Salmos de Alegria {Parte 2}

Salmo 16

1 Guarda-me, ó Deus, porque em ti me refugio. 2 Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente. 3 Quanto aos santos que há na terra, são eles os notáveis nos quais tenho todo o meu prazer. 4 Muitas serão as penas dos que trocam o SENHOR por outros deuses; não oferecerei as suas libações de sangue, e os meus lábios não pronunciarão o seu nome. 5 O SENHOR é a porção da minha herança e o meu cálice; tu és o arrimo da minha sorte. 6 Caem-me as divisas em lugares amenos, é mui linda a minha herança. 7 Bendigo o SENHOR, que me aconselha; pois até durante a noite o meu coração me ensina. 8 O SENHOR, tenho-o sempre à minha presença; estando ele à minha direita, não serei abalado. 9 Alegra-se, pois, o meu coração, e o meu espírito exulta; até o meu corpo repousará seguro. 10 Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. 11 Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.

Este salmo de Davi é uma canção que declara confiança em Deus! Em resumo, dos versículos 1 a 8 Davi declara sua confiança no Senhor como sua porção nesta vida. E dos versículos 9 a 11, ele confiará no Senhor que irá preservá-lo em sua morte.

Neste salmo aprendemos que:

A nossa alegria deve estar alicerçada na confiança em Deus!

  1. Feliz é aquele que tem discernimento

O início deste salmo é um clamor pelos cuidados de Deus que vem junto de uma declaração de que o salmista tem em Deus o seu refúgio e segue o versículo 2 dizendo que Deus é sua prioridade.

O discernimento em escolher nossas amizades e dedicar somente a Deus nossas vidas estão consecutivamente nos versos 3 e 4. “Os santos” no versículo 3 são os separados de Deus, ou seja, todo aquele que tem Deus como seu único Senhor. Davi diz que tem prazer em estar com o povo de Deus! No verso 4 ele reconhece o perigo que é trocar Deus por outros deuses e diz que não o fará nem com atos de oferta e nem com os lábios.

  1. Feliz é quem espera e aprende do Senhor

Esperar no Senhor sempre é um desafio do ser humano. Nos versículos 5 e 6 Davi declara sua confiança em esperar em Deus. E que independente do “aqui agora”, Davi espera no que o Senhor trará para sua vida.

No versículo 7 o salmista menciona até a oportunidade de deitar e trazer à memória os fatos do dia e até alí Deus está nos permite aprender mais.

  1. Feliz é aquele que confia até a morte

No final da carta dedicada à igreja de Esmirna em Apocalipse 2.10 (no final do versículo), está escrito: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.”

Fidelidade e confiança andam juntos neste sentido. Pois para que nossa confiança permaneça plena em Deus é imprescindível a fidelidade. Interessante é que os versículos 8 a 10 são citados por Pedro em Atos 2.25-31, que diz:

“Porque a respeito dele diz Davi: Diante de mim via sempre o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja abalado. Por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; além disto, também a minha própria carne repousará em esperança, porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Fizeste-me conhecer os caminhos da vida, encher-me-ás de alegria na tua presença. Irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje. Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção.”

A nossa confiança em Deus reflete nossa alegria. É assim que devemos seguir até a morte física, na certeza de que Ele já nos deu a salvação e nos aguarda nos altos céus!!

Desse modo é que o último versículo do salmo 16 faz todo sentido: “Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.”

  • Essa “plenitude de alegria” está naquele que busca discernimento em Deus;
  • “Na tua destra” – é aquele que espera e aprende no Senhor;
  • E prova das “delícias perpetuamente” aquele que viverá a eternidade junto a Deus.

Soli Amori Christi

Nós também matamos crianças

Aylan Kurdi, o menino sírio de 3 anos que foi encontrado morto em uma praia da Turquia e cuja foto se tornou uma representação da crise migratória na Europa, falou nesta quinta-feira  sobre a tragédia. Abdullah Kurdi perdeu também a mulher e outro filho de 5 anos no naufrágio.

