Guerra Gospel

O cinema, que têm lucrado bastante com filmes de heróis, percebeu que o grande público curte a ideia de ver pancadaria entre os heróis. E não importa os motivos da briga, pois nesses filmes o fim justifica o meio, mesmo que não faça sentido!

O que se espera é que heróis sejam sempre bem intencionados. No filme da Marvel – Gerra Civil, existe uma razão que divide os heróis e os leva ao confronto. Isso tudo me levou a pensar sobre a guerra gospel que vivemos Brasil. Foi nos dado por Jesus poder para propagar a salvação e uma expressa ordem de ser irmãos, o que temos feito então? Igrejas, denominações, ministérios, bandas, pastores e ovelhas. Será que faz sentido lutar entre irmãos?

Por um lado essa “guerra” entre irmãos enfraquece a Missio Dei, pois a proposta de Deus para a humanidade é abrangente, e uma vez que gastamos tempo e energia lutando uns contra os outros, perdemos a oportunidade de fazer uma real diferença no mundo.

Só que é importante pensar que até mesmo a Palavra de Deus ensina que devemos combater certos movimentos religiosos que tentam confundir os cristãos. As falsas doutrinas e falsos mestres existiam nos tempos dos primeiros cristãos e estão espalhados por todo o mundo alcançando os nossos dias. Combatê-los (não somente ensino, mas também ensinadores) é sim uma tarefa nossa!

Veja a orientação de Paulo à igreja sobre falsos mestres e falso ensino em 2 Timóteo 2:14-18

Recomenda estas coisas. Dá testemunho solene a todos perante Deus, para que evitem contendas de palavras que para nada aproveitam, exceto para a subversão dos ouvintes. Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. Evita, igualmente, os falatórios inúteis e profanos, pois os que deles usam passarão a impiedade ainda maior. Além disso, a linguagem deles corrói como câncer; entre os quais se incluem Himeneu e Fileto. Estes se desviaram da verdade, asseverando que a ressurreição já se realizou, e estão pervertendo a fé a alguns.

Aqui a orientação de Paulo à Timóteo, um jovem pastor, é que ele esteja preparado, aprovado e capacitado pela Palavra de Deus para ensinar a Verdade afim de que seus ouvintes evitem debates inúteis.

Paulo chega a utilizar uma linguagem muito forte quando diz que “a linguagem deles corrói como câncer”. E se não bastasse denunciar a inutilidade desses debates, ele ainda cita os NOMES daqueles que se desviaram e que acabaram influenciando outros.

Assim é que deve ser nosso posicionamento diante daqueles que deturpam a mensagem enganando fiéis! Ao mesmo tempo devemos nos unir aos “domésticos na fé” e juntar nossas forças, pois o nosso propósito é um só – que mais vidas sejam alcançadas pela graça salvadora de Cristo Jesus!!!

Soli Amori Christi

Generosidade e prosperidade

A carta de Paulo aos Filipenses além de ser uma carta de gratidão, onde o missionário plantador de igreja orienta à igreja acerca de situações pontuais. É no final da carta que Paulo fala um pouco de suas condições e em tom de alegria e gratidão ele exalta a atitude generosa e importante dessa igreja.

{Filipenses 4:10-23}

Paulo mostra que uma igreja saudável é um povo generoso!

10 Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovastes a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas vos faltava oportunidade. 11 Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. 12 Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; 13 tudo posso naquele que me fortalece.

  1. A força de Paulo está acima das circunstâncias

 O apóstolo dos gentios fala de sua alegria em ser agraciado financeiramente pela igreja reconhecendo que esse povo já não havia ajudado antes por falta de oportunidade (10). Os versículos 11 e 12 é uma expressão do que realmente é a prosperidade bíblica.

Significado de Prosperidade:

Característica ou condição daquilo que se torna ou se mantém próspero. Alta   fabricação de alimentos e produtos consumíveis; fartura; Excesso  (acumulado) de bens materiais; riqueza. Prosperidade é o contrário de: miséria e ruína.

Diferente daquilo que se diz por aí a respeito da prosperidade do crente, Paulo diz que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação, em paralelo ao significado real da palavra prosperidade, aquilo que Paulo viveu está mais ligado ao antônimo de prosperidade, porém o versículo 13 é a chave dessa aparente “contradição”: “Tudo posso naquele que me fortalece”!

Quando Deus é a nossa fortaleza, somos capazes de viver em qualquer situação!

2 Samuel 22:33 Deus é a minha fortaleza e a minha força e ele perfeitamente desembaraça o meu caminho.

Salmo 31:3-4 Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; por causa do teu nome, tu me conduzirás e me guiarás. Tirar-me-ás do laço que, às ocultas, me armaram, pois tu és a minha fortaleza.

