Salmos de alegria {parte 1}

Salmo 4:1-8

1 Responde-me quando clamo, ó Deus da minha justiça; na angústia, me tens aliviado; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração. 2 Ó homens, até quando tornareis a minha glória em vexame, e amareis a vaidade, e buscareis a mentira? 3 Sabei, porém, que o SENHOR distingue para si o piedoso; o SENHOR me ouve quando eu clamo por ele. 4 Irai-vos e não pequeis; consultai no travesseiro o coração e sossegai. 5 Oferecei sacrifícios de justiça e confiai no SENHOR. 6 Há muitos que dizem: Quem nos dará a conhecer o bem? SENHOR, levanta sobre nós a luz do teu rosto. 7 Mais alegria me puseste no coração do que a alegria deles, quando lhes há fartura de cereal e de vinho. 8 Em paz me deito e logo pego no sono, porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro.

Este Salmo faz parte do livro de número 1 na divisão dos Salmos em cinco partes. Cada uma dessas cinco partes têm uma temática distinta na seguinte forma: desgraça e fé (1-41); confusão e confissão (42-72); desespero pela desobediência (73-89); esperança com o passado (90-106); e finalmente “louvor” (107-150) que são Salmos carregados de esperança visto que o povo saíra do exílio.

  1. Deus conhece a intenção do coração

A certeza de que Deus “está atento” à oração do salmista (cf. vs. 1) está no conhecimento de que Deus é misericordioso. Deus ouve o clamor daqueles que o buscam “em espírito e em verdade”, por isso os versículos 2 e 3 são um alerta para aqueles que não buscam Deus com todo vigor, pois Ele sabe que clama de todo coração!

  1. É preciso buscar a justiça

“irai-vos e não pequeis”! O início do versículo 4 é um chamado à justiça de Deus. Tiago entendeu bem isso quando diz: “Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus.” (Cf. Tg. 1.20) Logo em seguida este mesmo versículo fala que devemos refletir nossos atos ao fim do dia: “Consultai no travesseiro o coração e sossegai”.

O versículo 6 traz uma poesia fantástica que devemos compreender bem. A “luz do rosto de Deus” é o entendimento de que Deus sonda e conhece todas as nossas intenções! Veja o que diz o Salmo 90.8: “Diante de ti puseste nossas iniquidades e, sob a luz do teu rosto, os nossos pecados ocultos”. O próprio Deus nos fará conhecer o bem…

  1. A verdadeira alegria vem de Deus

Os dois versículos finais é o claro e simples reconhecimento da fonte de alegria do salmista:

  1. A alegria não deve vir das coisas (vs. 7);
  2. A alegria traz paz (vs. 8a);
  3. É alegre aquele que descansa em Deus! (vs. 8b).

Assim, todo aquele que procura alegria, deve buscar em Deus, que conhece nossas intenções, sonda nosso coração e nos faz descansar na confiança de que Ele mesmo é a nossa segurança.

Soli Amori Christi

Jesus Hóspede

Quantos de nós está certo de que Jesus mora em nosso coração? Aceitar a Cristo Jesus é recebê-lo em nossas vidas. A partir daí deixar que o Santo Espírito de Deus faça morada em nós. Mas será que Jesus tem sido um bom Hóspede em nossas vidas?

Há uma ocasião narrada apenas no Evangelho segundo Lucas que retrata uma experiência em que o Messias é recebido por duas irmãs em uma casa, cada uma O trata de forma diferente nos dando uma lição muito importante.

O texto se encontra em: Lucas 10. 38-42

“E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.”

Naqueles dias era comum hospedar viajantes em casa. No Evangelho segundo Lucas esta narrativa está logo após a parábola dom bom samaritano. É interessante essa forma como o texto está organizado, pois na parábola do bom samaritano, o bom homem usou de misericórdia cuidando do homem assaltado e abandonado na estrada e logo em seguida Jesus entra em uma aldeia e é recebido pelas irmãs: Marta e Maria.

