Vingadores: Guerra e Sacrifício

Após assistir a recente estréia dos filmes da Marvel Studios intitulado Vingadores: Guerra infinita, eu fiquei impactado com o formato de filme ou “meio filme” que este universo cinematográfico desenvolveu.

É o primeiro filme desta natureza que a historia gira em torno do vilão e não especialmente nos heróis. E para não dar spoilers eu vou direto à aplicação de algo que mais me chamou atenção no filme… a ideia de sacrifício!

Pois é. Sacrifício é algo que está tão presente no cristianismo, é abordado em diferentes perspectivas no longa metragem, seja por boa razão ou não.

Na Bíblia há um primeiro sacrifício realizado pelo próprio Deus em animais, para que a nudez de Adão e Eva fosse coberta. Isso se deu como necessário após a desobediência a Deus em que o casal provou do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Árvore essa que Deus havia proibido o acesso no seu jardim.

Desde então, o homem desobediente aprendeu a realizar sacrifícios para “cobrir” seus pecados, até que vem o grande sacrifício realizado por Cristo Jesus, ao se entregar e morrer para que tivéssemos vida (João 3.16).

Mas não creio que o grande sacrifício simplesmente sessou a necessidade de sacrifícios em nossas vidas. Calma! O sacrifício de Jesus é completo e único em seu propósito, porém todo bom e verdadeiro cristão sabe que para exercer sua fé, é preciso sacrificar muitas situações na vida, inclusive o próprio EU.

No filme temos o sacrifício heróico e o sacrifício insano e quando penso em aplicar na vida cristã, vejo que não cabe nem um desses dois sacrifícios. Na vida cristã temos pelo menos dois outros sacrifícios:

1. Gratidão – não há algo que façamos que possa pagar o preço de Jesus na cruz. Desse modo, qualquer sacrifício meu por amor ao Evangelho é pouco, porém como sou eternamente grato a Deus, devo viver em eterna gratidão;

2. Obediência – Jesus Cristo nos deixou uma missão e ela vem sendo cumprida pelos discípulos e seguidores de Jesus, independente das consequências e na maioria dos casos há muito sacrifício para seguir e servir a Deus.

Sei que não estamos num filme.

A vida real é cheia de guerras e sacrifícios.

Minha oração é que estejamos do lado certo da guerra e sacrificando aquilo que realmente importa para nossa vida com Deus!

Soli Amori Christi

Deus é Deus e o esvaziamento de conteúdo

Quem me conhece sabe o quanto sinto muito pelo desenvolvimento “ladeira abaixo” da música no mundo evangélico. E diferente do que alguns pensam eu não fico criticando movimento gospel apenas por ser um chato.

Tudo bem, eu sou um chato! Mas qualquer bom leitor de Bíblia precisa concordar que conteúdo bíblico está desaparecendo dos movimentos “gospeis” e isso já tem um tempo. Outra coisa é que a música ruim me incomoda, não porque sou anti-arte. Pelo contrário, eu amo música, passo o dia todo ouvindo minhas playlists e por isso a queda de qualidade me atinge tanto. Mas não apenas a mim. Eu sinto muito por todas as pessoas vinculadas a um movimento cheio de pessoas vazias! Um copo vazio está sempre cheio de ar…

Me incomoda ouvir rimas soltas e músicas comerciais que perdem em qualidade musical e intelectual para as músicas de propaganda de refrigerante. Letras que reproduzem o óbvio, como luz é luz, branco é branco ou Deus é Deus. Artistas que arrancam aplausos e assobios da platéia ao fazer uma performance de dança, não que seja contra a dança, assim como a música, dança é uma expressão de arte. Mas quando dizem que dança é uma forma de adoração pública, eu sinto muito. Pois caso o dançarino seja um adorador, todo o público é simplesmente telespectador de adoração! A música (com conteúdo), mesmo que não saibamos cantar, serve para nos edificar, assim como a pregação. Mas, o que o outro dançando me edifica?

