Mentir em nome de Deus?

Quantos filmes ou documentários que contam historia que atestam mentiras do mundo religioso você já assistiu? Quantas revistas de ciências e curiosidades que denunciam inverdades promovidas por religiões você já leu? Quantos sites, blogs, vlogs e notícias em redes sociais você tem visto que delatam práticas e ensinos que contradizem o que os religiosos pregam?

Você já viu uma igreja assumir um grande erro e pedir perdão por tantos anos de ensinos heréticos, independente do resultado que esta notícia cause em seus fiéis? Pois é, isto é algo incomum de se ver, pois se uma instituição reconhece que errou, acaba perdendo seu valor e consequentemente perde os seguidores, porém muitos estão enganados ou se enganado mundo afora.

Com o intuito de revelar algumas mentiras, que o Marcos Botelho está para lançar um e-book colaborativo com as 95 mentiras do mundo gospel. Um veículo de informações que poderá esclarecer muitos críticos e causar revolta em outros tantos. Desta feita, enviei uma de minhas contribuições, que segue:

Uma das maiores mentiras do mundo gospel é nos considerar responsáveis em convencer as pessoas a respeito da fé em Jesus Cristo, o que chamo de marketing gospel!

Isso é feito por muitos líderes com a intenção de tomar para si a responsabilidade ou o mérito em converter as pessoas. O que faz as pessoas os admirar e viver em uma “co-dependência espiritual”, o que eles chamam de cobertura espiritual.

Segundo a Bíblia a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus (Romanos 10.17), porém é a ação do Espírito Santo que leva ao convencimento de que somos carentes da graça redentora de Cristo!

Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. [João 16.7-11]

Soli Deo Gloria