Ativos ou reativos

Ativo (adjetivo): Que exerce ação; que age.

Reativo (adjetivo): Que faz reagir, que provoca reação; reagente.

Atos 8:1-8

1 E Saulo consentia na sua morte. Naquele dia, levantou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém; e todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria. 2 Alguns homens piedosos sepultaram Estêvão e fizeram grande pranto sobre ele. 3 Saulo, porém, assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, encerrava-os no cárcere. 4 Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra. 5 Filipe, descendo à cidade de Samaria, anunciava-lhes a Cristo. 6 As multidões atendiam, unânimes, às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele operava. 7 Pois os espíritos imundos de muitos possessos saíam gritando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados. 8 E houve grande alegria naquela cidade.

  1. Ambiente hostil é também lugar de oportunidades (1-4)

Este início do capítulo 8 não é um início, mas uma continuação de um cenário de horror narrado no capítulo 7. Veja como um servo de Deus foi tratado (Atos 7.54-60). Aqui o capítulo 8 inicia falando da participação de Saulo no homicídio de Estevão e em seguida a perseguição contra toda a igreja que AINDA estava em Jerusalém e por conta da adversidade foram “cumprir seu chamado”. Conforme Atos 1.8, está escrito: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judéia e Samaria e até os confins da terra.”

O verso 3 fala das atividades pouco amistosas de Saulo e o verso 4 dos cristão que espalhados por conta da perseguição iam por toda parte pregando a Palavra.

  1. Mensagem objetiva (5-6)

Gosto muito desses dois versículos que são uma referência de missão bem sucedida. Aqui o texto narra Filipe, que ao percorrer Samaria ia anunciando a Cristo. Veja que aqui o texto é bem sucinto e não explica qual era o conteúdo da mensagem, apenas que ele “anunciava a Cristo”.

NO versículo 6 observamos que além da mensagem proclamada, haviam sinais operados por ele. Veja que havia unanimidade, conforme o texto e que os sinais aconteciam conforme Filipe anunciava o que é fácil perceber no ministério de Jesus, onde o milagres eram antecedidos por ensino, uma coisa NÃO PODE andar sem a outra!

  1. Os sinais são notados pela cidade (7-8)

Nos versos finais de nossa reflexão quero refletir sobre duas situações:

  1. Os sinais em Filipe eram cura e libertação;
  2. A alegria da cidade.

Muitos têm curiosidade de saber se um crente tradicional crê em milagres como expulsão de demônios e cura de doenças congênitas. Eu costumo responder: – se está na Bíblia eu creio! Aqui o texto narra que Filipe realizava esses feitos. Agora se isso ainda acontece hoje como se vê em manifestações de fé na televisão e nas casas de curandeiros gospeis aí é uma outra questão…

A segunda situação é a alegria na cidade. Pois essa foi a consequência do cumprimento da missão de um único sujeito. Se uma única pessoa ao anunciar a Cristo e realizar sinais miraculosos, traz alegria à cidade, como explicar que em meio a tantos “profetas” e “curandeiros” as cidades permanecem com um alto percentual de insatisfação??? Algo deve estar errado.

Com os primeiros cristãos devemos aprender que não importam as adversidades, é preciso pregar a Palavra, que devemos ser objetivos ao falar de Cristo, que homens podem ser agentes de milagres de Deus e que viver para Cristo traz alegria!

 Soli Christi Amori

Mensageiros das boas novas

A ocasião para a carta foi o envio de uma oferta financeira da igreja a Paulo pelas mãos de Epafrodito (4.18), com instruções para ministrar às necessidades do apóstolo em Roma. Muito provavelmente, Epafrodito também levou relatos sobre o progresso e os problemas da igreja. Agradecendo à igreja por sua generosidade, Paulo também queria encorajar a perseverança nos traços positivos e oferecer correção para as áreas nas quais a igreja se achava deficiente. Outros motivos para a carta foram a correção de qualquer desentendimento sobre o desempenho de Epafrodito como mensageiro e ministro (2.25-30) e a iminente visita de Timóteo (2.19-24).

Carlos Osvaldo Pinto

Filipenses 2:19 – 3:1

19 Espero, porém, no Senhor Jesus, mandar-vos Timóteo, o mais breve possível, a fim de que eu me sinta animado também, tendo conhecimento da vossa situação. 20 Porque a ninguém tenho de igual sentimento que, sinceramente, cuide dos vossos interesses; 21 pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus. 22 E conheceis o seu caráter provado, pois serviu ao evangelho, junto comigo, como filho ao pai. 23 Este, com efeito, é quem espero enviar, tão logo tenha eu visto a minha situação. 24 E estou persuadido no Senhor de que também eu mesmo, brevemente, irei. 25 Julguei, todavia, necessário mandar até vós Epafrodito, por um lado, meu irmão, cooperador e companheiro de lutas; e, por outro, vosso mensageiro e vosso auxiliar nas minhas necessidades; 26 visto que ele tinha saudade de todos vós e estava angustiado porque ouvistes que adoeceu. 27 Com efeito, adoeceu mortalmente; Deus, porém, se compadeceu dele e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza. 28 Por isso, tanto mais me apresso em mandá-lo, para que, vendo-o novamente, vos alegreis, e eu tenha menos tristeza. 29 Recebei-o, pois, no Senhor, com toda a alegria, e honrai sempre a homens como esse; 30 visto que, por causa da obra de Cristo, chegou ele às portas da morte e se dispôs a dar a própria vida, para suprir a vossa carência de socorro para comigo.

