Igreja dos homens ou igreja de Deus?

Atos 5:12-32

12 Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E costumavam todos reunir-se, de comum acordo, no Pórtico de Salomão.13 Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.14 E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor,15 a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles.16 Afluía também muita gente das cidades vizinhas a Jerusalém, levando doentes e atormentados de espíritos imundos, e todos eram curados.17 Levantando-se, porém, o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele, isto é, a seita dos saduceus, tomaram-se de inveja,18 prenderam os apóstolos e os recolheram à prisão pública.19 Mas, de noite, um anjo do Senhor abriu as portas do cárcere e, conduzindo-os para fora, lhes disse:20 Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida.21 Tendo ouvido isto, logo ao romper do dia, entraram no templo e ensinavam. Chegando, porém, o sumo sacerdote e os que com ele estavam, convocaram o Sinédrio e todo o senado dos filhos de Israel e mandaram buscá-los no cárcere.22 Mas os guardas, indo, não os acharam no cárcere; e, tendo voltado, relataram,23 dizendo: Achamos o cárcere fechado com toda a segurança e as sentinelas nos seus postos junto às portas; mas, abrindo-as, a ninguém encontramos dentro.24 Quando o capitão do templo e os principais sacerdotes ouviram estas informações, ficaram perplexos a respeito deles e do que viria a ser isto.25 Nesse ínterim, alguém chegou e lhes comunicou: Eis que os homens que recolhestes no cárcere, estão no templo ensinando o povo.26 Nisto, indo o capitão e os guardas, os trouxeram sem violência, porque temiam ser apedrejados pelo povo.27 Trouxeram-nos, apresentando-os ao Sinédrio. E o sumo sacerdote interrogou-os,28 dizendo: Expressamente vos ordenamos que não ensinásseis nesse nome; contudo, enchestes Jerusalém de vossa doutrina; e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem.29 Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens.30 O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, a quem vós matastes, pendurando-o num madeiro.31 Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados.32 Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que lhe obedecem.

A igreja primitiva continua alcançando vidas, sofre perseguição e não perde seu único propósito que é obedecer a Deus!

 Vejamos mais algumas lições dos primeiros cristãos:

  1. A igreja obediente agrega pessoas (12-16)

A primeira parte desse texto de nossa reflexão já fala de uma reunião harmônica entre aqueles que realizavam os sinais e os que testemunhavam. Veja no versículo 12 que diz: “todos se reuniam de comum acordo”. Os versículos 13 e 14 são bem interessantes, veja que no 13 o texto narra que havia um grupo que não se ajuntava aos cristãos, porém no versículo seguinte diz que o número de crentes era crescente.

Já os versículos 15 e 16 aponta essa manifestação de fé de um povo doente e carente de conhecimento. Refletindo o ministério de Jesus em que havia perseguição por parte dos religiosos e mesmo assim muitos o procuravam com interesse nas curas milagrosas. Era assim que esse povo procura os primeiros líderes cristãos, esperando que a sombra deles tivesse algum poder.

  1. A igreja obediente é “contracultural” (17-28)

 Esse bloco de 12 versículos narra essa incrível história da prisão dos apóstolos, seguida de libertação miraculosa. O anjo do senhor liberta os homens de Deus, só que essa liberdade tem um preço, no versículo 20 ele diz: “Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida.” A liberdade deles custava a missão que lhes fora dada é o local era nada mais, nada menos que no templo (21).

Logo os guardas vão constatar o milagre que havia acontecido naquela noite e sente falta dos recém detidos. É aí que descobrem, através de uma antiga “rede social” – a fofoca (25), que os apóstolos estavam ensinando no templo. As autoridades religiosas e eles estão claramente desesperados pelo fato de que o Evangelho está se espalhando por Jerusalém e ao falar sobre Jesus, a culpa recaía sobre o império e sobre esses religiosos., Homens,

  1. A igreja obediente sabe a quem obedecer! (29-32)

Esse versículo 29 é aquele momento que a igreja deve aplaudir de pé (ou com os pés, caso as mãos estejam ocupadas no WhatsApp!). “Importa obedecer a Deus que aos homens”. É o texto vai discorrendo a resposta de Pedro e seus amigos que diante de um tipo de julgamento não estão preocupados em defender-se, mas sim testemunhar e pregar as boas novas, mesmo que isto custe uma acusação ao sinédrio. Veja que de maneira sucinta eles falam da:

  • Crucificação e ressureição (30),
  • O ministério da reconciliação (31),
  • E pneumatologia – doutrina do Espírito Santo (32).

