A copa dos imigrantes

A poucos dias o mundo inteiro (na verdade apenas alguns torcedores) parou para acompanhar o Mundial de Futebol masculino, conhecido como Copa do Mundo.

Apesar das diversas opiniões sobre as novas regras (VAR), as polêmicas envolvendo jogadores e técnicos e as seleções “menores” avançando. Essa Copa foi realmente diferente de tudo que já vimos.

O Brasil, única seleção que carrega cinco títulos também pode ser considerada ironicamente como uma das maiores perdedoras de mundiais, considerando o número de participações sem sucesso!

Partindo para a final, tivemos uma interessante partida entre Croácia e França. Disputa de um título que seria inédito para os croatas ou uma segunda vez em que a seleção francesa ergueria a taça. E assim temos uma bicampeã seleção francesa de maioria imigrantes. Isto tem me chamado atenção: uma seleção composta, na maior parte de jogadores filhos de pais vindos de outras pátrias, justamente numa época que esse assunto tem dividido países até com a criação de muros.

Ao estudar a Palavra de Deus. É fácil perceber que desde o Antigo Testamento o povo de Deus é composto por imigrantes, um povo em busca de sua terra que vive em peregrinação do “jardim para as tribos; das tribos para as cidades; e das cidades para o céu”.

Um dos autores do Novo Testamento ao citar alguns grandes nomes do Antigo Testamento disse: Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. {Hebreus 11.13}

Numa compreensão maior TODOS os cristãos são peregrinos nesta terra, porém somos parte de um mesmo povo, pois assim está escrito:

Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus. {Efésios 2:19}

Já parou para imaginar como será lindo, um céu repleto de imigrantes? Povos de línguas, raças e nações diferentes todos juntos adorando ao único Deus?

ENTÃO CREIA EM JESUS E SEJA MAIS UM IMIGRANTE NESTA TERRA!

Soli Amori Christi

Fim de festa

Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito; quem é injusto no pouco, também é injusto no muito. [Lucas 16.10]

Num desses feriados, estava eu despertando a caminho da varanda do apartamento, quando visualizo uma cena que me trouxe vergonha alheia: Um homem que aparentava mais de 50 anos abre a garagem de sua casa e começa a despejar dezenas de balões amarrados e outros soltos pela rua e ficava observando o vento levar…

Comecei a me perguntar, será que um homem dessa idade nunca aprendeu sobre o que devemos fazer com o lixo? Seria tão difícil estourar os balões e coloca-los no lixo?

Não falo apenas da qualidade de cuidado com a propriedade pública é também uma questão ecológica e, ainda mais, já imaginou uma criança, que ama balões correr atrás de um balão pela rua e acabar sendo mais uma vítima de um acidente? Aí você pensa que exagerei, mas quem conhece o comportamento de certas crianças pode imaginar o perigo que há.

Daí volto a pensar neste texto inicialmente citado. Jesus, por meio de parábola, ensina sobre dinheiro e neste versículo 10 traz essa belíssima constatação. Daí começo a pensar, qual a diferença de um homem que joga balões pela rua a um político envolvido no desvio de milhões? O que comete “errões” também comete “errinhos”, vice-versa!

O Brasil vive em fim de festa, jogando sua sujeira ou colocando embaixo do tapete. Gente que não cuida da própria rua ou da segurança dos pedestres não deveria reclamar daqueles que roubam nossos impostos.

Fazem textão nas redes virtuais e filosofam sobre qualquer coisa deitados em suas redes, mas faltam atitudes que geram reais mudanças.

O que esperar de um amanhã? Pessoas honestas, crianças educadas, jovens que mudam efetivamente o mundo à sua volta? Eu espero em Deus, que por graça e misericórdia usa pessoas para aliviar o peso de um mundo corrompido.

Bom seria se as pessoas fossem educadas com a Bíblia, antes mesmo de aprender a matemática do roubo, o português do engano, a biologia de machucar e a geografia de dominar.

Biblifique-se!

Soli Amori Christi

Relativismo Gospel (o fim justifica os meios?)

Em síntese: O relativismo é uma corrente que nega toda verdade absoluta e perene assim como toda ética absoluta, ficando a critério de cada indivíduo definir a sua verdade e o seu bem. Opõe-se ao fundamentalismo.

Recentemente publiquei um vídeo alertando e criticando certas linhas eclesiológicas e sujeitos pregadores que mesmo pregando de maneira errada, ou até utilizando meios ilícitos, têm como resultado de seu trabalho vidas transformadas. Cheguei a usar o exemplo de políticos que “roubam mas fazem”. Será que o fim justifica os meios?

Olhando para a Palavra, eu creio que a resposta é não!

