Enquanto é tempo

Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.” (Salmo 90.12)

O que pensar do tempo?

O tempo é um vilão em muitas histórias. Mas o tempo também é um herói. Como vilão o tempo nos faz envelhecer, nos aproxima da morte, afasta pessoas… Como herói o tempo nos dá maturidade, aproxima os salvos da eternidade e estreita laços de amizade. O tempo, então é bom e ruim em nossa compreensão.

O lado “vilão” do tempo pode ser encontrado desde o início, veja o que está escrito em Gênesis 3.17: E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. O desgaste do tempo sobre nós é uma das consequências da desobediência a Deus.

Agora vejamos o que diz Pedro em 2 Pedro 3.1-9:

1 Amados, esta é, agora, a segunda epístola que vos escrevo; em ambas, procuro despertar com lembranças a vossa mente esclarecida, 2 para que vos recordeis das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos, 3 tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões 4 e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. 5 Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus, 6 pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água. 7 Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios. 8 Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia. 9 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.

  • Devemos trazer à memória as promessas

Considero incrível a capacidade que o ser humano tem de tão facilmente lembrar fatos que marcaram negativamente sua vida, enquanto aos grandes e melhores momentos, em muitos casos ficam destinados às fotos arquivadas e vídeos perdidos. Na verdade, hoje em dia, perdemos tanto tempo registrando os melhores momentos que perdemos tempo para verdadeiramente viver esses momentos.

Usar a memória é inclusive um desafio para pessoas como eu, que têm uma enorme dificuldade de memorização. Mas a Palavra de Deus é recheada de pessoas que dependiam de sua memória para compartilhar os decretos de Deus. Tanto no Antigo, quanto no Novo Testamento era estritamente necessário o uso da memória para viver e pregar a Palavra, pois a escrita não era tão acessível a todos. No texto de nossa reflexão, Pedro afirma que muitos zombarão da fé cristã pelo fato de que não consideram aquilo que foi mencionado pelos nossos antepassados servos de Deus.

  • O Criador é também o Justo Juiz

Pedro alerta que esses zombadores não reconhecem Deus como o criador de todas as coisas e que também é justo. Através de sua justiça, considerou que o mundo precisava de um sacrifício, onde segue o dilúvio. Só que para a atualidade o mesmo texto diz “pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios”. Fogo, Juízo e destruição. Essas três palavras são muito fortes e de uma linguagem pesada, porém carregam em si toda um proposta de Deus para a humanidade. Se outrora o mundo passou pelo julgamento de Deus e o resultado foi água, dessa vez o fogo julgará. O fogo tem um amplo significado na Palavra, desde os sacrifícios na cultura do Antigo Testamento à manifestações da presença de Deus. Aqui eu recorro ao fogo que considera separação. O fogo é também usado para atestar a pureza do ouro, assim será no dia do juízo, onde Cristo julgará e separará àqueles que são o seu povo seguido da condenação dos ímpios

  • Deus aguarda nosso arrependimento

Os versículos seguintes tratam inicialmente a apresentação da perspectiva de Deus em relação ao tempo. Uma tentativa de explicar a atemporalidade do Criador. Se para nós o tempo é linear, para Deus o tempo cronos simplesmente não existe, ou seja, para Ele tudo é, foi e será ao mesmo tempo. Ainda assim, apesar de toda a dureza dos versículos anteriores que anunciam o julgamento final, somos apresentados à missericórdia e longaminidade de Deus. Que, para muitos a aparente demora para a volta de Jesus é tão só e simplesmente um ato de amor do nosso Deus, que aguarda não o arrependimento de todos. Conforme o texto, Pedro diz: “…senão que todos cheguem ao arrependimento”. Chegar ao arrependimento é o reconhecimento ou a oportunidade de salvação dada à humanidade.

Assim, o tempo que é tanto um vilão como um herói a qual aguardamos anciosamente o retorno do Rei deve ser compreendido por nós como a expressa manifestação do amor do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Soli Amori Christi

O Tempo

[Oficina G3]

O vento toca o meu rosto
me lembrando que o tempo vai com ele
levando em suas asas os meus dias,
desta vida passageira
minhas certezas, meus conceitos,
minhas virtudes, meus defeitos
nada pode detê-lo…
…o tempo se vai
mas algo sempre eu guardarei…
..o Teu amor, que um dia eu encontrei

os meus sonhos, o vento não pode levar
a esperança, encontrei no Teu olhar
os meus sonhos, a areia não vai enterrar
porque a vida recebi ao Te encontrar…

…nos Teus braços não importa o tempo
só existe o momento de sonhar
e o medo que está sempre à porta
quando estou com Você
Ele não pode entrar…

…o tempo se vai
mas algo sempre guardarei…
..o Teu amor, que um dia eu encontrei

os meus sonhos, o vento não pode levar
a esperança, encontrei no Teu olhar
os meus sonhos, a areia não vai enterrar
porque a vida recebi ao Te encontrar …