Em suma recorro mais uma vez ao versículo 29 que transmite a proposta de que o importante ao cristão é obedecer a Deus e não aos homens, porém ao ver o discurso desses discípulos no sinédrio, algo me preocupa. Pois em nossos dias há até quem tenha esse discurso de obedecer ao nosso Santo é Eterno Deus, porém o fazem sem propriedade. Aqui os discípulos SABEM EXPRESSAMENTE a quem devem obedecer. Ou seja, eles conheciam a Jesus e sua Palavra.

Assim, nós também precisamos conhecer… Está escrito em 1 Coríntios 2:13-16:

13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.15 Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém.16 Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.

Tenha a mente de Cristo!

Soli Amori Christi

 

Falando de amor – Ágape

Falar de amor com os olhos na Palavra de Deus é um desafio extremamente prazeroso. A Bíblia fala de diversas manifestações de amor. É claro, que entre todas essas maneiras de amar, o amor de Deus por nós prevalece, não é por acaso que o conhecido João 3.16 fala que Deus enviou seu Filho por amor.

Mas que amor é esse, capaz de entregar-se à morte de cruz? É isso que vamos tentar entender nesta série a respeito das maneiras de Deus nos amar…

Romanos 8:31-39

31 Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?33 Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica.34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós.35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?36 Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro.37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.38 Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes,39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Paulo, ao falar do amor de Deus, recorre às perguntas retóricas para explicar a inviabilidade da separação deste amor.

  1. Perguntas e os “três quem”

Em todo o capítulo 8, Paulo discorre sobre questões da vida. E quem nunca questionou pelo menos uma vez a vida? Quem nunca parou pra pensar sobre coisas que ficaram para trás ou sobre situações que deveria ter agido de modo diferente, pois é, quando Paulo fala no versículo 31: “que diremos pois a vista destas coisas?” Ele está falando exatamente das questões da vida.

A segunda pergunta no mesmo versículo aponta a onipotência de Deus: “…quem será contra nós?” É o texto segue falando que ao entregar Jesus Cristo, Deus deixa claro que tem o melhor para nós.

Logo, o texto segue com o tríplice QUEM:

  • Quem nos acusará? (Deus justifica)
  • Quem nos condenará? (Cristo intercede)
  • Quem nos separará do amor de Cristo? (Nenhum percalço desta vida)
  1. Obstáculos são parte do caminho

O versículo 36 responde a esta terceira pergunta, pois estamos todos sujeitos à morte, como ovelhas em direção ao matadouro. Ou seja, viver é correr riscos, mas precisamos ficar atentos que isto é  parte do processo, que apesar dos obstáculos à qual estamos sujeitos, são rouba de nós o fato de que não vamos perder, pois o amor Dele nos faz vencedores (37).

Gosto do Salmo 119.165 que diz: “Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.” O salmista aqui fala que aqueles que amam a Lei de Deus, ou seja, Sua Palavra, não tropeçariam. Ele não fala sobre inexistência de obstáculos, mas sobre o não cair neles!

  1. O amor inseparável

Por fim, Paulo anuncia suas convicções quanto ao amor de Deus! No versículo 38 ele fala de coisas a qual não temos condições de controlar (até então estavam relacionados questões físicas da vida). Nós somos incapazes de controlar a vida ou à morte, ou o mundo espiritual, ou o tempo, ou forças ocultas, ou leis da física, ou até mesmo qualquer que seja a criatura poderá nos separar deste amor.

Este é o amor de Deus. Um inextinguível amor ágape – que se doa, se entrega e vem até nós tão só e simplesmente por graça!

Receba de graça este amor!!!

 Soli Amori Christi

Perder para ganhar

A carta de Paulo aos filipenses “fala muito em poucas palavras”. O autor conseguiu agradecer uma oferta da igreja, recomendar líderes para a direção da igreja, alertar e até exortar a igreja em apenas 4 curtos capítulos. Vejamos o que fora tratado no capítulo 3, e se essas considerações aplicam-se a nós hoje…

Filipenses 3:2-11

2 Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros! Acautelai-vos da falsa circuncisão! 3 Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne. 4 Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais: 5 circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, 6 quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível. 7 Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. 8 Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo 9 e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé; 10 para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; 11 para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos.