É certo que Deus usou vidas de sujeitos pagãos para cumprir propósitos divinos, mas isso não tornam esses sujeitos “abençoados”. Por exemplo, numa história muito conhecida da Bíblia, o faraó foi usado por Deus, veja:

Êxodo 7:3-5

Eu, porém, endurecerei o coração de Faraó e multiplicarei na terra do Egito os meus sinais e as minhas maravilhas. Mas Faraó não vos ouvirá; e eu porei minha mão sobre o Egito, e tirarei os meus exércitos, o meu povo, os filhos de Israel, da terra do Egito, com grandes juízos. E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando estender a minha mão sobre o Egito, e tirar os filhos de Israel do meio deles.

Faraó foi usado por Deus? Se sua resposta, como a minha é sim, então esse faraó seria um exemplo a ser seguido? É CLARO QUE NÃO!

Na Bíblia ainda tem relatos de reis, soldados e até nações inteiras que mesmo “não adoradores de Deus”, foram usados por Deus para cumprir sua vontade. Tudo isso não significa que o fim justifica os meios, mas sim que Deus é soberano e usa quem quer na hora que quer para satisfazer sua vontade plena.

Retornando aos nossos dias… se um pregador, uma igreja ou até uma religião prega heresias e usa artifícios não-bíblicos para, no fim, converter vidas a Cristo Jesus, faz-se destes bênçãos de Deus por conta dos resultados? Creio que não! Se há resultados de vidas consagradas ao Senhor é pela graça e misericórdia de Deus que se quiser usa até um ateu para cumprir seu propósito.

Contudo, seguindo a teologia paulina e outros autores de epístolas, chego à conclusão de que, mesmo mostrando resultados positivos (em meio aos negativos), pregadores, igrejas e religiões que usam meios incoerentes à luz das Escrituras DEVEM ser esclarecidas ao povo de Deus, de maneira que nós líderes carregamos a responsabilidade de denunciar seus erros!

Não se sinta incomodado a concordar ou discordar de mim, apenas leia alguns dos diversos exemplos nas Escrituras e tire sua própria conclusão!

Digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas. [Colossenses 2:4]

Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; [Colossenses 2:8]

Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus. [2 Tessalonicenses 2:3,4]

Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas dissoluções, e por causa deles será blasfemado o caminho da verdade; também, movidos pela ganância, e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita. [2 Pedro 2:1-3]

[…] e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição. [2 Pedro 3:15,16]

Todo aquele que vai além do ensino de Cristo e não permanece nele, não tem a Deus; quem permanece neste ensino, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz este ensino, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. [2 João 1:9,10]

Mas os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela que há em Cristo Jesus. Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; [2 Timóteo 3:13-16]

{Biblifique-se}

Soli Amori Christi

De “fora para dentro”

Você já deve ter ouvido falar que a palavra que fora traduzida para igreja, no original em grego tem um significado com algo parecido como: “chamados para fora”. Será que este era o real sentido desta palavra para os discípulos de Jesus?

Veja o que Robert Cara, em um artigo bem interessante chamado “Cuidado com o Significado Oculto da Raiz de uma Palavra“, escreve sobre ekklesia:

No grego, mais do que no português, muitas palavras são uma combinação de duas outras palavras, mas geralmente o estudo etimológico do porquê e de quando essas palavras foram combinadas é completamente desconhecido pelo autor do Novo Testamento. A palavra grega ekklesia, que é geralmente traduzida por “igreja”, é uma combinação das palavras chamar e fora. Contudo, os dicionários gregos acadêmicos não dão a definição de “os chamados para fora” para a palavra ekklesia, porque ela não está sendo usada dessa maneira no Novo Testamento. Embora seja teologicamente verdadeiro que cristãos tenham sido chamados para fora do mundo pecaminoso para ser a igreja, essa verdade não é derivada da palavra ekklesia. Semelhantemente, no inglês moderno a palavra butterfly (borboleta) é claramente composta das palavras butter (manteiga) e fly (mosca), mas isso não nos ajuda a entender melhor o inseto.

A Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã traz a seguinte definição para igreja:

“No NT, “igreja”traduz a palavra grega ekklēsia. No grego secular, ekklēsia designava uma assembléia pública, e este significado ainda foi mantido no NT (At 19.32, 39, 41).

É interessante notar que algumas das pessoas que enfatizam o “chamados para fora” são também contra a reunião dos crentes em um prédio para cultuar a Deus. Contudo, como o uso do termo ekklēsia mostra, a igreja é uma assembléia (ou seja, uma reunião) e a igreja em Atos se reunia sim em locais fechados para cultuar a Deus, orar e ouvir a Palavra.

(pesquisa de Vinicius Pimentel, fundador do site: Voltemos ao Evangelho).