3.1 Quanto ao mais, irmãos meus, alegrai-vos no Senhor. A mim, não me desgosta e é segurança para vós outros que eu escreva as mesmas coisas.

Timóteo e Epafrodito são enviados por Paulo como mensageiros de boas novas para perpetuar o Evangelho (Boas Novas).

Timóteo

O jovem pregador Timóteo era um “duplo mensageiro”, onde Paulo espera enviá-lo à igreja (19) para ter conhecimento das condições daquela igreja. Já nos versículos 20 e 21, o Apóstolo orienta que Timóteo é aquele a qual ele sente ser o melhor para levar a igreja aos propósitos de Jesus Cristo, pois outros buscam aos seus próprios interesses.

Paulo envia seu filho na fé (22) reconhecendo que não teria a oportunidade de conduzir a igreja, visto que estava preso só restava-lhe a esperança em rever os irmãos (23, 24).

Epafrodito

O mensageiro Epafrodito além de trazer as últimas novidades da igreja em Filipos, foi também o responsável pela oferta que a igreja havia enviado a Paulo para seu sustento enquanto encarcerado (25). Nos versículos seguintes Paulo descreve um recente acontecimento à Epafrodito, que ele esteve doente a ponto que quase falecer e ainda sentia saudades dos irmãos, dizendo: 26 visto que ele tinha saudade de todos vós e estava angustiado porque ouvistes que adoeceu. 27 Com efeito, adoeceu mortalmente; Deus, porém, se compadeceu dele e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza. 28 Por isso, tanto mais me apresso em mandá-lo, para que, vendo-o novamente, vos alegreis, e eu tenha menos tristeza. Interessante, nesta que é considerada uma carta da alegria, ver Paulo citar tristeza. Isto traz um importante ensino…

A verdadeira alegria não é ausência de tristeza, mas a certeza de que a fonte de nossa alegria é o Senhor! Está escrito: Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! (Filipenses 4:4)

Os versículos 29 e 30 é uma ordem do apóstolo à igreja. Que ela honre homens que dão a vida prol Evangelho. Interessante observar que a “quase morte” de Epafrodito é utilizada para a igreja aprender a honrar missionários e não um apelo sensacionalista como se vê hoje em dia aos “testemunhos milagrosos” que se vê por aí.

Por fim, o versículo 1 do capítulo 3 fala, da fonte da alegria e também a importância das instruções de Paulo, ainda que seja algo repetitivo, são sim necessárias para aplicação!

Contudo, minha oração está em 1 Tessalonicenses 1:6, que diz:

Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio de muita tribulação , com alegria do Espírito Santo.

Soli Amori Christi

Um Conselho

Considere o que Paulo disse em II Timóteo 2.7 a este jovem discípulo:

“Reflita no que estou dizendo,
porque o Senhor lhe dará entendimento em tudo “.

Entender é um dom de Deus e muitas pessoas crêem nisso, porém acham que entendimento lhes será dado sem pensarem… mas isso é o oposto do que Paulo disse!

Não diga: “Porque Deus dá entendimento eu não preciso pensar”.
E não diga: “Porque estou pensando Deus não precisa me dar entendimento, posso obtê-lo por mim mesmo”.
Deve haver tanto o nosso pensar como o outorgar de Deus, e não apenas uma ou outra dessas duas coisas. Pense no que o apóstolo disse, porque em e por meio do nosso pensar Deus nos dá entendimento.

Por isto, quando estou preparando um sermão, abro minha Bíblia, ou consulto meu programa de computador sobre a Bíblia, ou começo a pensar sobre as palavras, conjunções, frases e a ordem das preposições.

Em intervalos regulares, eu paro e digo:
Ó Deus, abre meus olhos; dá-me luz! Faze-me ver o que está realmente aqui! Sei que sou dependente do Espírito Santo para ver a verdade que está aqui!
…mas isto não me faz parar de pensar! Porque Paulo disse: “Reflita no que estou dizendo”.

Pensar intensamente sobre a verdade bíblica é o meio pelo qual o Espírito Santo nos mostra a verdade!

John Piper – extraído do livro “O pastor como mestre e O mestre como pastor” – pp 63-64 – Ed. Fiel

Soli Deo Gloria