  1. Padrão de Cristo de qualidade

O versículo 2 chama à igreja a uma vida cautelar longe da falsidade. Consequentemente o versículo 3 reforça a ideia de que a fé verdadeira já era vivida por eles, pois era uma fé que busca Deus em Espírito, não “na carne”.

O versículos 4 a 6, Paulo fala de si, quando ele seria aprovado segundo “a carne”. Assim como o próprio disse em Atos 26.5: pois, na verdade, eu era conhecido deles desde o princípio, se assim o quiserem testemunhar, porque vivi fariseu conforme a seita mais severa da nossa religião.

Aqui Paulo deixa uma das marcas do padrão Cristo de qualidade – Perder para ganhar – dessa forma é que ele descreve sua vida e logo nos versículos que seguem (vs. 7 e 8). No verso 9 Paulo fala da justificação pela fé em Cristo e que ao tomarmos com Ele a Sua morte (vs.10), somos também com Ele ressurretos (vs.11)!

Filipenses 3:12-16

12 Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. 13 Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, 14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. 15 Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento; e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos esclarecerá. 16 Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos.

  1. Buscando esse padrão

Agora Paulo vai mostrar as referências para esse padrão Cristo de qualidade, não considerando-se perfeito (como dominador de tal assunto), mas seguindo os passos de Jesus. Os versículos 13 e 14 são uma síntese do ministério de Paulo, suas palavras aqui são de extrema importância para compreendermos toda essa carta. No 13 ele deixa claro que, apesar de ter uma historia de religioso irrepreensível e depois de missionário plantador, pouco importa quando seu foco é o que está adiante! E o que está adiante? Esse é o padrão Cristo de qualidade: “o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”. Que é nada mais nada menos, entregar a própria vida em favor do outro – maior prova de altruísmo que alguém pode fazer, esse é o prêmio, esse é o padrão!

Os versículos 15 e logo o 16 completam-se em tom de ironia. Aquele “que se consideram perfeitos”, Deus vai trazer luz ao entendimento, se ainda assim alguém considera-se perfeito então ande de acordo com essa perfeição.

Filipenses 3:17-21

17 Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós. 18 Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. 19 O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. 20 Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, 21 o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas.

  1. Vivendo esse padrão

O grande e difícil lance é viver esse padrão! Para isso é que Paulo pede que sigam seus passos, mostrando que é possível e no versículo 18 fala chorando que dentro da igreja há inimigos da cruz… será que existem mesmo pessoas assim? O versículo 19 aponta o perfil dessas pessoas.

Os dois versos finais deste capítulo trazem o valor que temos em buscar o padrão Cristo de qualidade, que é garantir nosso destino numa pátria celestial ao lado do nosso Senhor a qual nos liberará deste corpo pecaminoso para viver debaixo da glória dEle.

Viver esse padrão é difícil, porém não impossível! É viver longe de toda falsidade, buscando o modelo de Cristo em nossas vidas e viver assim até que Ele venha e nos leve para toda a eternidade!

Soli Amori Christi

O Pai das luzes

A carta de Tiago, conforme o versículo 1 do capítulo 1, foi escrita para “as doze tribos que se encontram na dispersão”. Estas doze tribos simbolizam os judeus espalhados pelo mundo, assim, é ao mesmo tempo uma carta aberta e também uma carta dirigida a um grupo especifico de crentes convertidos.

Todo aquele que vive novidade de vida em Cristo Jesus tem que crescer no aprendizado e a Palavra de Deus é imprescindível neste processo. Nosso Deus é um bom pai e como todo bom pai, Ele tem muito a ensinar aos seus filhos. Para ser luz neste mundo é preciso aprender com o Pai das luzes. Somente Deus, que criou todas as coisas sabe o que é melhor pra nós e o necessário para viver – “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mateus 5.48).

Vejamos o que se encontra em Tiago 1.17-22:

17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.18 Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas.19 Sabei isto, meus amados irmãos: Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar.20 Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.21 Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas.22 E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

  1. Presente de Deus

O versículo 17 deixa claro que se há alguma bondade ou dons perfeitos em nós, é proveniente de Deus que de maneira íntegra concede benefícios aos seus. Já o versículo 18, Tiago fala de que nós somos gerados por Deus, pela Palavra e para que sejamos como primícias das criaturas. Lá em Jeremias 2.2,3 podemos entender melhor essa ideia de ser primícias da criação de Deus,veja: “Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém: assim diz o Senhor: Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra em que não se semeia. Então Israel era consagrado ao Senhor, e era as primícias da sua colheita; todos os que o devoraram e faziam culpados; o mal vinha sobre eles, diz o Senhor.”

