Ação ou poluição?

Toda vez que vejo um debate político nas redes sociais, eu questiono se realmente estamos dispostos a mudar. Me parece que aquilo que realmente incomoda é a impunidade alheia, pois o outro conquistou “sucesso” de maneira ilícita e eu não!

Recentemente ouvi uma mensagem onde foi dito:

– Numa enorme fila de banco, onde um amigo trabalha internamente neste banco passa e se oferece para pagar nosso boleto lá dentro furando toda a fila, quem aqui não aceitaria?

Para a maioria de nós esse tipo de corrupção é normal. Mas para um cristão não deveria ser.

As redes sociais estão cheias de debates políticos sejam de direita, esquerda, centro avante, zagueiro… hahaha. Não importa qual sua cor partidária, eu só vejo poluição visual e auditiva ao invés de AÇÃO EFETIVA!

Está escrito: O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da Lei. [Romanos 13:10]

Se eu amo, ao invés de debater a impunidade, eu devo usar minha inteligência para resolver os problemas que a impunidade causou! Essa ação será meu maior discurso, minha melhor argumentação, ainda que seja sem “textão” e sem selfies.

Por mais pessoas “menos discussão e mais ação!”

Portanto, aquele que sabe que ele fazer o bem e não o faz nisso está pecando. [Tiago 4.17]

Soli Amori Christi

Contemplatividade

De acordo com a internet (!), a mesma foi criada em 1969 nos EUA. Chamada de Arpanet, tinha como função interligar laboratórios de pesquisa, assim nasceu o compartilhamento eletrônico de informações, que inicialmente só era transmitido algo próximo daquilo que conhecemos como e-mail. Naquele mesmo ano, auge da Guerra Fria foi que, segundo “dizem”, o homem pisou pela primeira vez na Lua. No mesmo ano aconteceu um conhecido festival musical estadunidense chamado Woodstock, considerado por muitos como o maior festival de rock de todos os tempos.

Daí você pergunta: o que o “bebê internet”, o homem na Lua e um festival de rock têm em comum? A minha resposta é que este período marcou o início de uma mudança significativa na forma como a sociedade transmite e absorve informações. A internet é uma ferramenta indiscutível neste ramo; a viagem espacial nos fez expectadores de tudo aquilo que se vê na TV; e o Woodstock foi considerado um grito de liberdade de uma geração sem voz. Até então jovens e adolescentes não tinham a menor abertura para opinar, pois alguém com até duas décadas de vida não tinha experiência e conhecimento suficiente para contribuir com suas ideias naquilo que era coisa de adulto. Só que os tempos mudaram hoje qualquer um faz juízo de tudo e de todos, independente da idade todos têm algum tipo de opinião e oportunidade de publicar pra quem quiser ler, ouvir e assistir.

A Bíblia diz em Tiago 4.17: Portanto, aquele que sabe que ele fazer o bem e não o faz nisso está pecando. Eu tenho uma apreciação especial por esse versículo! No contexto, a partir do versículo 13, a carta de Tiago que é muito prática, nos traz um confronto com respeito a falibilidade dos planos humanos diante do plano de Deus. E o versiculo que destaquei é simples e direto… Pecado é saber e não fazer o bem.

Meu questionamento é:

Se no passado, mesmo sem voz, muitos conseguiram realizar grandes feitos através de suas atitudes, porque hoje, ao conquistarmos voz (como nunca), não temos mais boas atitudes memoráveis?

Assim denomino de JUVENTUDE CONTEMPLATIVA, uma geração inteira que tem nas mãos o poder da comunicação e o usam muito bem (ou não), mas não demonstram força de vontade para concretizar seu belo discurso. Hoje muito se fala, mas quase nada é realizado! É possível encontrar opinião sobre tudo: política, religião, artes, esportes, saúde e tudo mais que você possa imaginar. Até mesmo é muito comum a crítica da crítica, que é o fato de discordar da discordância do outro.