Será que estamos refletindo tudo isso? Está escrito: Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com a mente; cantarei com o espírito, mas também cantarei com a mente. (1Coríntios 14:15)

Eu oro a Deus clamando por uma juventude que busca inspiração nas Escrituras para desenvolver sua arte e, assim, contrapor esse movimento que faz músicas legais e depois buscam na Bíblia justificativas para suas letras que às vezes “ninguém explica”.

Eu peço a Deus que aumente meu temor à Ele mesmo. Pois só assim vou preparar sermões que trazem Cristo como centro e não os meus achismos.

E peço perdão por todas as vezes em que empobreci o discurso para satisfazer ao homem.

Soli Amori Crhisti

Obediência é um bom remédio

Leia o capítulo 28 de Gênesis…

O enganador Jacó assume o compromisso de obedecer seu pai e recebe a confirmação e Deus com respeito à sua missão.

  1. Fugir em obediência

Mais uma vez Rebeca, a mãe de Jacó e Esaú, arquiteta um plano de manipulação ao seu marido Isaque, só que desta vez não trata-se de apenas por predileção ao seu filho Jacó, mas por segurança mesmo. Depois de tudo que ele havia feito à seu irmão, Esaú pretendia tirar sua vida.

Então no capítulo anterior (27), Rebeca diz que seu filho precisava fugir e dá a localização para onde deveria ir. Ao passo que posteriormente convence seu marido a enviar seu filho para essas terras a fim de formar uma família.

Aqui também vemos Esaú ouvindo as dicas do pai e agindo em seguida, porém aqui está a diferença: NINGUÉM DEU ESSA ORDEM A ESAÚ! Dessa forma o que aparentemente seria uma maneira de agradar seu pai ao casar com alguém da linhagem de Abraão. Só que Esaú fez tudo errado ao juntar à sua casa uma esposa de uma família rejeitada por Deus, além das esposas pagãs que já havia causado sofrimento aos seus pais (Cf. Gn 26:34-35)

34 Tendo Esaú quarenta anos de idade, tomou por esposa a Judite, filha de Beeri, heteu, e a Basemate, filha de Elom, heteu. 35 Ambas se tornaram amargura de espírito para Isaque e para Rebeca.

  1. Manda quem pode…

A partir do versiculo 10 vamos acompanhando o diário de viagem de Jacó, onde em certo momento, ao anoitecer, ele precisa descansar e prepara uma “confortável” cama com direito a travesseiro de pedra.

É nesta noite que Jacó tem um sonho maravilhoso que revela  vontade de Deus para sua vida. Interessante é que num contexto de mentiras, manipulação e risco de morte, os planos de Deus são desenhados. Isso tudo é prova de amor e graça desse Deus soberano. Ainda há quem diga que não vê um Deus gracioso e amoroso no Antigo Testamento.

Na visão, Jacó vê essa escada com anjos descendo e subindo que simboliza o contato direto e permanente de Deus para com os “da terra”. Logo ele vê Deus que revela sua promessa a Jacó. O interessante é como Deus se apresenta como o Senhor da família (Abraão e Isaque).

Após acordar, Jacó reconhece a promessa e principalmente quem prometeu e sabe que Deus está com ele.

  1. … Obedece quem tem juízo

Agora confiante na promessa de Deus, Jacó faz é seu travesseiro uma coluna, marcando alí um local de adoração, pois foi neste lugar que Deus falou com ele. Mudou até o nome do local, que antes cidade chamada Luz foi renomeada por Betel, ou seja, Casa de Deus.

Solenemente Jacó afirma seu compromisso com Deus vai além do voto e do altar, pois atinge até as bênçãos materiais que o Senhor lhe concederá.

A vontade do Senhor é nos abençoar e para isso Ele é o único que pode transformar maldições e bênçãos na vida daqueles que o obedecem… (história da menina de Goiânia que ajuda crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual).