  1. A justiça de Deus

Retornando à carta de Tiago, no versículo 19 e 20, vemos que somos desafiados a ouvir mais e falar menos e ainda tardar em relação à ira. Um grande desafio na atualidade é ouvir mais e falar menos. Todo mundo quer ser ouvido de algum modo. Se você tem alguma opinião em relação a algum assunto, o outro não fica satisfeito em apenas ter conhecimento de sua opinião, mas ele quer deixar a opinião dele e ainda te convencer daquilo que ele acredita!

É interessante esta orientação de Tiago, pois muitos crentes, no ímpeto de levar o Evangelho está mais para falar do que para ouvir, quando na realidade deveríamos ouvir os anseios das pessoas para aí apresentar as Boas Novas como solução para suas vidas. Só que normalmente queremos apresentar o Evangelho como respostas para perguntas que as pessoas nem sequer fizeram.

“A ira do homem não opera a justiça de Deus”. Uma vez uma mae me pediu para orar para que sua filha terminasse um namoro, pois essa mae não gostava do rapaz. Será mesmo que Deus move nossas intenções alimentadas por sentimentos ruins? Muitas vezes esquecemos coisas simples do Evangelho, como a que Deus tem sempre o melhor para nós e que TODOS serão recompensados pelos seus atos, sejam bons ou ruins.

  1. A revelação de Deus

Nos dois últimos versículos que vemos aqui, Tiago exorta as tribos da dispersão a viver uma vida de autenticidade no Evangelho. Ao dizer que se deve abandonar toda imundícia e vestígio do mal, ele pegou pesado com os crentes? Acho que não, pois é exatamente assim que devemos agir, que ele complementa que se deve receber com mansidão a Palavra que é poderosa para salvar vidas. Todos nós devemos carregar tal disposição!

Por último e de igual modo importante há outra exortação: SER CUMPRIDORES DA PALAVRA! Ele diz que o ouvinte que não pratica o Evangelho, apenas engana a si mesmo. Jesus chamou gente assim de cobras venenosas – “Vendo ele, porem, que muitos fariseus e saduceus vinham ao batismo, disse-lhes: raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura?” (Mateus 3.7) Será que Jesus também está pegando pesado com estes? Então eu pergunto… a quem você tem enganado? Será que não está na hora de viver tudo isso que costumamos cantar, pregar, orar e ouvir?

Soli Amori Christi

A Glória é de Deus!

A carta de Paulo aos efésios foi escrita da prisão e trata princípios de extrema importância a uma igreja outrora dirigida pessoalmente por Paulo. Estima-se que ele “pastoreou” a igreja em Éfeso por cerca de 30 meses. A cidade era um importante centro urbano do império Romano com 300 mil habitantes, tinha um teatro que acomodava 25 mil pessoas.

Como toda cidade grande havia grande diversidade cultural e religiosa em Éfeso, o que se tornara um grande desafio para a primeira igreja cristã iniciada por Paulo naquela região. Estima-se que esta carta foi dirigida inicialmente a igreja em Éfeso com o interesse de ser também uma “carta circular”.

Como toda igreja cristã, esta também precisava da direção de Deus em diversas questões. As pessoas que se chegavam ao cristianismo precisavam passar por uma “reforma” de vida em todo o processo de santificação, compreendendo tamanha responsabilidade de viver para a glória de Deus!

Efésios 1.3-14

Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado, no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, que Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e prudência, desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra; nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade, a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo; em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, até ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.

As bênçãos do Pai, a redenção do Filho e o selo do Espírito Santo leva-nos a viver para o louvor da Sua Glória!

Esta canção ou hino de louvor a Deus esboça a ação soberana da trindade em nossas vidas encerrando cada “estrofe” com a expressão – Para louvor da Sua Glória”!

  • Nos versículos 3 a 6 Ele esboça, antes de tudo, todas as bênçãos do Pai concedidas aos cristãos, sua eleição para a santificação, sua predestinação para a adoção e a manifestação da graça em Cristo;
  • Em seguida, entre os versículos 7 a 12, ele apresenta a obra do Filho na redenção, na revelação da vontade de Deus, e na recepção do crente por Deus;
  • E finalmente, ele exalta o Espírito Santo pela obra de selar os crentes como uma garantia da sua salvação eterna.