“Tínhamos jalecos salva-vidas, mas o barco afundou porque várias pessoas se levantaram. Carreguei a minha mulher nos braços. Mas meus filhos escorregaram das minhas mãos”, contou ele.

Quando digo que nós também matamos crianças, não me refiro a algum tipo de guerra ou crise migratória no Brasil, aqui não temos essas coisas. Mas vivemos num país em que é comum ver crianças trabalhando a céu aberto. Um país que é comum ter conhecimento de crianças vítimas de abuso sexual. Um país onde indefesos precisam ser violentos por conta da violência urbana. Um país que desaprendeu o que é educação.

Quando, destas formas, estamos matando centenas de crianças todos os dias, fica mais do que claro que não conseguimos ser responsáveis por ninguém. Que Deus tenha misericórdia de nós!

Salmo 127:1-5

Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem. Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.

Soli Amori Christi

A morte não é o fim

Você acredita em vida após a morte? Pode parecer uma pergunta estranha, mas o cristão acredita em uma diferente vida após a morte física. Então faço outra pergunta: você acredita que alguém que morreu pode voltar? Temos na Bíblia um exemplo de alguém que morreu e recebeu a chance de ressuscitar pelo amor de Jesus por sua vida!

João 11. 1-14

ESTAVA, porém, enfermo um certo Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e de sua irmã Marta. E Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo. Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas. E Jesus, ouvindo isto, disse: Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela. Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. Ouvindo, pois, que estava enfermo, ficou ainda dois dias no lugar onde estava. Depois disto, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia. Disseram-lhe os discípulos: Rabi, ainda agora os judeus procuravam apedrejar-te, e tornas para lá? Jesus respondeu: Não há doze horas no dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; Mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz. Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram, pois, os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Mas Jesus dizia isto da sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono. Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto;

Vejamos o que a Palavra de Deus tem a nos comunicar através deste episódio em que Jesus não se importa com a perseguição e anuncia ter poder sobre a morte:

I. Um homem amado por Jesus – a Bíblia nos diz em um dos textos mais conhecidos que foi por amor que Deus deu Seu Filho por nós! Visto por esse ângulo precisamos entender o princípio de um amor que quebra as barreiras da compreensão humana. Lázaro e sua irmã Marta eram conhecidos por Jesus e amados… preciso conhecer a Jesus Cristo para compreender e viver tão grande amor!

II. Uma doença para a glória de Deus – parece um pouco contraditório. Aquele que apresenta uma novidade de vida e vida em abundância, dizer que uma doença (uma séria doença!) é para a glória de Deus. Em nossa compreensão mesquinha corremos o risco de pensar que apenas as “bênçãos” são para a glória de Deus (e ainda tem religião ensinando isso). A visão do homem é curta e cheia de achismos!

III. Quem está em Cristo não deve ter medo – Jesus e seus discípulos haviam passado pela Judeia e foram ameaçados pelos judeus. Os discípulos temiam mesmo caminhando ao lado de Jesus. Mas o Mestre ensina que quem anda na luz não deve temer pois vê a luz do mundo, ou seja, sabe por onde caminhar. Porém, aquele que anda em trevas, sem a luz do nosso Pai, esse tropeça e por isso precisa andar com medo!

IV. A morte para Deus é um simples sono – mas para nós pode parecer o fim. Os discípulos não compreenderam que para Jesus a morte não era o fim e por isso nosso Senhor considerou ser apenas um sono. Foi aí que Jesus disse: Lázaro está morto!

Em João 11. 25 está escrito:

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;”

Um milagre aconteceu: “E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir. Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo a Maria, e que tinham visto o que Jesus fizera, creram nele. (cf. 11. 43 – 45)”. Você crê na veracidade destas palavras?

Jesus nos chama hoje da morte para a vida. Aí você me diz que não está morto fisicamente. Não estou falando dessa morte. Aqui me refiro à morte espiritual, a qual Jesus Cristo nos convida para uma nova vida e assim ter uma verdadeira vida após a morte… a vida eterna, ao lado do nosso Criador!

Soli Deo Gloria