Jeremias 16:19a Ó SENHOR, força minha, e fortaleza minha, e refúgio meu no dia da angústia […]

14 Todavia, fizestes bem, associando-vos na minha tribulação. 15 E sabeis também vós, ó filipenses, que, no início do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja se associou comigo no tocante a dar e receber, senão unicamente vós outros; 16 porque até para Tessalônica mandastes não somente uma vez, mas duas, o bastante para as minhas necessidades. 17 Não que eu procure o donativo, mas o que realmente me interessa é o fruto que aumente o vosso crédito. 18 Recebi tudo e tenho abundância; estou suprido, desde que Epafrodito me passou às mãos o que me veio de vossa parte como aroma suave, como sacrifício aceitável e aprazível a Deus. 19 E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades. 20 Ora, a nosso Deus e Pai seja a glória pelos séculos dos séculos. Amém!

  1. A igreja se fortalece na generosidade

 Reconhecimento é algo que Paulo tem a nos ensinar. Infelizmente muitos de nós consideramos aquilo que a igreja faz como obrigação e por isso, muitas vezes, somos ingratos.

Inclusive, Paulo mostra que o envolvimento financeiro em seu ministério era algo desafiador e que, até então, nenhuma outra igreja o havia ajudado. Detalhe que Paulo foi o grande responsável pela implantação da maioria delas… Interessante é que neste contexto de reconhecimento e gratidão, o apóstolo dos gentios diz (vs. 14) que esta igreja se envolveu “no dar e receber”. Então o versículo 19 explica melhor o receber: “E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades.” Aqui ele diz que as necessidades da igreja serão supridas em Cristo, ou seja, envolve muito mais do que bens materiais!

21 Saudai cada um dos santos em Cristo Jesus. Os irmãos que se acham comigo vos saúdam. 22 Todos os santos vos saúdam, especialmente os da casa de César. 23 A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito.

  1. Paulo faz de sua prisão uma missão

 Os versículos finais desta carta trazem uma importante constatação. É a percepção de que Paulo, mesmo preso, usa do seu tempo alí para evangelizar. Veja que ele pode ter alcançado outros presidiários e carcereiros e os chama de irmãos (“os irmãos que se acham comigo”), e até mesmo pessoas ligadas à família imperial (“os da casa de César”).

Este exemplo final de Paulo deve nos fazer refletir que não há desculpas para qualquer que seja o impedimento em pregar o Evangelho. E você, será que ainda tem desculpas? Na falta de criatividade, quero deixar algumas “desculpas bíblicas” de pessoas que usadas por Deus:

Abraão era velho, Jacó era inseguro, Lia era sem atrativos, José foi maltratado, Moisés tinha problema de dicção, Gideão era pobre, Sansão era co-dependente, Raabe era imoral, Davi foi mandante de uma assassinato e adulterou, Elias tinha tendências suicídas, Jeremias era depressivo, Jonas era relutante, Noemi era viúva, João Batista era excêntrico, Pedro era impulsivo e temperamental, Marta se preocupava demais, a mulher samaritana teve vários casamentos fracassados, Zaqueu era indesejado, Tomé tinha dúvidas, Paulo tinha saúde fraca e Timóteo era tímido.

Nós precisamos ser mais generosos e entender o verdadeiro sentido da prosperidade bíblica e, com todo nosso esforço, pregar o Evangelho a toda criatura!

Soli Amori Christi

Ser igreja é…

Filipenses 2:1-18

1 Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias, 2 completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. 3 Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. 4 Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. 5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; 7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, 8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai. 12 Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; 13 porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. 14 Fazei tudo sem murmurações nem contendas, 15 para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo, 16 preservando a palavra da vida, para que, no Dia de Cristo, eu me glorie de que não corri em vão, nem me esforcei inutilmente. 17 Entretanto, mesmo que seja eu oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, alegro-me e, com todos vós, me congratulo. 18 Assim, vós também, pela mesma razão, alegrai-vos e congratulai-vos comigo.

Paulo exorta a igreja a uma vida de igualdade, apresenta Cristo como exemplo maior e a razão de seu ministério.

 Igualdade

Os versículos 1 a 4, Paulo fala da importância de um grupo de pessoas pensar harmonicamente. Aqui é preciso deixar claro, que não se trata de pessoas alienadas e sim focadas num mesmo propósito, ele diz:  Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias. São estas áreas que a igreja precisa viver em harmonia!