Deus é o Senhor da família!

Coloque todos os seus familiares em oração na presença de Deus e seja obediente a Sua soberana vontade, pois mesmo que nossa família esteja desajustada, o nosso Deus tem uma promessa específica para ela.

Sei que muitas vezes é difícil enxergar a promessa, mas é tudo um exercício de fé…

Hebreus 11:20-22

20 Pela fé, igualmente Isaque abençoou a Jacó e a Esaú, acerca de coisas que ainda estavam para vir. 21 Pela fé, Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José e, apoiado sobre a extremidade do seu bordão, adorou. 22 Pela fé, José, próximo do seu fim, fez menção do êxodo dos filhos de Israel, bem como deu ordens quanto aos seus próprios ossos.

Curiosamente um conhecido menino tem como avô um Jacó e como Pai um José, seu nome é Jesus! (Cf. Mt 1:16)

Soli Amori Christi

Igreja dos homens ou igreja de Deus?

Atos 5:12-32

12 Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E costumavam todos reunir-se, de comum acordo, no Pórtico de Salomão.13 Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.14 E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor,15 a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles.16 Afluía também muita gente das cidades vizinhas a Jerusalém, levando doentes e atormentados de espíritos imundos, e todos eram curados.17 Levantando-se, porém, o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele, isto é, a seita dos saduceus, tomaram-se de inveja,18 prenderam os apóstolos e os recolheram à prisão pública.19 Mas, de noite, um anjo do Senhor abriu as portas do cárcere e, conduzindo-os para fora, lhes disse:20 Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida.21 Tendo ouvido isto, logo ao romper do dia, entraram no templo e ensinavam. Chegando, porém, o sumo sacerdote e os que com ele estavam, convocaram o Sinédrio e todo o senado dos filhos de Israel e mandaram buscá-los no cárcere.22 Mas os guardas, indo, não os acharam no cárcere; e, tendo voltado, relataram,23 dizendo: Achamos o cárcere fechado com toda a segurança e as sentinelas nos seus postos junto às portas; mas, abrindo-as, a ninguém encontramos dentro.24 Quando o capitão do templo e os principais sacerdotes ouviram estas informações, ficaram perplexos a respeito deles e do que viria a ser isto.25 Nesse ínterim, alguém chegou e lhes comunicou: Eis que os homens que recolhestes no cárcere, estão no templo ensinando o povo.26 Nisto, indo o capitão e os guardas, os trouxeram sem violência, porque temiam ser apedrejados pelo povo.27 Trouxeram-nos, apresentando-os ao Sinédrio. E o sumo sacerdote interrogou-os,28 dizendo: Expressamente vos ordenamos que não ensinásseis nesse nome; contudo, enchestes Jerusalém de vossa doutrina; e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem.29 Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens.30 O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, a quem vós matastes, pendurando-o num madeiro.31 Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados.32 Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que lhe obedecem.

A igreja primitiva continua alcançando vidas, sofre perseguição e não perde seu único propósito que é obedecer a Deus!

 Vejamos mais algumas lições dos primeiros cristãos:

  1. A igreja obediente agrega pessoas (12-16)

A primeira parte desse texto de nossa reflexão já fala de uma reunião harmônica entre aqueles que realizavam os sinais e os que testemunhavam. Veja no versículo 12 que diz: “todos se reuniam de comum acordo”. Os versículos 13 e 14 são bem interessantes, veja que no 13 o texto narra que havia um grupo que não se ajuntava aos cristãos, porém no versículo seguinte diz que o número de crentes era crescente.

Já os versículos 15 e 16 aponta essa manifestação de fé de um povo doente e carente de conhecimento. Refletindo o ministério de Jesus em que havia perseguição por parte dos religiosos e mesmo assim muitos o procuravam com interesse nas curas milagrosas. Era assim que esse povo procura os primeiros líderes cristãos, esperando que a sombra deles tivesse algum poder.

