Luz do mundo

Ser a luz desse mundo!

Para muitos ser a luz é algo tipo ser “estrela”. Nós temos uma tendência de querer de algum modo ser visto/aparecer. Nosso treinamento dá início ainda quando crianças quando o primeiro veículo de comunicação é o choro, com alguns anos de idade a criança, mesmo já falante ainda usa o mecanismo do choro, muitas veses apenas para chamar atenção, seja dos pais, seja de qualquer outra pessoa. Você deve recordar de alguma criança aprontando alguma estripulia gritando “mãe olha pra mim!” Durante nosso desenvolvimento, os mecanismos de chamar atenção também estão em pleno desenvolvimento. Adolescentes têm seu jeito peculiar de chamar atenção que vai do delicado ao bizarro. Os jovens também têm seus mecanismos, e assim por diante.  É só passar alguns minutos no facebook que logo vamos ver uma variedade de métodos de chamar atenção. O conhecido “quem gostou curte” é uma mutação do “mãe olha pra mim”.

De contrapartida Jesus a grande luz conforme Isaías 9.2,6 que diz: O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz. Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Jesus e seu currículo perfeito não veio apenas para chamar atenção, Ele veio para mostrar ao homem que é possível romper com as trevas e viver para a glória de Deus!  Gosto muito da letra de uma música chamada “Sou Cristão” da banda Metal Nobre que diz:

Vieram me pedir para camuflar o som

Pra não dizer jesus e sim a grande luz

Eu não me converti para me envergonhar

Daquele que na cruz morreu pra me salvar

De uma forma descontraída o autor desta canção de rock apresenta a ideia de que a banda existia para anunciar a Cristo e que não se venderiam ao mercado secular disfarçando o alvo ma mensagem de salvação. Talvez, se atendessem ao pedido teriam feito mais sucesso…

Agora vejamos o que está escrito em Mateus 5.14-16:

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

  1. Não podemos esconder a luz

O versículo 14 fala de que não podemos esconder uma cidade construída sobre um monte. Construir uma cidade em um monte envolve conceitos pessoais (cidade imponente) e até religiosos (mais perto dos céus). Só que Jesus diz neste versículo que a cidade construída sobre um monte não se pode esconder. Esta comparativa seguida da afirmação de que “os bem-aventurados” (cf. vers. 3-11) são a luz do mundo, deve nos trazer um grande peso de responsabilidade.

  • Será que realmente somos luz?
  • Se sim, essa luz tem sido percebida pelo mundo?
  1. Luz para nossa casa

No versículo 15, Jesus faz outro comparativo. Desta vez uma luz produzida para iluminar um lar. Numa livre adaptação temos aqui Jesus dizendo que não se deve acender uma lâmpada embaixo da cama, mas sim no ponto mais alto para que ilumine toda a casa.

Aqui eu vou pedir licença à analogia de Jesus e aplicar este versículo de maneira literal. O texto fala de uma luz que ilumina todos de uma casa… Nós devemos ser essa luz! Cada convertido de uma família deve trazer luz aos seus parentes. Um crente não deve ser apenas mais UM no meio de sua casa, ou ficar escondendo seus princípios e valores cristãos. Um crente deve ser luz para sua casa!

  1. Nossa luz é para a glória de Deus

Chegando ao versículo 16, precisamos ponderar em algumas ideias. A primeira é que Jesus fala “vossa luz” e não minha luz. Como assim? Se a luz é Jesus, como um pecador tem luz própria? A resposta está numa antiga canção que diz: brilha Jesus! É a Luz Dele refletida em nós.

Segunda ideia: “para que vejam vossas boas obras”. Aquele que é luz deve buscar viver num padrão Cristo de qualidade, ou seja, ter caráter cristão. Ver nossas boas obras está muito além de fazer boas ações. Ver nossas boas obras está ligado a TUDO que faço. Fazer boas obras e viver no pecado é fácil, há até religiões que pregam coisas assim. A proposta de Jesus permeia nossos pesamentos e atitudes e não importa tempo nem lugar.

E terceira: “e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. Toda a honra e glória pertencem a Deus. Isso não é apenas um jargão do evangeliquês! Paulo entendeu o que significa dar glória para Deus e em Romanos 11.36 ele diz: Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém. Tudo o que fizermos como luz neste mundo deve redundar para a glória de Deus.

Abaixo à idolatria gospel!

Soli Amori Christi