Quero deixar claro que não sou contra críticas e opiniões. Mas tenho muita expectativa em ver mais atitude em vez de milhares de vozes que no fim não falam muita coisa. Fico imaginando Jesus com 12 anos “pregando” para doutores da Lei no templo (Lucas 2.42-47). Naquele tempo era um absurdo alguém tão jovem ser tão sábio, e o texto ainda diz que fora interrogado e suas respostas admiravam a todos. Só tem um detalhe mais que especial… Jesus colocou TUDO em prática!!!

E você, vai fazer o quê?

Pode criticar meu texto. Mas faça algo depois…

#RevoluciAME

Soli Amori Christi

O que é de César

Muito se tem falado a respeito da corrupção protagonizada pelo atual governo que independente de partidos, o Brasil tornou-se um reino grotesco onde tira-se os direitos do cidadão para alimentar o luxo de uma minoria de controladores mal intencionados. E observando a ascendente falta de vergonha em que rouba-se o Brasileiro, pois para uma restrita parcela da população a justiça além de cega, é surda e muda. Que deparo também com o que chamo de “pequenas corrupções”.

As pequenas corrupções é o que iguala os cidadãos classe “c” e “b” aos ladrões classe “a” made in Brasília! Nas atitudes que passam de simples e aparentemente singelas como furar uma fila ou subornar um policial para evitar uma multa, a qual os cidadãos sentem-se mais espertos, é que uma nação inteira cava a cova da mentira e manipulação também conhecida como “jeitinho brasileiro”.

A Bíblia também ensina a respeito de sermos cidadãos honestos, mesmo vivendo num estado desonesto.

Lucas 20:20-25

20 Observando-o, subornaram emissários que se fingiam de justos para verem se o apanhavam em alguma palavra, a fim de entregá-lo à jurisdição e à autoridade do governador. 21 Então, o consultaram, dizendo: Mestre, sabemos que falas e ensinas retamente e não te deixas levar de respeitos humanos, porém ensinas o caminho de Deus segundo a verdade; 22 é lícito pagar tributo a César ou não? 23 Mas Jesus, percebendo-lhes o ardil, respondeu: 24 Mostrai-me um denário. De quem é a efígie e a inscrição? Prontamente disseram: De César. Então, lhes recomendou Jesus: 25 Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

Nota-se no início do texto que o ambiente traz personagens mentirosos interessados em corromper aquele chamado de messias. Homens pagos para fingir ser justos e atuando trazem elogios a Jesus. Normalmente é assim. Quando falsos e fingidos querem algo em troca, mentem elogiando o outro a fim de adquirir espaço para seus interesses. Isto acontece muito hoje, até mesmo nas igrejas.

Logo o texto segue narrando o questionamento feito por estes corruptos a Jesus: “é lícito pagar tributo a César ou não?” Ou seja, um religioso deve pagar impostos a um estado corrupto, ou não? Seria justo cometer pequenas corrupções em detrimento a um estado mergulhado na corrupção? Afinal de contas, o dinheiro é nosso, de forma que é de direito meu “tirar” um pouco, ainda que seja ilícito. Políticos não tornaram-se corruptos apenas quando assumiram seus cargos, eles já eram corruptos, assim como muitos brasileiros são e roubam quando é lhes oferecido oportunidades da mesma maneira que muitos brasileiros fariam.

A resposta de Jesus vêm cheia de sabedoria e devemos nos guiar por essas palavras. Primeiro o versículo 23 deixa claro que Jesus conhecia a intenção por trás da pergunta e logo em seguida responde utilizando uma analogia feita a partir da própria imagem contida no dinheiro, ou melhor, no denário que era uma moeda que correspondia ao pagamento por um dia de trabalho. A moeda tinha prensado a imagem de César e dessa maneira Jesus respondeu que pertencia a César, e também diz que deve-se dar a Deus o que é de Deus!