  1. A igreja obediente é “contracultural” (17-28)

 Esse bloco de 12 versículos narra essa incrível história da prisão dos apóstolos, seguida de libertação miraculosa. O anjo do senhor liberta os homens de Deus, só que essa liberdade tem um preço, no versículo 20 ele diz: “Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida.” A liberdade deles custava a missão que lhes fora dada é o local era nada mais, nada menos que no templo (21).

Logo os guardas vão constatar o milagre que havia acontecido naquela noite e sente falta dos recém detidos. É aí que descobrem, através de uma antiga “rede social” – a fofoca (25), que os apóstolos estavam ensinando no templo. As autoridades religiosas e eles estão claramente desesperados pelo fato de que o Evangelho está se espalhando por Jerusalém e ao falar sobre Jesus, a culpa recaía sobre o império e sobre esses religiosos., Homens,

  1. A igreja obediente sabe a quem obedecer! (29-32)

Esse versículo 29 é aquele momento que a igreja deve aplaudir de pé (ou com os pés, caso as mãos estejam ocupadas no WhatsApp!). “Importa obedecer a Deus que aos homens”. É o texto vai discorrendo a resposta de Pedro e seus amigos que diante de um tipo de julgamento não estão preocupados em defender-se, mas sim testemunhar e pregar as boas novas, mesmo que isto custe uma acusação ao sinédrio. Veja que de maneira sucinta eles falam da:

  • Crucificação e ressureição (30),
  • O ministério da reconciliação (31),
  • E pneumatologia – doutrina do Espírito Santo (32).

Em suma recorro mais uma vez ao versículo 29 que transmite a proposta de que o importante ao cristão é obedecer a Deus e não aos homens, porém ao ver o discurso desses discípulos no sinédrio, algo me preocupa. Pois em nossos dias há até quem tenha esse discurso de obedecer ao nosso Santo é Eterno Deus, porém o fazem sem propriedade. Aqui os discípulos SABEM EXPRESSAMENTE a quem devem obedecer. Ou seja, eles conheciam a Jesus e sua Palavra.

Assim, nós também precisamos conhecer… Está escrito em 1 Coríntios 2:13-16:

13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.15 Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém.16 Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.

Tenha a mente de Cristo!

Soli Amori Christi

 

Falando de amor – Ágape

Falar de amor com os olhos na Palavra de Deus é um desafio extremamente prazeroso. A Bíblia fala de diversas manifestações de amor. É claro, que entre todas essas maneiras de amar, o amor de Deus por nós prevalece, não é por acaso que o conhecido João 3.16 fala que Deus enviou seu Filho por amor.

Mas que amor é esse, capaz de entregar-se à morte de cruz? É isso que vamos tentar entender nesta série a respeito das maneiras de Deus nos amar…

Romanos 8:31-39

31 Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?33 Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica.34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós.35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?36 Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro.37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.38 Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes,39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Paulo, ao falar do amor de Deus, recorre às perguntas retóricas para explicar a inviabilidade da separação deste amor.

  1. Perguntas e os “três quem”

Em todo o capítulo 8, Paulo discorre sobre questões da vida. E quem nunca questionou pelo menos uma vez a vida? Quem nunca parou pra pensar sobre coisas que ficaram para trás ou sobre situações que deveria ter agido de modo diferente, pois é, quando Paulo fala no versículo 31: “que diremos pois a vista destas coisas?” Ele está falando exatamente das questões da vida.

A segunda pergunta no mesmo versículo aponta a onipotência de Deus: “…quem será contra nós?” É o texto segue falando que ao entregar Jesus Cristo, Deus deixa claro que tem o melhor para nós.

