O Amigo

{Sérgio Lopes}

O amigo que eu encontrei me surpreendeu;
Quando todos me deixaram, Ele me acolheu;
E sarou minhas feridas, das algemas me livrou;
Lhe falei do meu dilema e Ele me escutou;
Lhe falei do meu passado e me perdoou;
Isso teve um alto preço que Ele já pagou;
Me mostrou as mãos feridas por amor de muitas vidas;
E uma dessas muitas vidas era eu;

Quem nesse mundo amor tão grande pode ter;
De entregar a própria vida sem temer?
Quem já sentiu a dor de ser cravado em uma cruz;
Pagando pelos erros que não cometeu?

E olhar nos olhos de quem tanto mal lhe fez;
E sem ressentimento oferecer perdão;
Quem pode ser melhor amigo que O Senhor;
Que pelo servo a própria vida renunciou?
Quem pode ser melhor amigo que O Senhor;
Que pelo servo a própria vida renunciou?

Imitador de Cristo

Disse Deus: Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus. [Levítico 20.26]

Tudo bem que o nosso Deus é Santo. Agora, quando Deus nos orienta a ser santo como Ele é o negócio complica! Como eu, um mortal pecador posso ser santo como Deus? Seria uma ilustração ou metáfora?

A resposta encontra-se na Palavra de Deus: Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. [1 Pedro 1.14-16] Pedro deixa claro que não se trata de uma simples ilustração ou metáfora é sim a maneira que TODO cristão deve viver!

Deste modo quando Paulo diz em 1 Coríntios 11.1 “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” Não se trata de uma atitude arrogante ou uma “ostentação gospel”, mas sim a imagem que Paulo preocupava-se em refletir. Assim também nós devemos refletir santidade a começar nos enxergando santos.

Mesmo Paulo que se enxerga imitador de Cristo foi um terrível pecador… E depois ele tornou-se perfeito? Veja o que diz a seguinte narrativa…

Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar- se. Então, Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas. [Atos 15.36-41]

Pois é, a discussão de Paulo com Barnabé leva-os a seguirem caminhos diferentes até segunda hora. Isto nos leva a entender que Paulo não tornou-se um extraterrestre ao dizer ser imitador de Cristo. Ele apenas entendeu a responsabilidade de carregar o nome de cristão.

Todos os dias somos “testados” para ver se realmente podemos carregar o nome de cristão! Apesar de nós, Cristo se entregou na cruz em nosso favor, então nossas atitudes devem refletir gratidão por Ele!

Minha oração é que eu possa me enxergar da maneira como Deus quer me ver.

Soli Deo Gloria

A paz do Senhor

[mensagem para a IBMB feita a partir da minha reflexão chamada: Paz, mas que paz – já no blog]

Declarar a paz do Senhor ao iniciar alguma fala na igreja é uma saudação do povo evangélico. Mas onde está a paz? Se essa funcionaI apenas da boca para fora que valor pode ter? E como declarar a paz do Senhor para pessoas que estão vivendo uma verdadeira guerra, como no Complexo do Alemão, comunidade do Rio de Janeiro.
“Curam superficialmente a ferida do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz.” (Jeremias 6.14)
    A paz só é alcançada por aqueles que compreendem que esta vida no mundo é apenas passageira e que problemas são comuns neste lugar. “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições…”  (João 16 : 33). Então penso: como viver em paz? Na verdade precisamos entender a dimensão desta paz. Não é uma simples paz momentânea, é paz em Jesus… o salmista deixou um recado a esse respeito:
“Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.”
(Salmo 119.165)
    Amar os desígnios de Deus; Viver segundo o coração do Pai; Pessoas que vivem desta forma não encontram tropeços. É interessante aqui a palavra tropeço, pois ela comunica algo de extremo valor pedagógico – o fato de não haver tropeço não significa que os obstáculos deixarão de existir, mas mostra que saberemos vencê-los.
A paz em minha vida
Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. (João 14.27)
    Ter a paz do Senhor em nossas vidas está sempre além de tudo o que podemos imaginar no que se refere a paz! Pois é a paz DELE! A Paz que Jesus nos deixou e com ela o nosso coração não se turba nem nos atemorizemos. Quando isso não está acontecendo em nossa vida não significa ausência dessa paz, mas falta de fé.

    Existe um texto, na Palavra de Deus, que nos dá a certeza de que carregamos essa paz: “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” (Gálatas 5.22). Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito! Essa paz é fruto do Espírito Santo e por consequência ela está em nós!

A paz na vida das pessoas
    Também é de total responsabilidade nossa anunciar e levar essa paz as outras pessoas. Dizer que vive na paz do Senhor e viver em pé de guerra em nosso lar é um tanto contraditório. Infelizmente eu conheço gente que vive assim. Em I Tessalonicenses 5.12, 13 está escrito: “E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam; E que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós”. Paulo orienta aos  Tessalonicenses viver em paz uns com os outros por ser um reflexo do amor.
A paz para o mundo
Lucas 2.12-14
“E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.”
    O menino do relato bíblico é o Menino Jesus. As palavras do anjo do Senhor aos simples pastores foi de uma esperança já até esquecida naqueles dias… de que o Messias estava acabara de nascer. Os anjos em multidão louvaram a Deus dando glória e declarando paz na Terra aos homens bons, pois o menino Jesus nasceu e hoje é vivo e reina em nós. O reinar de Deus em Jesus em nossas vidas e o poder do Santo Espírito que habita em nós traz paz…

    Receba a paz de Deus em sua vida! Viva esta paz. Não apenas declare a paz aos outros. Leve a paz! Os problemas da vida insistem em tirar nossa paz, mas nós temos todas as possibilidades de vencê-los, pois Jesus Cristo disse:

“ …mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.
Soli Deo Gloria