Vejamos o que está escrito em Atos 3:1-11

Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona. 2 Era levado um homem, coxo de nascença, o qual punham diariamente à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. 3 Vendo ele a Pedro e João, que iam entrar no templo, implorava que lhe dessem uma esmola. 4 Pedro, fitando-o, juntamente com João, disse: Olha para nós. 5 Ele os olhava atentamente, esperando receber alguma coisa. 6 Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! 7 E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram; 8 de um salto se pôs em pé, passou a andar e entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus. 9 Viu-o todo o povo a andar e a louvar a Deus, 10 e reconheceram ser ele o mesmo que esmolava, assentado à Porta Formosa do templo; e se encheram de admiração e assombro por isso que lhe acontecera. 11 Apegando-se ele a Pedro e a João, todo o povo correu atônito para junto deles no pórtico chamado de Salomão.

Pedro e João são a igreja que age também trazendo os “de fora”

O que podemos aprender com esta cura milagrosa…

  1. A prática constante de oração leva os discípulos a oportunidades missionárias. (1-3)

Os judeus tinham uma prática diária de oração e que era dividida em pelo. Enos três vezes ao longo do dia: nove horas da manha, meio dia e três da tarde. A “hora nona” do versículo 1, são três da tarde. Os primeiros cristãos a exemplo dos discípulos mantiveram essa prática. Foi que em um desses momentos em que pedintes ficavam à porta do templo esperando que uma boa alma lhes desse algo, em que Pedro e João são colocados ali por Deus para levar cura.

  1. Autoridade em nome de Jesus. (4-6)

Os discípulos dizem no versículo 4: olhe para nós! Eles eram homens simples sem nenhum adereço de riqueza ou de sacerdócio farisaico. Homens simples que traziam consigo uma poderosa mensagem (vs.6): a fé! É pela fé na autoridade que há no nome de Jesus que aquele homem é curado dessa doença que o acompanhou toda a vida.

  1. Atitude de fé e gratidão. (7-8)

Mas os discípulos não permaneceram apenas com uma palavra de fé, eles tiveram uma atitude de fé. Ajudaram o homem a levantar-se revelando sua cura e consequentemente o homem, antes aleijado, agora entra no templo sem medo de ser feliz. Saltando e louvando ao Senhor!

  1. Testemunho. (9-11)

Os versículos 9 e 10 mostram o que este testemunho de vida faz na vida daqueles que estão no templo. Testemunhar é conhecer oocorrido eaquele povo frequentador do templo conhecia a história daquele homem. No versículo 11 narra que as pessoas sguiram este homem juntamente com os dois discípulos em direção ao pórtico de Salomão, que é o local em que Jesus ensinou a respeito do “bom pastor”: João 10. 23-25

23 Jesus passeava no templo, no Pórtico de Salomão. 24 Rodearam-no, pois, os judeus e o interpelaram: Até quando nos deixarás a mente em suspenso? Se tu és o Cristo, dize-o francamente. 25 Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai testificam a meu respeito. 26 Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas. 27 As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem.

Que nossa vida na igreja reproduza a vontade de Deus para nós. Que sejamos capazes de trazer irmãos para dentro dessa família chamada igreja!!!

Solo Amori Christi

Falando de amor – Philos

Philos é o amor entre irmãos, amor relacional. Lida com a personalidade humana – o intelecto, as emoções e a vontade. Envolve compartilhamento mútuo. Em português, a palavra mais próxima é amizade. A forma nominal é usada apenas uma vez no Novo Testamento (Tg 4.4), mas o verbo “amar”, no sentido de “gostar”, e o adjetivo “amável” são usados muitas vezes. Este é o grau de afeição que Pedro disse ter por Jesus quando este lhe perguntou, “Simão, filho de João, tu me amas?”. O pescador respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. No original grego, o sentido é: “Sim, Senhor, tu sabes que gosto de ti, que sou teu amigo” (Jo 21. 15,16).

Quando o Senhor revelou os mandamentos a Moisés, em Êxodo 20 a partir do versículo 1, os quatro primeiros estão totalmente ligados à Deus. Os mandamentos seguintes estão intrisecamente ligados ao relacionamento “uns aos outros”: Êxodo 20:12-17

12 Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.13 Não matarás.14 Não adulterarás.15 Não furtarás.16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.17 Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.

Então, quando Jesus diz em Mateus 22.37-39, que devemos amar a Deus acima de todas as coisas e que o próximo seja amado conforme nos amamos Ele está “resumindo” mesmo os mandamentos.

Durante a ceia, após a retirada de Judas Iscariotes, Jesus continua ensinando os 11 discípulos e em João 15.10-13, está escrito:

10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço.11 Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo.12 O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.13 Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.

Guardar os mandamentos é viver em amor que se reflete em nossas amizades!

  1. Amar é viver completo (10 e 11)

Conforme o versículo 10, para estar ligados ao amor de Cristo é preciso viver conforme Sua vontade vivendo como Ele viveu.