Em busca do tempo perdido

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Esse texto de um poema de Cassimiro de Abreu me fazia refletir a vida em plena adolescência. Agora reflita sua vida… Em tudo que já fez, existem coisas que gostaria de não ter feito? Ou quem sabe, fazê-las melhor? E uma nova chance de viver e procurar corrigir tudo aquilo que aconteceu. Viver em busca de algo que se perdeu causa certo incômodo, até que, ao achar nos sentimos melhor. E buscar algo impossível de encontrar? Viver em busca do tempo perdido é impossível. Nossa vida passada é cheia de boas e más lembranças e algumas dessas más lembranças foram consequências de escolhas que fizemos e mesmo escolhendo errado ainda hoje podemos consertar e modificar o rumo da historia de nossas vidas. Você crê nisso? Vejamos as sábias palavras do sábio pregador Salomão em Eclesiastes 11. 8 – 10; 12. 1 – 7:

“Porém, se o homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, também se deve lembrar dos dias das trevas, porque hão de ser muitos. Tudo quanto sucede é vaidade. Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo. Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade. LEMBRA-TE também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento; Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva; No dia em que tremerem os guardas da casa, e se encurvarem os homens fortes, e cessarem os moedores, por já serem poucos, e se escurecerem os que olham pelas janelas; E as portas da rua se fecharem por causa do baixo ruído da moedura, e se levantar à voz das aves, e todas as filhas da música se abaterem. Como também quando temerem o que é alto, e houver espantos no caminho, e florescer a amendoeira, e o gafanhoto for um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua casa eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela praça; Antes que se rompa o cordão de prata, e se quebre o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e se quebre a roda junto ao poço, E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.”

Este texto de Eclesiastes nos transmite a ideia que o sábio pregador aconselha aos jovens que têm aptidão para servir a Deus! No mundo corporativo, fala-se de otimização de tempo ou tempo de qualidade. É uma referência ao melhor uso do pouco tempo que dispomos. Neste sentido as palavras de Salomão, carregadas de poesia, podem ser compreendidas da seguinte forma:

I. Daremos conta a Deus pelo tempo

O autor do texto fala da importância de lembrar dos nossos dias e ironiza aconselhando o jovem a caminhar segundo o seu coração (carpe diem) e alerta que daremos conta a Deus por nossos dias. […] por todas estas coisas te trará Deus a juízo (cf. 11.9).

II. Aproveite bem os seu tempo que é passageiro

Em seguida Salomão dá as dicas de como permanecer no alvo durante esse tempo. Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal […] (cf. 11.10). Assim como a infância, a adolescência e a juventude passam, é vaidade! […] Porque a adolescência e a juventude são vaidade. (cf. 11.10).

III. O tempo perdido não volta mais

Com toda uma narrativa poética, o sábio descreve o resultado do tempo sobre nossas vidas. Toda a trajetória do envelhecimento à morte. A velhice é comparada a uma tempestade, uma casa antiga, as dificuldades físicas como: braços e mãos (guardas das casas), as pernas (encurvarem os homens fortes), os dentes (os moedores), a visão (os que olham pelas janelas), os ouvidos (portas da rua), insônia (levantar à voz das aves), capacidade de apreciar a música (filhas da música se abaterem), Dificuldade de subir em lugares altos (temerem o que é alto), medo de cair (espantos no caminho), cabelos brancos (florescer a amendoeira), perda de mobilidade (o gafanhoto for um peso), vontade de comer (perecer o apetite). Por fim ele descreve o destino final: E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu. (cf. 12.7).

É impossível encontrar o tempo perdido ou refazer o passado. Possível é aproveitar ao máximo o presente que é um presente de Deus, e ao chegar o futuro estar satisfeito e tranquilo pelo bom tempo e pelas boas lembranças.

I Coríntios 3. 21 – 26

“Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso; Seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo é vosso, E vós de Cristo, e Cristo de Deus.”

Soli Deo Gloria

O tempo de Deus

Por Maristhela Araújo

“Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião.” Ec. 3:1

A Palavra de Deus afirma em Eclesiastes que para todas as coisas há um tempo determinado por Ele. Então por que para nós é tão difícil esperar o tempo de Deus em nossas vidas?
Vivemos num mundo em que tudo deve ser resolvido o mais rápido possível, temos prazos, limites, metas… E por vivermos assim, acabamos querendo levar o jeito com que lidamos com o nosso cotidiano também para as questões espirituais, muitas vezes até exigindo um prazo de Deus para que Ele faça determinada coisa em nossas vidas. Agimos muitas vezes, impulsionados pela ansiedade e não paramos pra perguntar a Deus se é aquilo mesmo que Ele quer pra nós, se é aquele o tempo dEle agir em nossas vidas.
Devemos parar para analisar em que posição estamos colocando o nosso Deus, se na posição de Senhor, como Ele o é, ou se estamos invertendo os papéis e querendo mandar nEle. Devemos deixá-Lo agir em nossas vidas, no tempo que Ele determinou, muitas vezes aquilo que a gente tanto pede demora a acontecer em nossas vidas, aos nossos olhos, porque Deus está no Seu tempo de tratar conosco. Deixe Deus tratar em sua vida, quando a gente se deixa trabalhar por Deus, vivemos o tempo dEle sem nos deixar dominar pela ansiedade.

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” Filipenses 4:6,7

Soli Deo Gloria