vida do povo de Deus.

Romanos 12. 9 – 21

9 O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem.10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.11 Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor;12 Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;13 Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade;14 Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis.15 Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram;16 Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos;17 A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens.18 Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.19 Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor.20 Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça.21 Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.

Neste texto somos desafiados a tomar atitudes em amor nos relacionamentos interpessoais e intrapessoais. A comunicação interpessoal é um método de comunicação que promove a troca de informações entre duas ou mais pessoas. Comunicação intrapessoal é a comunicação que uma pessoa tem consigo mesma – corresponde ao diálogo interior onde debatemos as nossas dúvidas, perplexidades, dilemas, orientações e escolhas.

Vejamos quatro atitudes que precisamos tomar na vida como corpo de Cristo:

I.Tudo em amor
Amor não fingido é uma expressão muito forte! E caracteriza a existência de um amor assim na vida da igreja. O fato de Paulo tocar neste assunto deixa claro o quanto somos tentados a forjar, ou seja, a fingir um amor relacional. Claro que é muito mais fácil fingir amar. Amar é deixar o nosso eu pelo outro.
“Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos.” (1 João 3:16-17)

II.O serviço ao Senhor
Ter atitude de servo. Servir com fervor é participar das tribulações e não se abalar, ser perseverante. No sevirço ao Senhor sofremos desgaste e constantemente pensamos em desistir ou até desistimos. Paulo orienta os crentes de Roma a continuar no serviço em alegria, paciência e oração. Veja que cada um desses pontos são de extrema importância na vida da igreja. A falta de alegria, de paciência e principalmente de oração se reflete na vida do crente, esse reflexo influencia negativamente nossos irmãos.

III.Juntos somos mais
Hospitalidade… esse é um dom pouco procurado. Temos uma pluralidade religiosa em nosso país e em algumas religiões há uma busca desenfreada pelos chamados dons do Espírito Santo, porém o dom de hospitalidade é negligenciado por muitos crentes. Estar junto e abençoar o que nos persegue é uma atitude bíblica invertida pelo mundo. O que aprendemos hoje é revidar quando “pisam em nosso calo”. Outra atitude que a bíblia contraria o mundo é a humildade e na igreja deve-se evitar a arrogância e assim viver em paz uns com os outros.

IV.Deus é o justo juiz
Mais uma vez Paulo insistentemente fala sobre como deve-se reagir diante daqueles que são nossos inimigos. Fazer o bem aquele que nos quer mal, faz sua consciência pesar. O que se espera quando alguém faz algum mal é a vingança, isto é ensinado até em desenhos infantis, porém a Bíblia nos chama para uma atitude diferenciada. Assim é o Reino de Deus. O bem prevalece sobre o mal…

“Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder;” (II Tessalonicenses 1. 11)

Soli Deo Gloria