Santa Ceia ou Ceia dos santos?

Ser santo é simplesmente procurar viver como um cristão, ou seja, é ser Imitador de Cristo!

Disse Deus: Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus. [Levítico 20.26]

Tudo bem que o nosso Deus é Santo. Agora, quando Deus nos orienta a ser santo como Ele é o negócio complica! Como eu, um mortal pecador posso ser santo como Deus? Seria uma ilustração ou metáfora?

A resposta encontra-se na Palavra de Deus: Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. [1 Pedro 1.14-16] Pedro deixa claro que não se trata de uma simples ilustração ou metáfora é sim a maneira que TODO cristão deve viver!

Deste modo quando Paulo diz em 1 Coríntios 11.1 “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” Não se trata de uma atitude arrogante ou uma “ostentação gospel”, mas sim a imagem que Paulo preocupava-se em refletir. Assim também nós devemos refletir santidade a começar nos enxergando santos.

Mesmo Paulo que se enxerga imitador de Cristo foi um terrível pecador… E depois ele tornou-se perfeito? Veja o que diz a seguinte narrativa…

Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar- se. Então, Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas. [Atos 15.36-41]

Pois é, a discussão de Paulo com Barnabé leva-os a seguirem caminhos diferentes até segunda hora. Isto nos leva a entender que Paulo não tornou-se um extraterrestre ao dizer ser imitador de Cristo. Ele apenas entendeu a responsabilidade de carregar o nome de cristão.

Todos os dias somos “testados” para ver se realmente podemos carregar o nome de cristão! Apesar de nós, Cristo se entregou na cruz em nosso favor, então nossas atitudes devem refletir gratidão por Ele!

Vejamos o cenário original da ceia que Jesus realizou junto aos seus discípulos e extrair as devidas lições para nossas vidas…

Marcos 14:12-31

12 E, no primeiro dia da Festa dos Pães Asmos, quando se fazia o sacrifício do cordeiro pascal, disseram-lhe seus discípulos: Onde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a Páscoa? 13 Então, enviou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: Ide à cidade, e vos sairá ao encontro um homem trazendo um cântaro de água; 14 segui-o e dizei ao dono da casa onde ele entrar que o Mestre pergunta: Onde é o meu aposento no qual hei de comer a Páscoa com os meus discípulos? 15 E ele vos mostrará um espaçoso cenáculo mobilado e pronto; ali fazei os preparativos. 16 Saíram, pois, os discípulos, foram à cidade e, achando tudo como Jesus lhes tinha dito, prepararam a Páscoa.

17 Ao cair da tarde, foi com os doze. 18 Quando estavam à mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um dentre vós, o que come comigo, me trairá. 19 E eles começaram a entristecer-se e a dizer-lhe, um após outro: Porventura, sou eu? 20 Respondeu-lhes: É um dos doze, o que mete comigo a mão no prato. 21 Pois o Filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito; mas ai daquele por intermédio de quem o Filho do Homem está sendo traído! Melhor lhe fora não haver nascido!

22 E, enquanto comiam, tomou Jesus um pão e, abençoando-o, o partiu e lhes deu, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo. 23 A seguir, tomou Jesus um cálice e, tendo dado graças, o deu aos seus discípulos; e todos beberam dele. 24 Então, lhes disse: Isto é o meu sangue, o sangue da [nova] aliança, derramado em favor de muitos. 25 Em verdade vos digo que jamais beberei do fruto da videira, até àquele dia em que o hei de beber, novo, no reino de Deus.

26 Tendo cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras. 27 Então, lhes disse Jesus: Todos vós vos escandalizareis, porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas ficarão dispersas. 28 Mas, depois da minha ressurreição, irei adiante de vós para a Galiléia. 29 Disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, eu, jamais! 30 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que duas vezes cante o galo, tu me negarás três vezes. 31 Mas ele insistia com mais veemência: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei. Assim disseram todos.

A Ceia dos Santos é uma cerimônia de ações de graças realizada por homens pecadores, assim como os que estiveram com Jesus na ceia original.

  1. Cerimônia de gratidão pela “passagem”

Páscoa significa passagem e já era comemorada antes do surgimento do Cristianismo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito. Segundo a Bíblia, supostamente Jesus teria participado de várias celebrações pascais. Quando tinha doze anos de idade foi levado pela primeira vez pelos seus pais, José e Maria, para comemorar a Páscoa, conforme Lucas 2.41: Ora, anualmente iam seus pais a Jerusalém, para a Festa da Páscoa.

Retornando ao nosso texto, temos em Marcos 14.12-16, a preocupação dos discípulos em preparar a festa de páscoa para Jesus e seu grupo. Ainda que seja uma festa judaica, Jesus está de acordo com sua realização e ainda envia seus discípulos a procurar o local, que conforme o Mestre diz já está pronto!

  1. Na festa é anunciada a traição

Já viu videos na internet de acidentes em festas? Pois é, tem situações que quebram todo o brilho de um evento. Aqui, nos versículos 17 a 21, naquela que seria a ultima ceia pascal de Jesus com seus discípulos, viu o Senhor ser um momento oportuno de revelar que seria traído.

Será que o Mestre “errou” ao escolher um momento festivo para tratar de um assunto tão incômodo? Veja que no versículo 19 o texto diz que foi gerado um ambiente de tristeza, porém se Jesus o fez, significa que era o momento mais que adequado.

  1. A Ceia dos Santos

Dos versículos 22 a 25 é a realização cerimonial que nós cristãos fazemos repetidas vezes neste memorial. Aqui fica claro que esta ceia é diferente da festa de páscoa judaica em que costuma-se sacrificar um cordeiro. Aqui Jesus é o Cordeiro de Deus, que antes de seu sacrifício, celebra um pacto com seus discípulos. A Ceia dos Santos, é, portanto um memorial do pacto feito Jesus em que somos juntos o corpo dEle, e pelo Seu sangue somos libertos da condenação do pecado, que é o inferno.

Participar da Ceia é simbolicamente renovar essa aliança ou simplesmente rememorar a razão pela qual nos consideramos cristãos!

  1. O desafio de ser cristão

Após a ceia, Jesus saiu com seus discípulos para o monte das oliveiras. É a partir do versículo 26 que o texto narra essa caminhada de Jesus em que Ele previne seus mais próximos seguidores de que não seria fácil manterem-se firmes na fé. Imagina o Messias dizendo em sua cara que você o abandonaria… Daí vem as célebres palavras de Pedro: Ainda que todos se escandalizem, eu, jamais!

Veja que Pedro pronuncia belas palavras e traz veemência em seu discurso, porém após a Ceia dos Santos, em que Jesus realiza um pacto de fé com Pedro e seus companheiros, que este homem ouve a revelação de nosso Senhor de que ele o trairia três vezes. Seriam essas as melhores palavras de incentivo? Em tempos que certas religiões pregam a confissão positiva, em que a palavra do homem tem poder! Eu vejo Jesus falando uma verdade de dói… Pedro descobrirá que não é esse super-crente que imaginara.

Assim é a ceia dos santos, um memorial que reúne o povo de Deus, cheios de defeitos e pecados, em busca de renovar seu pacto com Cristo. Uma celebração que inclui entre os convidados, TRAIDORES e que mesmo assim, assim como Pedro, podemos ser usados por Deus e para a glória de Deus!

Minha oração é que possamos nos enxergar como Deus nos vê.

Soli Deo Gloria