Logo, o texto segue com o tríplice QUEM:

  • Quem nos acusará? (Deus justifica)
  • Quem nos condenará? (Cristo intercede)
  • Quem nos separará do amor de Cristo? (Nenhum percalço desta vida)
  1. Obstáculos são parte do caminho

O versículo 36 responde a esta terceira pergunta, pois estamos todos sujeitos à morte, como ovelhas em direção ao matadouro. Ou seja, viver é correr riscos, mas precisamos ficar atentos que isto é  parte do processo, que apesar dos obstáculos à qual estamos sujeitos, são rouba de nós o fato de que não vamos perder, pois o amor Dele nos faz vencedores (37).

Gosto do Salmo 119.165 que diz: “Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.” O salmista aqui fala que aqueles que amam a Lei de Deus, ou seja, Sua Palavra, não tropeçariam. Ele não fala sobre inexistência de obstáculos, mas sobre o não cair neles!

  1. O amor inseparável

Por fim, Paulo anuncia suas convicções quanto ao amor de Deus! No versículo 38 ele fala de coisas a qual não temos condições de controlar (até então estavam relacionados questões físicas da vida). Nós somos incapazes de controlar a vida ou à morte, ou o mundo espiritual, ou o tempo, ou forças ocultas, ou leis da física, ou até mesmo qualquer que seja a criatura poderá nos separar deste amor.

Este é o amor de Deus. Um inextinguível amor ágape – que se doa, se entrega e vem até nós tão só e simplesmente por graça!

Receba de graça este amor!!!

 Soli Amori Christi

Lutando contra Deus

Ao assistir o último sucesso dos cinemas – Batman versus Superman – me surpreendi como a palavra DEUS é repetida por diversas vezes durante o filme. Em alguns momentos são empregadas expressões como: “Homem versus deus”, “Falso deus”, e até “diabo contra deus”.

Em toda a historia do Superman há um tom messiânico. Um homem que é a esperança da humanidade não pertence a este mundo, foi criado por pais adotivos e ao atingir a fase adulta passa a viver pela paz e justiça. Neste último filme há algo nunca visto antes nos cinemas, que é um caso de amor e ódio das pessoas ao kripitoniano.

Já a historia do Batman está mais próxima de um ser humano que, ao perder seus pais, torna-se vítima de uma cidade imersa no crime. Ao tornar-se adulto acaba revelando seu lado sombrio que Gothan despertou e assumindo um papel de vigilante na luta contra o crime. Só que desta vez é apresentado nas telas de cinema um Batman que mata os criminosos e não apenas os leva em cárcere.

Voltando ao que me chamou atenção no filme, fico a imaginar como isso tudo tratado na ficção é um espelho da realidade. É perceptível, por exemplo, um busca por algum tipo de “materialização” da divindade. De diversas formas tenta-se enquadrar Deus em nosso mundo. Esse discurso de: “eu determino”, “declaro a cura”, e até “ordeno minha riqueza”. Palavras assim estão na boca daqueles que tentam em vão manipular àquele que é Senhor!

Por outro lado existem pessoas que sem medo agridem a criação na tentativa de “derrubar” Deus. Pessoas que fogem ao ensino de amar a Deus acima de todas as coisas e que consequentemente não aprendem a amar a si e muito menos sabem praticar o amor ao próximo, são tentativas vãs de confrontar (mesmo acreditando que Ele não exista) ao Criador!

Existe um ditado que foi apelidado de lei da semeadura que se aplica na prática no filme. Interessante é que essa “regra” vem da Palavra de Deus…

Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna. [Gálatas 6:7-8]

Que nossas vidas sejam verdadeiras plantações de sementes espirituais!

Soli Amori Christi

Alegria compartilhada

No capítulo 3 de Filipenses, vimos Paulo usando o exemplo de sua própria vida para exortar à igreja e argumentando que seu curriculum aparentemente perfeito aos olhos dos religiosos de nada servia ao seguidor de Jesus Cristo, pois este deve estar sempre olhando a diante e seguindo os passos do único que é perfeito no proceder.