E para que o o objetivo seja igualitário, não se deve fazer por rivalidade, orgulho ou egoísmo (cf. 3,4). Infelizmente essas coisas tão lógicas que prejudicam qualquer convivência, que são as mais comuns nas igrejas. Triste fato!

Exemplo

A partir do versículo 5 que ele começa orientando para que as pessoas tenham o mesmo sentimento de Jesus, que é um sentimento de servidão, estar abaixo do Senhor, ainda que naturalmente divino, Cristo assumiu sua posição como homem. Assim podemos entender através de Lucas 22.42: […] dizendo: Pai, se queres afasta de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. Lucas aqui está narrando as palavras de Jesus momentos antes a qual no Getsemani Ele suou sangue! Apesar da angústia e dor daquilo que estava para acontecer, Ele escolheu humilhar-se.

Este que se humilhou é aquele que tem o nome acima de todo nome e é o nosso Senhor. Se o Senhor agiu como servo, porque nós somos teimosos em querer agir como senhores?

Razão

Esse versículo 12 que diz: Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor. É vítima de muitas interpretações equivocadas. Quando Paulo fala aqui para que os crentes desenvolvam ou realizem (versão bíblica) sua salvação, ele não está passando a ideia de que a salvação é mérito meu ou seu e nem muito menos que é algo possível de se perder.

Essa palavra traduzida para o verbo desenvolver, também significa modelar, que neste texto traz o significado de que devemos nos modelar àquele que nos salvou. Ou seja, simplesmente viver nos moldes de Cristo Jesus!

É no versículo 13 que Paulo tira qualquer ideia de que a salvação é nosso mérito, quando diz que Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade.

Nos versículos 14 a 18 Paulo explica como ser diferença nesta geração pervertida e corrupta. Será que nossa geração é também assim? Se sim, então devemos seguir os conselhos de Paulo ao orientar que devemos proceder:

  • sem queixas ou discórdias (14);
  • retendo a palavra da vida (16);
  • em alegria e alegrando aos outros (Paulo encarcerado).

Assim também nós devemos… Olhar e agir de igual para igual seguindo o exemplo de Cristo na certeza da razão e proceder de nossa fé!

Soli Amori Christi

Filhos da Luz

Jesus disse que nós, os filhos de Deus, somos a luz desse mundo. Só que não há luz em nós se não somos nascidos Dele. É preciso ser filho da Luz para ser luz neste mundo e o Evangelho de João nos apresenta Cristo Jesus como a Luz que veio ao mundo de trevas gerar filhos de Deus, filhos da Luz. Veja o que está escrito em João 1.1-13:

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens; a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio como testemunha, a fim de dar testemunho da luz, para que todos cressem por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. Pois a verdadeira luz, que alumia a todo homem, estava chegando ao mundo. Estava ele no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus.

  1. O Verbo (1-3)

Nos primeiros versículos João nos apresenta o Cristo preexistente e traz em poucas palavras um dos grandes mistérios das Escrituras, quando diz: “o Verbo estava com Deus”, traz a perspectiva de Jesus distinto de Deus. Logo ele afirma: “e o Verbo era Deus”, que apresenta a perspectiva unitária de Deus que é Três e Um!

  1. Luz e trevas (4,5)

“Nele estava a vida”. Esta afirmação nos leva ao princípio de todas as coisas… Veja em Gênesis 2.7: E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente. E voltando ao Evangelho de João, ele fala que a vida era a luz dos homens. Ou seja, o fôlego de Deus que é o dom da vida era luz. O que se faz da vida ao desobedecer a Deus é apagar esse “sopro de luz”, é viver nas trevas.

Porém a Palavra afirma que não há trevas contra a luz divina. Desta maneira quando nós flertamos com o pecado, estamos tentando apagar a luz de Deus em nós. É uma pena que muitos conseguem tal façanha auto-destrutiva.

  1. João – o testificador da Luz (6-9)

Imediatamente surge uma novo personagem no Evangelho de João. É um homem também chamado João que, segundo o versículo 6 foi enviado por Deus, um missionário, um visionário. Sua missão era falar a respeito da Luz e reacender a vida outrora e a tanto tempo apagada. Os versículos 8 e 9 deixam claro que João, apesar de ser um enviado de Deus, não era a Luz, não tinha luz própria, pois “a verdadeira luz que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem”. É válido alertar que esta afirmativa de que a Luz ilumina a todos não significa que toda a humanidade será salva, como infelizmente alguns teólogos afirmam, e sim que a oportunidade de salvação vem para todos, como veremos a seguir nos próximos versículos.