Na ocasião Marta está muito preocupada em cuidar de Jesus, pois aquele não era um simples homem e sua fama se espalhava pelas vilas e cidades. Mas Jesus não precisava de tais cuidados, Ele estava naquela casa para abençoar as vidas que alí residem e não para ser servido.

Em vários momentos Jesus alerta que precisamos ser servos uns dos outros, que o servo é honrado em servir e que todos somos servos do nosso grandioso Deus. Mas, se não entendermos bem o significado de servir, estamos fadados ao ativismo. Isso é algo comum aos líderes… quantas vezes EU preciso rever meu serviço ao Senhor por estar caindo no ativismo. Seja sincero, ao receber um importante homem em sua casa, o que você faria?

Assim acontece com Jesus em nossas vidas… O aceitamos como Senhor e Salvador, ficamos felizes pela nova vida e começamos a servir ao nosso Deus. Com o passar dos anos estamos tão acostumados com o serviço que mais parece que estamos “terceirizando” a obra que Deus nos deu.

A parte que Maria escolheu foi a boa parte e não lhe será tirada. Jesus disse: “Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária…” não quero dizer que devemos parar de fazer tudo o quanto temos feito em nossas igrejas, mas, pense comigo… será que estou servindo ao meu Mestre? Se estou servindo, tenho feito a melhor parte? Que nosso bom Deus nos mostre a melhor maneira de servir!

Soli Deo Gloria

Um coração como o dEle

por Max Lucado

E se, por vinte e quatro horas, Jesus acordasse em sua cama, calçasse seus sapatos e cumprisse a sua agenda? Seu chefe passasse a ser o chefe dEle, e suas dores se tornassem as dores dEle? Com exceção de uma coisa, nada em sua vida não mudaria. Sua saúde continuaria a mesma. Circunstâncias iguais, horários inalterados, problemas pendentes. Somente um detalhe modificado. 

E se, durante um dia e uma noite, Jesus vivesse a sua vida com o coração dEle? Seu coração ganhasse um dia de folga e sua vida fosse dirigida segundo o coração de Cristo? As prioridades dEle governando suas ações. As paixões dEle guiando suas decisões. O amor de Jesus conduzindo seu comportamento.

Como você seria? As pessoas notariam alguma mudança? Sua família – será que veriam algo novo? Seus colegas de trabalho sentiriam diferença? E os menos afortunados? Seriam tratados da mesma forma? E seus amigos? Perceberiam uma alegria maior? E quanto a seus amigos? Receberiam mais misericórdia do coração de Jesus do que do seu?

E você? Como se sentiria? Que alterações esse transplante produziria em seu nível de estresse? Em suas mudanças de humor? Em seu temperamento? Você dormiria melhor? Veria o amanhecer de modo diferente? E a morte? E os impostos? Haveria alguma chance de você precisar menos de aspirinas e tranquilizantes? E quanto a suas reações em congestionamentos no trânsito? (Toquei num nervo exposto, certo?) Mais ainda, você continuaria com os mesmos hábitos?

Você daria continuidade aos planos projetados para as próximas vinte e quatro horas? Pare e pense em sua agenda. Obrigações. Compromissos. Passeios. Reuniões. Alguma coisa mudaria se Jesus tomasse o seu lugar?

Continue pensando nisso. Ajuste as lentes da sua imaginação até ter uma imagem clara de Jesus dirigindo sua vida, então tire a foto. O que você vê é o desejo de Deus. Ele quer que haja em nós “o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Fl. 2:5).

O plano de Deus para você é nada menos do que um novo coração. Se você fosse um carro, Deus controlaria seu motor. Se fosse um computador, Deus controlaria seu software e o disco rígido. Caso fosse um avião, Ele se sentaria na cabine do piloto. Mas como você é uma pessoa, Deus quer trocar o seu coração.

Notas:
Extraído de Just like Jesus, de Max Lucado. Copyright © 1998 de Max Lucado. Usado com permissão.

Fonte: http://www.irmaos.com/artigos/?id=252?

Soli Deo Gloria