Salmos de Alegria {Parte 2}

Salmo 16

1 Guarda-me, ó Deus, porque em ti me refugio. 2 Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente. 3 Quanto aos santos que há na terra, são eles os notáveis nos quais tenho todo o meu prazer. 4 Muitas serão as penas dos que trocam o SENHOR por outros deuses; não oferecerei as suas libações de sangue, e os meus lábios não pronunciarão o seu nome. 5 O SENHOR é a porção da minha herança e o meu cálice; tu és o arrimo da minha sorte. 6 Caem-me as divisas em lugares amenos, é mui linda a minha herança. 7 Bendigo o SENHOR, que me aconselha; pois até durante a noite o meu coração me ensina. 8 O SENHOR, tenho-o sempre à minha presença; estando ele à minha direita, não serei abalado. 9 Alegra-se, pois, o meu coração, e o meu espírito exulta; até o meu corpo repousará seguro. 10 Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. 11 Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.

Este salmo de Davi é uma canção que declara confiança em Deus! Em resumo, dos versículos 1 a 8 Davi declara sua confiança no Senhor como sua porção nesta vida. E dos versículos 9 a 11, ele confiará no Senhor que irá preservá-lo em sua morte.

Neste salmo aprendemos que:

A nossa alegria deve estar alicerçada na confiança em Deus!

  1. Feliz é aquele que tem discernimento

O início deste salmo é um clamor pelos cuidados de Deus que vem junto de uma declaração de que o salmista tem em Deus o seu refúgio e segue o versículo 2 dizendo que Deus é sua prioridade.

O discernimento em escolher nossas amizades e dedicar somente a Deus nossas vidas estão consecutivamente nos versos 3 e 4. “Os santos” no versículo 3 são os separados de Deus, ou seja, todo aquele que tem Deus como seu único Senhor. Davi diz que tem prazer em estar com o povo de Deus! No verso 4 ele reconhece o perigo que é trocar Deus por outros deuses e diz que não o fará nem com atos de oferta e nem com os lábios.

  1. Feliz é quem espera e aprende do Senhor

Esperar no Senhor sempre é um desafio do ser humano. Nos versículos 5 e 6 Davi declara sua confiança em esperar em Deus. E que independente do “aqui agora”, Davi espera no que o Senhor trará para sua vida.

No versículo 7 o salmista menciona até a oportunidade de deitar e trazer à memória os fatos do dia e até alí Deus está nos permite aprender mais.

  1. Feliz é aquele que confia até a morte

No final da carta dedicada à igreja de Esmirna em Apocalipse 2.10 (no final do versículo), está escrito: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.”

Fidelidade e confiança andam juntos neste sentido. Pois para que nossa confiança permaneça plena em Deus é imprescindível a fidelidade. Interessante é que os versículos 8 a 10 são citados por Pedro em Atos 2.25-31, que diz:

“Porque a respeito dele diz Davi: Diante de mim via sempre o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja abalado. Por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; além disto, também a minha própria carne repousará em esperança, porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Fizeste-me conhecer os caminhos da vida, encher-me-ás de alegria na tua presença. Irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje. Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção.”

A nossa confiança em Deus reflete nossa alegria. É assim que devemos seguir até a morte física, na certeza de que Ele já nos deu a salvação e nos aguarda nos altos céus!!

Desse modo é que o último versículo do salmo 16 faz todo sentido: “Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.”

  • Essa “plenitude de alegria” está naquele que busca discernimento em Deus;
  • “Na tua destra” – é aquele que espera e aprende no Senhor;
  • E prova das “delícias perpetuamente” aquele que viverá a eternidade junto a Deus.

Soli Amori Christi

Quanto custa?

Quem inventou o dinheiro? Qual o real valor das coisas? Se nós perdermos R$ 10,00, ficamos tristes. E, infelizmente muitos nem ligam quando uma nação inteira perde bilhões como o Brasil vem perdendo para os golpistas políticos!

Já imaginou como seria a vida sem o uso de dinheiro? Pois há muitos e muitos séculos atrás ele não existia mas, com a necessidade de comprar, as pessoas da época tiveram que dar um jeito e resolver o problema. A primeira solução foi fazer trocas, então, se uma pessoa tinha colhido muitas frutas, mas precisava de cortes de tecido para fazer roupas, partia à procura de quem estivesse interessado nas frutas, mas também tivesse tecido para fazer a troca, por exemplo. Esse é um sistema de comércio é chamado também de escambo. Na Roma antiga, os soldados eram pagos através de uma quantia de sal, chamada de salarium, daí tem origem o termo salário que utilizamos hoje.

Quando o assunto é fé, a pergunta mais “gospel” seria… Quanto custa a bênção?