  1. Os filhos de Deus (10-13)

No versículo 10, mais uma vez João aponta para o Cristo preexistente, dizendo que o mundo foi criado por Ele. Logo em seguida o evangelista fala da incredulidade do homem em não reconhecer o senhorio de Deus como acontecera aos judeus que não o receberam.

Todo aquele que crê entrega sua vida a Luz (Cristo) é adotado por Deus recebendo a filiação gratuita. Por fim o versículo 13 retira qualquer participação do homem no propósito maior de Deus que é a salvação. De modo que, como o próprio João afirma: “não vem do sangue, nem da carne e nem de vontade humana, mas de Deus.

Você é salvo pela vontade de Deus e é vontade de Deus que sua Luz – Cristo Jesus alcance e ilumine os pecadores!

Soli Amori Christi

Milagres do dia-a-dia

Quem já me ouviu orando algumas vezes, provavelmente foi testemunha das seguintes palavras: “Senhor, obrigado pelas coisas que tens feito em minha vida e eu nem sei”. Mas como assim? Será possível recebermos alguma benção de Deus ou mesmo um milagre e não ter conhecimento de tal? Sim em Êxodo 2.1-10, temos a conhecida história de um bebê recém-nascido que escapou da morte ao ser deixado numa cesta ao longo do rio, que fora encontrado recebendo todos os cuidados e ainda criado por sua mãe. Este bebê foi Moisés, que ainda no início da vida foi alvo de atos milagrosos de Deus sem ao menos saber o que passara.

É possível que muito do agir de Deus passe despercebido por nós, porém NADA se passa fora do conhecimento de nosso Senhor: Os olhos de Deus estão sobre os caminhos do homem e vêem todos os seus passos. (Jó 34:21)

Veja o texto a seguir, que narra um milagre espetacular do Senhor Jesus ao alimentar uma multidão!

Mateus 14:13-21

13 Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multidões, vieram das cidades seguindo-o por terra. 14 Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos. 15 Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lugar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo pelas aldeias, comprem para si o que comer. 16 Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer. 17 Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. 18 Então, ele disse: Trazei-mos. 19 E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos discípulos, e estes, às multidões. 20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolheram ainda doze cestos cheios. 21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.

Jesus alimenta uma multidão e mostra aos discípulos que é preciso crer em Sua provisão

  1. A multidão vai à direção do Mestre

Nos versículos 13 e 14 o texto narra que Jesus vai para um lugar deserto ao tomar conhecimento de que João Batista estava morto (Mt. 14.12), só que a notícia chega ao povo que viera de várias cidades ao seu encontro. O interessante aqui é que diferente da proposta de ficar só, o Filho de Deus é solicitado e apesar dos pesares, está pronto a atender o povo levando cura.

  1. Os discípulos passam por uma prova de fé

As horas vão passando, a fome vai apertando e os discípulos abordam Jesus para que despedisse o povo para um “coffee break”, só que conforme o versículo 16, Jesus nega esse pedido dos discípulos e manda que eles dessem alimento ao povo. Os discípulos só conseguiram alimento para, no máximo, alimentar uma família.

  • Jesus multiplica o alimento e todos se fartam

A partir do versículo 19 temos Jesus aquietando a multidão e realizando este impressionante milagre, alimentando cerca de 20 mil pessoas com cinco pães e dois peixes. Interessante que o texto bíblico diz que a multidão ficou farta de comida e ainda sobrou!

O que para muitos da missão integral é um absurdo, aqui é tratado como bênção! Pessoas fartas e sobra de alimento, foi o resultado do milagre de Jesus. Os discípulos são provados ao exercício de sua fé, que eles já haviam presenciado muitos milagres e agora apenas atentam a uma necessidade básica – comer – e sequer consideram um milagre naquele momento.

Este texto nos mostra que Jesus, além de curas, também está para nos abençoar nas coisas do dia-a-dia. Você ainda tem, ou perdeu o costume de agradecer antes de cada refeição? Na correria do dia-a-dia, ao chegarmos cansados em casa, ainda nos lembramos de agradecer?

Agradeça mesmo sem contabilizar os milagres!!!