No verso 11 Jesus completa dizendo que somente assim nossa vida teria completude, ou seja, somente amando é que nossa vida tem sentido!

  1. Amizades verdadeiras são revelação do amor de Jesus (12 e 13)

No versículo 12 Jesus pede uma coisa muito difícil, que é amar como Ele amou! (Não seria mais fácil cumprir com os dez mandamentos?) Pois até este momento Jesus estava revelando aos seus discípulos um amor Philos. Só que a consequência desse a amor é tornar-se Ágape na cruz.

Conforme o versículo 13 diz: que o maior amor é dar a vida em favor do amigo.

Resumindo: toda forma de amor, se é o verdadeiro amor de Deus, resultará no amor de entrega, o amor ágape.

Soli Amori Christi

Brincando com a Verdade

Primeiro de Abril é conhecido como o dia da mentira. Mentir, para muitos pode até ser normal, só não pode ser uma prática de qualquer pessoa que se considera cristão!

Muitos vão considerar esse argumento um tanto radical, pois quando mentem é só por brincadeira, para rir. Uma mentirinha. O interessante é que a Palavra de Deus é completa e fala sobre esse tipo de mentirinha também. Veja:

Como o louco que lança fogo, flechas e morte, assim é o homem que engana a seu próximo e diz: Fiz isso por brincadeira. (Provérbios 26.18-19)

Que pancada hein?! Essa é a Sagrada Escritura, também conhecida como A VERDADE. Lembra daquela célebre cena em que uma testemunha coloca a mão sobre uma Bíblia e com a outra levantada jura que só falará a verdade no tribunal?

Se a Bíblia é a Verdade, ela mesma afirma que conhecendo a Verdade, ela nos libertará. Então se eu estou conhecendo a Verdade e ainda pratico mentiras, mesmo que brincando, eu não estou livre! A mentira prende e escraviza pessoas. Pode constatar: toda pessoa que está viciada em algo, como drogas, pornografia, jogos ou traição, são ao mesmo tempo escravas da mentira.

O que me chama atenção também é ver crentes que fazem alguma coisa que para eles é algo normal, porém outros crentes consideram pecado. Assim, para não “escandalizar” (evangeliquês) esses crentes e ser julgados por eles, usa-se de mentira. Tem algo muito errado aqui!!!

É possível ser divertido e descolado sem ser mentiroso! Mas não é possível ser divertido, descolado, mentiroso e cristão ao mesmo tempo. Faço minhas as palavras de João:

Não vos escrevi porque não saibais a verdade; antes, porque a sabeis, e porque mentira alguma jamais procede da verdade. (1 João 2.21)

Soli Amori Christi

Todos os caminhos levam a Deus!

Você deve conhecer esta expressão – todos os caminhos levam a Deus. Seja em tom de confronto, questionamento e até desculpa esfarrapada, esta frase está presente nas conversas religiosas por todo o planeta. Durante muitos anos na minha vida acreditei que sim, todos os caminhos levam a Deus. Depois da minha conversão, mudei radicalmente de opinião. Só que hoje quero refletir que SIM – todos os caminhos (com “c” minúsculo) levam a Deus.

É exatamente o que você leu. Hoje eu creio novamente que TODOS os caminhos levam a Deus, só que agora creio de uma outra perspectiva e não apenas uso esta expressão como desculpa para desencargo de consciência como fizera no passado.

Olhando para a Palavra de Deus tudo fica claro. E em se tratando de caminho deve ser de pleno entendimento a todo cristão de que só há um caminho para a salvação! Cristo Jesus, o nosso Senhor é o Caminho (com “C” maiúsculo). Só que na atual conjuntura da humanidade com sua população de míseros 7 bilhões e quase 300 milhões de habitantes, será que outras manifestações de fé também não trazem outros caminhos para Deus? Claro que sim, porém a salvação só há O Caminho!

E os outros caminhos? Eles levarão ao julgamento de Deus e TODOS passarão por este evento. Veja o que diz a Revelação a respeito do Julgamento:

de Israel

E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu proceder para convosco por amor do meu nome, não conforme os vossos maus caminhos, nem conforme os vossos atos corruptos, ó casa de Israel, diz o senhor Deus. (Ezequiel 20.44)

dos anjos

Aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia. (Judas 6)

dos crentes

E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele. Nisto é aperfeiçoado em nós o amor, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos também nós neste mundo. (1 João 4.16,17)

dos gentios

Quando, pois vier o Filho do homem na sua glória, e todos os anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e diante dele serão reunidas todas as nações; e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. (Mateus 25.31,32)

dos não-crentes

Não vos admireis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo. (João 5.28,29)

Em João 14. 4-6 está escrito: E para onde eu vou vós conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

{Biblifique-se}

Soli Deo Gloria