Discursos entusiastas

Dentro do movimento gospel, assim como em tantos outros movimentos sociais, temos figuras humanas que se assemelham a animadores de torcida.

Seja mesmo em uma torcida de futebol, ou num comício político (ou apolítico), ou pela luta dos direitos de alguma minoria ou mesmo entre fanáticos por alguma causa. Lá encontramos entusiastas, pessoas que contaminam aqueles à sua volta com seus discursos que, em muitos casos, atingem sucesso na condução da massa popular.

Só que a minha preocupação aqui não se dá pela existência desses influentes homens e mulheres, não mesmo! Pois muitos militam por causas extremamente necessárias e alguns até conseguem promover mudança social.

Minha preocupação está relacionada aos entusiastas religiosos. Recentemente li em rede social alguém que criticava certo líder por ser responsável (ou irresponsável) em formar pessoas que acabaram tornando-se “fanáticas ao anti-fanatismo”. Incrível não?

Creio que a maioria dos entusiastas religiosos geram nada mais que outros entusiastas religiosos que irrefletidamente aceitam, curtem e compartilham aquilo que alguém falou. Neste caso se o líder fala uma heresia seus seguidores espalham a heresia e caso esta heresia adquira um grande público, logo torna-se uma “verdade mentirosa”.

Um claro exemplo é a tal teologia da prosperidade que impressionantemente, ou não, continua como modinha em muitos redutos evangélicos e nem sempre trata-se de dinheiro. Hoje, por exemplo faz-se até sacrifícios para quem sabe obter um cônjuge “prometido”! Isso não parece uma barganha?

Aceite ou não, a maior referência de liderança no cristianismo – Jesus Cristo – o próprio Deus encarnado não me parece um entusiasta interessado em ‘likes’ em sua rede social, mas sim um doador de si mesmo interessado em levar todos a sua volta a uma reflexão daquilo que realmente importa nesta vida… O ministério da reconciliação com Deus e que é preciso morrer para viver!

Em João 12.24-25, está escrito:
Em verdade, em verdade vos digo:se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto. Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna.

Este parece um discurso entusiasmado? Jesus continua…

Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará. [João 12.26]

{Biblifique-se}

Soli Deo Gloria