Vejamos o que esta carta ainda tem a nos ensinar sobre vida comunitária e alegria.

Filipenses 4:1-9

1 Portanto, meus irmãos, amados e mui saudosos, minha alegria e coroa, sim, amados, permanecei, deste modo, firmes no Senhor. 2 Rogo a Evódia e rogo a Síntique pensem concordemente, no Senhor. 3 A ti, fiel companheiro de jugo, também peço que as auxilies, pois juntas se esforçaram comigo no evangelho, também com Clemente e com os demais cooperadores meus, cujos nomes se encontram no Livro da Vida. 4 Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. 5 Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. 6 Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. 7 E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus. 8 Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. 9 O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco.

Esta primeira parte do final da carta de Paulo aos Filipenses é “um clamor à paz”! Ele traz essa proposta que é o âmago de uma vida feliz, de modo que o texto que acabamos de ver poderia se resumir em:

Paulo apela aos filipenses que vivam em paz e desta maneira alcançariam alegria!

  1. É alegre quem tem paz interpessoal

O versículo 1 deste capítulo já traz o teor de apelo, veja como Paulo elogia a igreja, chamando até de “fonte de sua alegria”, que logo segue do conselho: “Permanecei, firmes no Senhor”!

Os versículos que seguem (vs. 2-4) são apelos de paz a pessoas específicas e depois a todos. Veja que no verso 2 Paulo não “economiza” palavras e dirigi-se às pessoas em específico. Provavelmente havia muita divergência entre as duas alí…

Depois o versículo seguinte (vs.3), ele pede a este companheiro (?) que as auxilie por serem cooperadoras. Assim também com Clemente e todos cooperadores. Termina este apelo inicial com um clamor à alegria, assim como vimos no capítulo 3.1. A alegria deve ter estar no Senhor!

  1. É alegre quem tem paz intrapessoal

Agora o foco do apelo muda de direção. Dos versículos 5 a 7 Paulo dirige a palavra à questões individuais. Em primeiro lugar ele aponta para nosso testemunho. “… vossa moderação conhecida de todos os homens.” Aqueles crentes precisavam se preocupar em como eram vistos pelas pessoas, pois o Senhor perto está.

Os versículos 6 e 7 tratam de oração. É bastante interessante que para ter paz interna precisamos nos manter ligados a Deus num relacionamento constante. A Bíblia diz: “Orai sem cessar!” em 1 Tessalonicenses 5.17 e logo em seguida Paulo diz: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. Dessa forma vejo que no relacionamento de Paulo com Deus, nas suas orações havia uma ênfase na gratidão. Assim acontece no versículo 6 de Filipenses 4 – ele orienta que não devemos andar ansiosos e que tudo deve ser colocado diante de Deus com orações e AÇÕES DE GRAÇA!

Consequentemente o verso 7 fala de uma paz indescritível. Essa paz é guardadora de nossos pensamentos e sentimentos em Cristo. Esta é a “fórmula” para que não venhamos a viver nos preocupando com as questões da vida.

  1. É alegre quem tem paz com Deus

Seguindo os próximos versículos (vs. 8,9) temos Paulo orientando qual percusso se deve caminhar para alcançar paz com Deus, para isso é preciso viver intensamente. Observe que a palavra TUDO antecede a lista de atribuições que devemos ser:

  • Verdadeiros
  • Respeitáveis
  • Justos
  • Puros
  • Amáveis
  • Boa fama

É isso que deve povoar nosso pensamento. De forma que é preciso seguir os passos de quem acerta esse alvo. Paulo encerra dizendo (vs.9): “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco”. Se não nos sentimos em paz com Deus, é porque talvez nos falte alguns itens nesta lista!

Somente assim se tem paz em Deus! Para viver em paz é preciso que ela seja completa. Paz com os outros. Paz conosco. E paz com Deus.

E disse Jesus: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo.” (João 14.27a)

Soli Amori Christi