Mais ou Menos?

A criação de Deus é incrível! Tudo Ele criou segundo a Sua infinita sabedoria. Criou o ser humano e o dotou de uma complexa capacidade de pensar e agir que o difere de toda a criação. Além destas, existem outras características peculiares no ser humano, entre elas destaco aqui a inconstância. Alguém já disse, certa vez, que a única coisa constante em nossas vidas é a mudança. Já parou para pensar o quanto somos inconstantes? Leia o texto de Jonas 3. 10; 4. 1-11:

Tiramos logo uma lição importante deste texto: A misericórdia de Deus permanece apesar da inconstância de Jonas. O mesmo se aplica a todos nós hoje!

I. Deus salva o povo de Nínive e Jonas não se agrada disso – o profeta desejava a morte de todo aquele povo, pois não considerava a benignidade de Deus. No Salmo 86. 5 está escrito: “Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para todos os que te invocam”. Deus está pronto para perdoar, se assim não fosse, o sacrifício de Jesus não teria significado. E essa benignidade nos é presenteada como fruto do espírito (cf. Gálatas 5. 22);

II. Jonas, que dentro do peixe clamou a Deus por sua vida (cf. cap. 2), agora deseja a morte por não aceitar a vontade de Deus. Jonas se arrepende e cumpre o seu papel de profetizar, mas ainda não compreende a dimensão do amor de Deus. Será que acreditamos naquilo que pregamos?

III. Após ser questionado por Deus, Jonas vai esperar de “camarote” o que aconteceria à cidade de Nínive. É quando Deus o presenteia com um guarda sol natural, fazendo nascer uma planta que cobria o profeta e ele se alegra. Logo no dia seguinte Deus faz a planta morrer e isso deixa Jonas novamente irado, desejando mais uma vez a morte. Veja que homem inconstante! Será que pessoas assim existem em nossas igrejas?

IV. Por fim Deus dá mais uma lição a Jonas… De que ele deveria ter compaixão da planta a qual não precisou dos seus esforços, assim, deveria ter compaixão de Nínive que era um povo sem discernimento, mas alcançou a misericórdia de Deus ao se arrepender e isso custou apenas um dia de trabalho a Jonas.

Quantos de nós interrogamos Deus pelo que Ele faz ou deixa de fazer? Somos muito inconstantes, ora estamos felizes e damos graças a Deus por tudo, ora nos entristecemos e aborrecidos deixamos até de orar. É uma triste verdade, mas nós temos muitas atitudes de Jonas. Não entendemos a benignidade pelo fato de não praticarmos benignidade e esse é um dos motivos de nossa inconstância.

Essas deveriam ser as palavras de Jonas:

“EXALTAR-TE-EI, ó SENHOR, porque tu me exaltaste; e não fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre mim. SENHOR meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste. SENHOR, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para que não descesse ao abismo. Cantai ao SENHOR, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade. Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” (Salmo 30. 1-5)

E disse Jesus sobre sua volta:

“Na verdade, na verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria. A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo. Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará.” (João 16. 20-22)

Mais ou menos? Feliz ou triste? Vida ou morte? Eu opto pelo mais, o mais de Deus!!!

Soli Deo Gloria

A Missão do Profeta (Arrependimento)

JONAS 3

Nas últimas vezes em que preguei, estive utilizando o livro de Jonas como base. Tenho visto a importância e a necessidade de pregar mensagens expositivas da Palavra de Deus pelo fato de acompanhar muitos crentes que se têm deixado levar por palavras vãs. Pregar a Palavra de Deus é minha obrigação e levar aos crentes a mensagem na íntegra em uma questão de compromisso com Deus.

Até o capítulo 3 a historia de Jonas vem cheia de acontecimentos especiais:
1. A teimosia de Jonas
2. A fuga
3. A tempestade que o mataria
4. A provisão de Deus em forma de peixe.

O poder da mensagem de Deus gera arrependimento ao povo

Vejamos o que o capítulo 3 nos ensina a respeito de arrependimento:
1. O arrependimento traz obediência – a começar em Jonas e depois em todo o povo de Nínive. Jonas evangeliza a grande cidade de três dias de caminhada em apenas um dia (cf. 3.3).

2. O arrependimento provoca mudança de atitude – o povo de Nínive reconhece estar no caminho errado e isso os leva a uma atitude de humilhação. Até o rei da cidade se arrepende e proclama leis para todo o povo (cf. 3.6,7).

3. O arrependimento alcança misericórdia – a vida de Jonas é um exemplo dessa misericórdia. Agora o povo de Nínive alcança a misericórdia de Deus: “E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez” (3.10).

4. A bênção do povo foi a misericórdia de Deus! A misericórdia de Deus alcança a vida de Jonas. Jonas age segundo essa misericórdia anunciando a mensagem do PAI. Nossa misericórdia reflete Deus para a vida das pessoas. Isso é Evangelho!!!

Lucas 10. 30-37 (A Parábola do Samaritano)

E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo. E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão; E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele; E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar. Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira.

E Jesus Cristo nos diz hoje… Vai, e faze da mesma maneira!!!

Soli Deo Gloria

Um Profeta Desobediente

Usamos muitos exemplos dos profetas para motivar a igreja em fazer o seu papel profético em nossos dias. Profetas foram grandes homens que eram usados por Deus num propósito específico. E todos foram altamente obedientes, pois eram mensageiros do Senhor. Será mesmo?

Observando Jonas 1.1-6 vejo que o livro já começa com uma atitude de desobediência deste homem de Deus. Vamos ver algumas considerações naquela situação:

Historicamente um profeta era enviado por Deus para pregar ao seu povo e não a povos diferentes. Jonas era considerado inimigo de Nínive por ser de outra nação. Os inimigos de Nínive eram tratados debaixo de grande violência. Será que Jonas tinha motivos para desobedecer? E nós, temos motivos para desobedecer?

Vejamos algumas lições da desobediência de Jonas:
1. Não há como fugir da presença de Deus;
2. Jonas tinha disposição à desobediência;
3. Deveria ser grato a Deus (por ser escolhido), mas não foi;

No quarto versículo Deus envia uma tempestade que abala as estruturas do navio e quase o despedaçou. Vejo nessa tempestade a forma que Deus, em sua sabedoria, usa para que o profeta desobediente cumprisse com Seu propósito. Hoje vejo uma tempestade se aproximando do nosso país, tempestade essa que até pode abalar nossa nação. De repente é nessa tempestade que Deus nos tirará da zona de conforto para cumprir o IDE dado por Jesus Cristo.

“A tempestade não veio para destruir, mas para construir a vida de Jonas.”

Soli Deo Gloria