Atos 8:14-23

Ouvindo os apóstolos, que estavam em Jerusalém, que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João; os quais, descendo para lá, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo; porquanto não havia ainda descido sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus. Então, lhes impunham as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo. Vendo, porém, Simão que, pelo fato de imporem os apóstolos as mãos, era concedido o Espírito [Santo], ofereceu-lhes dinheiro, propondo: Concedei-me também a mim este poder, para que aquele sobre quem eu impuser as mãos receba o Espírito Santo. Pedro, porém, lhe respondeu: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de Deus. Não tens parte nem sorte neste ministério, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, da tua maldade e roga ao Senhor; talvez te seja perdoado o intento do coração; pois vejo que estás em fel de amargura e laço de iniquidade.

Neste texto temos a narrativa de dois acontecimentos interessantes, que tem muito a nos ensinar, então vejamos:

  1. Pedro e João abençoam

Pedro e João, apóstolos discipulados diretamente por Jesus são levados a orar declarando a benção do Espírito Santo sobre os novos seguidores de Cristo que não haviam experimentado o Pentecostes (Atos 2.1-6). De modo que a “oração apostólica” com imposição de mãos é um gesto cerimonial. Matthew Henry diz o seguinte: “Nenhum homem pode dar o Espírito Santo impondo suas mãos, mas devemos usar os melhores esforços para instruir àqueles pelos quais oramos.” Dessa forma, é o próprio Deus é quem atua conforme sua soberana vontade em meio à situação. Nunca um sacerdote, padre, pastor ou qualquer ser humano “espiritual” tem qualquer poder em “mover”, nem muito menos dar qualquer ordem ao Espírito Santo.

  1. Simão quer pagar pela bênção

Simão, também conhecido como O Mágico, era o que podemos considerar como um feiticeiro, adivinho, curandeiro, etc. Este mágico ouve a boa nova a respeito de Cristo Jesus e torna-se um seguidor da fé e também do missionário pregador Flipe (Atos 8.9-13). Porém, não satisfeito em ser seguidor da fé em Cristo, Simão gostaria de ser um Deus-Homem, ou seja, ter poderes de Deus e solicita a benção apostólica ministrada pelos discípulos mediante uma oferta em dinheiro. Aqui no texto bíblico não importa o valor, mas sim a intenção de Simão.

Pedro, porém, lhe respondeu: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de Deus. Não tens parte nem sorte neste ministério, porque o teu coração não é reto diante de Deus. (vs. 20,21)

O que dizer dos “profetas modernos” que cobram uma fortuna para ministrar o poder de Deus? Ou de bandas que ministram curas em seus espetáculos cheios de efeitos especiais por um ingresso com valores acima dos três dígitos? O que dizer de um pregador que cobra dos crentes um valor maior para que estes crentes fiquem mais próximos do palco? Vale lembrar que no texto anterior, o sujeito chamado Simão já havia convertido-se ao cristianismo e mesmo assim oferece dinheiro pela benção. Será que o mágico inaugurou o “show da fé”?

Quanto custa a benção? Quanto você pagaria?

{Biblifique-se}

Soli Deo Gloria

Imitador de Cristo

Disse Deus: Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus. [Levítico 20.26]

Tudo bem que o nosso Deus é Santo. Agora, quando Deus nos orienta a ser santo como Ele é o negócio complica! Como eu, um mortal pecador posso ser santo como Deus? Seria uma ilustração ou metáfora?

A resposta encontra-se na Palavra de Deus: Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. [1 Pedro 1.14-16] Pedro deixa claro que não se trata de uma simples ilustração ou metáfora é sim a maneira que TODO cristão deve viver!

Deste modo quando Paulo diz em 1 Coríntios 11.1 “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” Não se trata de uma atitude arrogante ou uma “ostentação gospel”, mas sim a imagem que Paulo preocupava-se em refletir. Assim também nós devemos refletir santidade a começar nos enxergando santos.

Mesmo Paulo que se enxerga imitador de Cristo foi um terrível pecador… E depois ele tornou-se perfeito? Veja o que diz a seguinte narrativa…

Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar- se. Então, Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas. [Atos 15.36-41]

Pois é, a discussão de Paulo com Barnabé leva-os a seguirem caminhos diferentes até segunda hora. Isto nos leva a entender que Paulo não tornou-se um extraterrestre ao dizer ser imitador de Cristo. Ele apenas entendeu a responsabilidade de carregar o nome de cristão.

Todos os dias somos “testados” para ver se realmente podemos carregar o nome de cristão! Apesar de nós, Cristo se entregou na cruz em nosso favor, então nossas atitudes devem refletir gratidão por Ele!

Minha oração é que eu possa me enxergar da maneira como Deus quer me ver.

Soli Deo Gloria