Imitador de Cristo

Disse Deus: Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus. [Levítico 20.26]

Tudo bem que o nosso Deus é Santo. Agora, quando Deus nos orienta a ser santo como Ele é o negócio complica! Como eu, um mortal pecador posso ser santo como Deus? Seria uma ilustração ou metáfora?

A resposta encontra-se na Palavra de Deus: Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. [1 Pedro 1.14-16] Pedro deixa claro que não se trata de uma simples ilustração ou metáfora é sim a maneira que TODO cristão deve viver!

Deste modo quando Paulo diz em 1 Coríntios 11.1 “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” Não se trata de uma atitude arrogante ou uma “ostentação gospel”, mas sim a imagem que Paulo preocupava-se em refletir. Assim também nós devemos refletir santidade a começar nos enxergando santos.

Mesmo Paulo que se enxerga imitador de Cristo foi um terrível pecador… E depois ele tornou-se perfeito? Veja o que diz a seguinte narrativa…

Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar- se. Então, Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas. [Atos 15.36-41]

Pois é, a discussão de Paulo com Barnabé leva-os a seguirem caminhos diferentes até segunda hora. Isto nos leva a entender que Paulo não tornou-se um extraterrestre ao dizer ser imitador de Cristo. Ele apenas entendeu a responsabilidade de carregar o nome de cristão.

Todos os dias somos “testados” para ver se realmente podemos carregar o nome de cristão! Apesar de nós, Cristo se entregou na cruz em nosso favor, então nossas atitudes devem refletir gratidão por Ele!

Minha oração é que eu possa me enxergar da maneira como Deus quer me ver.

Soli Deo Gloria

SÍNDROME DE SANTIDADE

“Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;” (I Pedro 1 : 15)

Acho no mínimo interessante a maneira que muitos consideram a santidade. Tenho andado por aí, observo o comportamento dos cristãos e vejo um misto de comportamentos, entre eles, os que tentam demonstrar algum nível de santidade por considerar isto extremamente importante. Aceitar Jesus Cristo em nossa vida é ter Deus acima de todas as coisas, Jesus Cristo como Salvador e o Espírito Santo, o Consolador agindo e mudando nossa vida em um processo de santificação. É muito importante a presença da Trindade em nossa vida. Isso nos faz compreender a totalidade da multiforme ação de Deus. O texto que tomo como base nesta reflexão nos orienta santidade em toda a nossa maneira de viver. Então quais seriam as implicações disto em nossas vidas?

Em primeiro lugar a Bíblia expressa mudanças necessárias em uma nova vida. Muitos querem Jesus em suas vidas, mas fazem apenas uma “adesão” com Deus, ou seja, agem simplesmente adicionando alguns princípios Bíblicos à sua vida sem qualquer mudança real na vida que já levara.

Segundo: Santidade não é atitude “piedosa”. O que quero dizer com isso? Muitos cristãos consideram santos aqueles que andam tristes e cabisbaixos, como se a nova vida em Cristo Jesus fosse um fardo que nos puxa para baixo. Nesse caso, onde fica a alegria de viver uma novidade de vida e a garantia de vida eterna?

Por último quero deixar um recado para os santos legalistas. Estes que consideram ser melhores que os outros. Com certeza você conhece alguém assim! O legalismo é a pura manifestação da “religião” que contrasta a fé. Os fariseus eram uma classe de legalistas nos tempos de Jesus. Pessoas assim consideram-se modelos de santidade e impõem um modo de vida difícil de alcançar. Em muitos casos isso não passa de uma máscara.

Aquele que nos chamou é Santo. Ser santo é tomar o modelo de Cristo em nossa vida, andar como Ele, nos relacionar como Ele, viver para Ele.

“Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura.” (Gálatas 6 : 15)

Soli Deo Gloria