Paulo foi muito feliz ao compor esta canção, em que somos levados a refletir na ação múltipla de Deus que é um e três, como podemos observar na famosa narrativa do batismo de Jesus…

Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. [Mateus 3.16-17]

Soli Deo Gloria

A voz da revolução

Fazem 13 anos que sou protestante! Sim, sou membro de uma igreja evangélica e me considero protestante e sigo os passos do maior revolucionário de todos os tempos que me ensina a revolucionar, a começar em mim, em amor.

O Mestre da revolução me ensinou a amar meus inimigos, disse: “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.

Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;” [1]

Tudo isso parece loucura, é verdade! O Mestre da revolução foi considerado louco, assim como seu ensino “Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem;” [2] Mesmo assim o Mestre da revolução era seguido por muitos “E seguia-o uma grande multidão da Galiléia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judéia, e de além do Jordão.” [3]

Ele combatia a impunidade, lutava pelos direitos das minorias não só com belos discursos cheios de amor, mas em AÇÃO! Ainda disse: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.” [4]

AGORA É A NOSSA VEZ! #ame #revolucione #semviolencia #mudabrasil

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.

[2 Crônicas 7:14]

Soli Deo Gloria

[1] Mateus 5:43-44

[2] 1 Coríntios 1:18a

[3] Mateus 4:25

[4] João 14:12

Cultura bíblica ou religião?

A expressão religião dentre suas origens, a mais aceita é do latim religare – que significa ligar novamente no sentido de retornar às origens, ou seja, ao criador. Prestar culto a Deus, ou a um poder superior de certo modo; doutrina; princípios.

A religião cristã tem como principal base de estudos a Bíblia Sagrada, nela temos acesso às orientações dadas por Deus a homens e mulheres, profecias, promessas, narrativas históricas, palavras do próprio Deus e A Palavra em vida – Jesus Cristo!

A Bíblia Sagrada nos apresenta práticas religiosas acompanhadas de forte influência da religiosidade de Israel, chamo tudo isto de cultura bíblica, que ainda propõe diversas influências de antigas religiões, principalmente a prática de vários rituais.

Só que em Cristo somos apresentados a uma nova cultura, a cultura de um Deus relacional e sacrificial, isto rompe com todas as barreiras das antigas religiões. Isto é o novo, a Boa Nova que se estabelece no Verbo que veio ao mundo para nos salvar! Em meio a esta novidade temos uma nova (e antiga) cultura – o que chamo aqui de Cultura de Deus!

A cultura de Deus nos traz princípios supraculturais que estão muito acima da linha do tempo, ou seja, não pode ser amarrada aos valores (se é que ainda temos) dos nossos dias. A cultura de Deus é inegociável, inerrante e através de Sua Palavra torna-se inteligível, desde que revelada com integridade.

Hoje somos acometidos de diversas influências religiosas e culturas não bíblicas que vez por outra são confundidas ao cristianismo. Então como saber distinguir o que é religião, cultura bíblica ou a “cultura de Deus”?

É indubitável que a resposta encontra-se na Palavra de Deus! Mas não deve ser estudada como um livro qualquer. É preciso ter temor a Deus, fé e capacitação. Elementos estes que faltam nos religiosos dos nossos dias, de forma que se podem fazer afirmações errôneas e heréticas mesmo que extraída da Bíblia Sagrada.

Vou trazer um exemplo: desde a criação Deus deixou muito claro o papel institucional do homem e da mulher, seja na família, seja na instituição neotestamentária chamada igreja. Ao homem a responsabilidade de cuidar e manter tanto as necessidades físicas, como espirituais. À mulher o auxílio, que é de suma importância ao cumprimento do papel do homem.

Então, tanto na família, como na igreja existem papéis claros que foram dados a cada um. Muitos chamam isto de religiosidade ou até cultura ultrapassada. Eu chamo de cultura de Deus. É claro que existem divergências acerca deste assunto e alguns outros e é muito comum que as pessoas aceitem a direção mais cômoda. Só que é importante alertar que a cultura de Deus é “incômoda” a todos nós!

Pretendo escrever mais sobre assuntos conflitantes em nossos dias e aceito sugestões de temas, críticas e correções para melhoria e fidelidade aos pensamentos desenvolvidos.

#Repense #Reflita & #RevoluciAME

Soli Deo Gloria