Dessa forma entendo o clima de insatisfação em nosso país, só que nosso sistema político composto por, em sua maioria, vigaristas é apenas um reflexo de país acostumado à corrupção e que em algum momento alguém teria que pagar essa conta. A população está insatisfeita e as vezes até tem razão, só que aqui fica um lembrete aos crentes…

Dêem ao governo o que pertence ao governo e não esqueçam de dar ou devolver para Deus aquilo que pertence a Deus!

Soli Deo Gloria

Mudar o mundo

Muito se tem ouvido falar em que é o momento de mudar o Brasil. Quero logo dizer que não penso em mudar o Brasil por causa dos manifestos e protestos, mas SEMPRE pensei em mudar as coisas, mudar o Brasil, mudar o mundo. Sei que é clichê falar que a mudança deve acontecer nas pessoas. Então questiono: as pessoas estão mudando?

Outra coisa que ouvi é que muitos se denominam os atuais protagonistas de uma possível revolução. Nós é que elegemos uns pseudos protagonistas que agora “não nos representam”! Outros virão, sejam do movimento passe livre, nacionalistas ou apartidários. Outra vez pergunto: as pessoas estão mudando?

E as igrejas, devem participar ou não dos protestos e qual contribuição podem oferecer? Olhando para a Palavra, vejo Jesus como um revolucionário. Que é revolucionária a verdade de que Deus se torna homem para mudar a vida dos homens, de que Jesus, esperado como um revolucionário político contra um império, trouxe um outro reino que não têm os do partido ou os sem-partido, um reino que muda as pessoas.

Sim, as pessoas estão mudando. Muitos estavam apáticos à situação crítica da política brasileira, alheios a todo este movimento manipulador em que a população é considerada massa de manobra. Agora o Brasil acordou, política faz parte do assunto principal nas redes sociais, embora muitos não tenham opinião própria e apenas replicam o que um outro diz, pelo menos estamos aprendendo.

Agora preciso dizer uma coisa:

Política, mesmo que seja apartidária, muda as pessoas mas não satisfaz! No futuro outros assumirão o poder, quem sabe até alguns destes que estão protestando, depois virão outros com opiniões contrárias. Pela história é um ciclo que se repete. Porém conhecer o nosso Deus através de Sua Palavra, crer em Cristo Jesus é que traz verdadeira alegria. Nosso povo precisa de ideais para mudar vidas. Nosso povo precisa de Deus!!!

Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR. Salmo 33:12a

Soli Deo Gloria

Campanhas e mais campanhas

Ao receber recentemente a visita de um candidato para as próximas eleições na base da Cristolândia em Recife, ouvimos seu discurso no que tange às ações anti-drogas do poder público, onde falou que a falta de sucesso em seus programas não são por falta de dinheiro, pois há um grande investimento no combate as drogas que hoje é um assunto de saúde pública mas, disse ele, é falta de “fé”.

Nós reforçamos a ideia com o fato de hoje, nos como igreja, atingimos sucesso na recuperação de viciados mesmo sem tão grande investimento, pelo simples fato de que Deus é quem possibilita a mudança da vida dessas pessoas. E este candidato entendeu o recado. E prometeu (como é de prática em campanhas!) um apoio à missão Cristolândia, caso seja eleito.

Creio que seria muito interessante ter o apoio do poder público em ações da igreja. Mas será que eles ou nós conseguimos separar bem o que é auxílio ao ser humano na mudança de vida e uma ação humanitária que possa  possibilitar um trampolim para campanhas? Se muitas vezes nem a igreja sabe lidar com questões desta natureza! O que fazer?

Penso que os recursos necessários para a manutenção de projetos como este estão em nossas igrejas: dinheiro, voluntários e profissionais são membros dentro das nossas igrejas e estão muito satisfeitos em frequentar o templo e ser um bom dizimista. Porém podemos fazer muito mais!

Políticos, evangélicos, empresários e profissionais liberais podem dedicar suas vidas ao serviço do Senhor para a salvação de vidas sem interesses ou trocas.

“Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” Marcos 10:45

Soli Deo Gloria