De volta para o futuro

É muito humano a ânsia de conhecer o porvir! Nós somos constantemente invadidos pelo desejo de conhecer o futuro. As tentativas de previsão são sempre tentativas, nunca algo perfeito, tentamos de todo jeito saber o amanhã, e assim, a humanidade vive sofrendo por antecipação ou debaixo de frustrações. A Palavra de Deus, por vezes fala do amanhã, vejamos aqui…

Tiago 4:13-17

13 Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. 14 Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. 15 Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo. 16 Agora, entretanto, vos jactais das vossas arrogantes pretensões. Toda jactância semelhante a essa é maligna. 17 Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando.

Até podemos ser bons em planejar e tentar antever nos preparando para algo. Mas o que esse texto de Tiago apresenta, é que o nosso defeito está em não nos assegurar em Deus ao que o amanhã trará.

Nossa vida pertence àquele que é o autor da vida. Sendo assim, é a Ele que devo todo o meu futuro, de forma que viver na pretensão de que conhecemos o nosso futuro é, conforme o texto, maligno!

E por fim, o versículo 17 tem uma simples e confrontante afirmação!

“[…] aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando.” Portanto se você tem conhecimento a respeito da vontade de Deus que é boa, agradável e perfeita, e não a pratica, está em pecado!

Que nossos dias “até o futuro” sejam por mais de Deus e menos de nós!

Soli Amori Christi

Manifestações e Protestos

Algumas definições:

Manifestação

s.f. Ato de manifestar(-se): manifestação do pensamento. / Movimento popular, ajuntamento de pessoas destinado a exprimir publicamente um sentimento, uma opinião política. / Homenagem coletiva a uma pessoa eminente.

Protesto

s.m. Protestação, afirmação solene, declaração pública que se faz da própria vontade. / Declaração formal pela qual se reclama contra alguma coisa. / Ato pelo qual o portador de um título comercial, não aceito, nem pago no dia do vencimento, se resguarda o direito de qualquer procedimento futuro.

Acompanhando os noticiários que variam entre futebol (Copa das confederações), notícias internacionais e manifestações e protestos principalmente em São Paulo. Sinto o desejo de apontar o meu MANIFESTO! Faço questão de abrir esta postagem com definições extraídas do dicionário que deixam claro a real intenção dessas expressões, porém é assim que os jornais estão chamando aquilo que se passa esta semana em pelas ruas de SP.

Eu tenho uma expressão para o que ocorre principalmente em SP, chama-se VIOLÊNCIA. Seja ela dos manifestantes, da polícia ou sofrida pela população. Algo interessante é que se o protesto é contra o aumento de tarifas de transporte público, deveriam ser feitos por, em sua maioria, estudantes e trabalhadores. Tenho dificuldades em pensar que trabalhadores estejam envolvidos em massa em algo de prejuízo assegurado, seja da saúde ou seja em tempo de descanso. O que me resta é pensar que estudantes estão envolvidos nesta zona de guerra civil! Como que futuros pais de família, comerciantes, formadores de opinião e até políticos agem de maneira irracional com tamanhas proporções?

Quebrar vidros das janelas de lojas, depredarem ônibus e pixar muros vai causar alguma mudança significativa? Estes mesmos estudantes de cabeça vazia estarão torcendo pela seleção brasileira e assistindo aos jogos regados à bebida e despreocupados com a movimentação política neste período. Quero dizer é que o Brasil vai parar na “tão esperada” copa do mundo para assistir aos jogos enquanto decisões sérias serão tomadas pelos nossos governantes e tenho certeza que não haverão manifestações, senão focadas em futebol.

Sinto muito pelo povo que usa de violência e perde direitos e depois se esquece dos problemas no carnaval. É uma pena ver estudantes destruindo as cidades e registrando tudo com seus smartphones e trabalhadores que logo vão gastar metade dos seus salários para assistir jogadores milionários que “vestem” a camisa de seus patrocinadores. Vai que é sua Brasil!!!