{Biblifique-se}

Soli Amori Christi

Cura total

Quantos de nós ao sofrer de alguma doença somos capazes de buscar qualquer remédio sem medir esforços? Ter a cura de algo que nos incomoda traz uma real sensação de alívio e ainda nos torna mais experientes. No texto que vamos ver a seguir, duas curas são ministradas por Jesus a um mesmo homem. Veja Marcos 2.1-12:

1 Alguns dias depois entrou Jesus outra vez em Cafarnaum, e soube-se que ele estava em casa. 2 Ajuntaram-se, pois, muitos, a ponta de não caberem nem mesmo diante da porta; e ele lhes anunciava a palavra. 3 Nisso vieram alguns a trazer-lhe um paralítico, carregado por quatro; 4 e não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o paralítico. 5 E Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: Filho, perdoados são os teus pecados. 6 Ora, estavam ali sentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: 7 Por que fala assim este homem? Ele blasfema. Quem pode perdoar pecados senão um só, que é Deus? 8 Mas Jesus logo percebeu em seu espírito que eles assim arrazoavam dentro de si, e perguntou-lhes: Por que arrazoais desse modo em vossos corações? 9 Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Perdoados são os teus pecados; ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito, e anda? 10 Ora, para que saibais que o Filho do homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados (disse ao paralítico), 11 a ti te digo, levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. 12 Então ele se levantou e, tomando logo o leito, saiu à vista de todos; de modo que todos pasmavam e glorificavam a Deus, dizendo: Nunca vimos coisa semelhante.

A cura de um paralítico mostra que o poder de Jesus está além das necessidades físicas!

  1. Jesus investe tempo no ensino

Os dois primeiros versículos narram que Jesus voltara a Cafarnaum e que estava em uma casa. Cafarnaum era o lar de quatro dos seus discípulos – Pedro, André, Tiago e João. Logo, esta era uma cidade em que muitos ouviram falar a respeito de Jesus e seus feitos milagrosos. Segundo Marcos, a casa estava tão cheia que nem na porta havia lugar para ficar.

Apesar do provável ambiente nada confortável, é alí que Jesus dedica tempo para o ensino, pois Ele “anunciava a Palavra.”

  1. O esforço para a cura

Seguem os versículos 3 e 4 onde temos uma mudança de cenário aqui. Esses quatro homens carregando o paralítico não mediram esforços para atender ao desejo de um enfermo – a sua cura!

  1. A cura dos pecados (causa críticas)

Os homens são bem sucedidos desta investida e o paralítico alcança Jesus – alcança a cura! O interessante é que o texto narra (vs. 5) que Jesus viu a fé deles que fora tão somente o esforço para aproximar-se do Filho de Deus. E Jesus declara a cura dos pecados daquele homem. Naqueles dias era comum à cultura religiosa o entendimento de que se uma criança nascia com alguma deficiência, a causa daquela má formação eram os pecados “herdados” dos seus pais. Então Jesus ataca esta cultura enganosa e ao mesmo tempo apresenta-se publicamente como o cordeiro de Deus, que tem poder de curar pecados.

Só que este anúncio de que Jesus tem tamanho poder causou incômodo nos religiosos de plantão. A partir do versículo 6 vemos que os escribas chegaram a acusar Jesus de blasfêmia, por não aceitar que Ele tenha tal poder. Então Jesus os coloca à prova perguntando: (vs. 9) “Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Perdoados são os teus pecados; ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito, e anda?” Ou seja, é mais fácil para um religioso adquirir a cura dos pecados (que era realizado através de sacrifícios), do que uma cura física sem solução.

  1. A cura de uma doença física (causa espanto)

Por fim, os versículos 10 a 12 selam este momento em que Jesus ensina numa casa. Mais uma vez atestando Sua autoridade messiânica como Aquele capaz de curar de todos os males, Jesus declara a cura física daquele homem que agora sai da casa não mais pelas mãos de quatro homens, mas caminhando, causando espanto e levando todos a glorificar a Deus.

De qual cura nós hoje precisamos?

O perdão de pecados é suficiente para muitos, porém outros precisam de uma cura física.

Creia, tenha fé e busque Jesus com toda sua força!


Soli Amori Christi

O Amigo

{Sérgio Lopes}

O amigo que eu encontrei me surpreendeu;
Quando todos me deixaram, Ele me acolheu;
E sarou minhas feridas, das algemas me livrou;
Lhe falei do meu dilema e Ele me escutou;
Lhe falei do meu passado e me perdoou;
Isso teve um alto preço que Ele já pagou;
Me mostrou as mãos feridas por amor de muitas vidas;
E uma dessas muitas vidas era eu;

Quem nesse mundo amor tão grande pode ter;
De entregar a própria vida sem temer?
Quem já sentiu a dor de ser cravado em uma cruz;
Pagando pelos erros que não cometeu?

E olhar nos olhos de quem tanto mal lhe fez;
E sem ressentimento oferecer perdão;
Quem pode ser melhor amigo que O Senhor;
Que pelo servo a própria vida renunciou?
Quem pode ser melhor amigo que O Senhor;
Que pelo servo a própria vida renunciou?